Denis Diderot

Autor da grande Encyclopédie, com 72.000 verbetes, Diderot foi um filósofo e escritor francês que viveu durante o Iluminismo.

Denis Diderot foi um importante filósofo iluminista francês. Crítico do absolutismo e defensor da liberdade dos homens, muitos o consideram como o precursor da filosofia anarquista. Conheça seus principais pensamentos e suas obras mais importantes.

Índice do conteúdo:

Biografia

Denis Diderot. Fonte: Wikipedia

Denis Diderot nasceu na região de Champanha, na cidade em Langres em 1713 e faleceu em Paris, em 1784. Foi um importante filósofo e escritor durante o Iluminismo. Diderot é filho de Didier Diderot e Angélique Vigneron. O filósofo começou sua educação formal no Colégio Jesuíta de Langres, onde estudou grego, latim e as demais disciplinas ofertadas de acordo com a formação religiosa, como as orações católicas. Foi um excelente aluno e, por isso, foi convidado a assumir a carreira eclesiástica, mas não aceitou.

Em 1728, aos 16 anos, Diderot vai para Paris e passa a frequentar o colégio de Harcourt (Liceu Saint-Louis). Em 1732, ele recebe o grau de mestre em artes na Universidade de Paris, especializando-se em literatura, filosofia, metafísica, lógica, direito, física e matemática. No entanto, sua carreira começou no ramo da tradução.

Sem dúvidas, a obra-prima de Diderot é a edição da Encyclopédie (1750-1772) ou Dictionnaire raisonné des sciences, des arts et des métiers (Dicionário racional das ciências, artes e ofícios), trabalho realizado junto com Jean le Rond d’Alembert. O objetivo dessa obra era compilar todo o conhecimento produzido pela humanidade até aquele momento. Como o próprio nome sugere, deu-se muito valor para os conhecimentos práticos (de ofício) e para a razão, a fim de libertar os homens da ignorância e secularizar o conhecimento. A Enciclopédia possui 17 volumes de texto, 11 volumes de desenhos e 71.818 verbetes e demorou 21 anos para ser editada.

Pensamento filosófico de Diderot

Por ser um filósofo do Iluminismo, Diderot acreditava que a razão era o fundamento pelo qual a filosofia poderia alcançar a verdade e produzir conhecimento. Ele estruturou seu pensamento em um método que seguisse o pensamento da matemática e seguia o materialismo científico.

Diderot criticava o absolutismo. Para ele, era responsabilidade da política acabar com as desigualdades sociais e não agravá-las, como nos regimes absolutistas. Sobre a religião, Diderot pensava que a Igreja deveria se limitar aos interesses eclesiásticos e, portanto, não deveria interferir na esfera política.

Do ponto de vista da moral, para Diderot, o ser humano moralmente equilibrado consegue harmonizar suas paixões. O filósofo entendia que as paixões deveriam ser mantidas e não extintas, pois só por meio delas é que os homens conseguiriam realizar grandes feitos.

Já na estética, Diderot entendia que o Belo era composto pela simetria e pela ordem das formas. A Beleza era, também, determinada pela relação entre o sujeito e o objeto.

Principais obras

As obras a seguir são as que merecem mais atenção dentro da produção de Denis Diderot:

  • Pensamentos Filosóficos (1746);
  • Carta sobre os cegos para uso dos que enxergam (1749);
  • O sobrinho de Rameau (1763);
  • Encyclopédie (1750-1772);
  • A religiosa (1760, publicado postumamente em 1796);
  • Paradoxo do comediante (1770-1778, publicado postumamente em 1830);
  • Jacques, o fatalista e seu mestre (1771-1778);
  • Aos insurgentes da América (1782).

A obra intitulada “Carta sobre os cegos para uso dos que enxergam” sintetiza o desenvolvimento do pensamento de Diderot, do deísmo até ao cepticismo e o materialismo ateu, essa obra resultou em sua prisão.

Curiosidades

Confira algumas curiosidades sobre a vida de Denis Diderot

  • Diderot é considerado por alguns pensadores como o precursor da filosofia anarquista;
  • O filósofo se considerava como um ateu materialista;
  • Também foi um dos primeiros autores a fazer da Literatura uma profissão;
  • Embora tenha atribuído um papel fundamental para o Teatro – que deveria ter uma função pedagógica -, suas peças teatrais não tiveram muito êxito;
  • Diderot deveria ter recebido uma robusta herança (uma prebena) de seu tio, Didier Vigneron, mas o testamento só chegou a Roma depois da morte de Didier e, por isso, foi invalidado.
  • O filósofo se casou com Anne-Antoinette Diderot. Teve apenas uma filha, Angélique Diderot.

Mesmo usando a literatura como ofício, Diderot não deixou que isso interferisse em seu rigor filosófico para produção de suas obras.

5 frases de Denis Diderot

Veja nestas cinco frases a síntese de alguns pensamentos de Diderot:

  1. A ignorância não fica tão distante da verdade quanto o preconceito.
  2. Perguntaram um dia a alguém se havia ateus verdadeiros. Você acredita, respondeu ele, que haja cristãos verdadeiros?
  3. Nenhum homem recebeu da natureza o direito de mandar nos outros.
  4. A paixão destrói mais preconceitos do que a filosofia.
  5. Ter escravos não é nada, mas o que se torna intolerável é ter escravos chamando-lhes cidadãos.

Essas frases explicitam muitos dos pensamentos de Diderot, como a necessidade de o uso da razão para obter a verdade e produzir conhecimento, a defesa pela liberdade dos homens e o entendimento que é preciso destruir preconceitos. Soma-se a isso a crítica que o filósofo impõe à religião.

Fique por dentro do pensamento de Denis Diderot

Nos três vídeos a seguir, você poderá entender o pensamento de Diderot a partir de suas obras.

A função do teatro para Diderot

Nesse vídeo do professor Mateus Salvadori, você poderá compreender o papel do teatro no pensamento de Diderot, a partir da análise da obra “Paradoxo sobre o comediante”

Diderot e o intercâmbio entre as filosofias

Nesse vídeo, o professor da UNICAMP Roberto Romano fala sobre as obras de Diderot, dando um panorama sobre seu pensamento a partir das obras O Sobrinho de Rameau e A Religiosa. O professor também faz um paralelo entre a filosofia alemã, a francesa e a inglesa.

Sobre o Materialismo ateu

O professor Mateus Salvadori, dessa vez, comenta o livro Carta sobre os cegos. No vídeo, é explicado o conceito de materialismo ateu na filosofia de Diderot. Ele explica a metáfora do cego na obtenção do conhecimento, para falar da investigação e da abstração.

Nessa matéria, vimos os principais pensamentos de Diderot, importante filósofo iluminista que criticou o absolutismo e defendeu a liberdade individual. Gostou do tema? Confira o iluminismo de Voltaire.

Referências

Convite à Filosofia (2004) – Marilena Chauí
Filosofando: introdução à filosofia. (2009) – Maria Lúcia Aranha e Maria Helena Martins.
Oser l’Encyclopédie: Un combat des Lumières (2017) – Alain Cernuschi, Alexandre Guilbaud, Marie Leca-Tsiomis, Irène Passeron

Marilia Duka
Por Marilia Duka

Graduada em Filosofia pela Universidade Estadual de Maringá em 2016. Graduanda do 4º ano de Letras Português/Francês na Universidade Estadual de Maringá.

Como referenciar este conteúdo

Duka, Marilia. Denis Diderot. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/filosofia/denis-diderot. Acesso em: 08 de November de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [PUC-RIO 2018]

Com 72.000 verbetes, distribuídos em 17 volumes, a Enciclopédia, ou Dicionário razoado das ciências e dos ofícios (1751- 1772), editada por Denis Diderot e Jean le Rond d’Alembert, é considerada o texto mais representativo do movimento iluminista francês. Em relação à Enciclopédia e ao Iluminismo francês, analise as afirmações abaixo:
I – Considerando como conhecimento válido apenas aquele baseado na Revelação bíblica, a Enciclopédia incluía a maior parte das doutrinas ortodoxas da Igreja.
II – Entre as diferentes formas de conhecimento, a Enciclopédia dava enorme destaque àquelas vinculadas à prática, como as artes e os ofícios, em conformidade com a crença iluminista na capacidade da técnica em dominar a natureza em prol da melhoria da condição humana.
III – A Enciclopédia apresenta uma visão otimista da história como um contínuo progresso material e moral da espécie humana e dos clérigos como os principais agentes desse progresso.
IV – Ao buscar compilar todo o conhecimento humano útil numa obra acessível, a Enciclopédia mostrava-se fiel à convicção iluminista de que a instrução seria capaz de libertar os homens da superstição, do fanatismo e da violência, tornando-os melhores e mais virtuosos.
Estão corretas APENAS as afirmações
Alternativas
A) II e IV
B) I e IV
C) I e Il
D) II e III
E) III e IV

Alternativa A está correta.
A Enciclopédia teve por objetivo difundir os pensamentos iluministas, baseados na razão. Além disso, tinha por objetivo reunir todo o conhecimento produzido até aquela época.

2. [PUC-PR 2014]

“Achamos que o maior serviço a prestar aos homens é ensiná-los a usar a razão, a somente aceitar como verdade aquilo que verificaram e comprovaram”.

Esse pensamento é de Denis Diderot e expressa o cerne do movimento:

a) Romântico.
b) Protestante.
c) Iluminista.
d) Calvinista.
e) Absolutista.

Alternativa C está correta. Denis Diderot é um filósofo iluminista, cujo principal pensamento é o uso da razão.

Compartilhe

TOPO