Iluminismo

O Iluminismo influenciou uma série de transformações políticas e sociais no século XVIII.

O iluminismo é uma filosofia que impactou a história ocidental do século XVIII com grandes transformações políticas e culturais. No entanto, desde o século XVI o iluminismo estava surgindo na França com pensadores que se apoiavam na ciência e na razão.

Desse modo, ideais de racionalidade, liberdade e virtudes humanas foram pregadas pelo iluminismo. Para a época, esse era um movimento revolucionário que rompia com o passado dominado pela Igreja católica e a monarquia. Entenda mais do assunto a seguir.

Contexto histórico

Pintura representando Galileu Galilei sendo coagido pela Igreja Católica
Galileu de frente para a Inquisição romana, por Cristiano Banti (1857)

A pintura acima, do cientista Galileu Galilei sendo interrogado pela Inquisição da Igreja Católica, representa um lado importante do movimento iluminista. De fato, em 1633, ele foi detido pela Igreja por defender a ideia de que a Terra girava em torno do Sol. Ou seja, Galileu Galilei contrariava os dogmas religiosos e tradicionais por meio da ciência.

Entretanto, foi só no século XVIII que o Iluminismo se configurou como um movimento político e cultural. Em resumo, os iluministas contestavam o sistema político da monarquia e uma tradição baseada nos dogmas religiosos.

Para a burguesia em ascensão no século XVIII, as ideias iluministas foram importantes para defender o liberalismo econômico. Nesse contexto, foram importantes pelo menos três acontecimentos: a Revolução Francesa, a Revolução Industrial e a Independência Americana.

Características do Iluminismo

  • Racionalismo: a Razão surge no Iluminismo como uma propriedade humana. Assim, por meio dela é que é possível desvendar o mundo, ou seja, lançar uma luz – daí o nome “Iluminismo” – nos fenômenos naturais.
  • Cientificismo: com o Iluminismo, a ciência é contraposta à religião, sendo considerada a forma mais confiável e verdadeira de conhecimento.
  • Progresso: por meio da Razão e da ciência, a humanidade seria capaz de se aprimorar e alcançar cada vez mais um estado aperfeiçoado. Por essa razão, os tempos passados dominados pela Igreja Católica foram chamados de “séculos das trevas”.
  • Liberalismo: uma das maiores críticas do movimento burguês contra o sistema monárquico é a concentração de privilégios nas mãos de poucos. Na ideia liberal, todos os indivíduos devem ser iguais, liberando-os das tradições e das amarras sociais.
  • “Liberdade, igualdade e fraternidade”: esse é um lema conhecido da Revolução Francesa. A frase mostra a força que os ideais iluministas tiveram para desencadear tais mudanças sociais.
  • Virtudes: os filósofos iluministas são também conhecidos por pensarem a respeito das virtudes humanas. Nesse sentido, o ser humano passa o centro da reflexão, substituindo a figura de Deus.
  • Modernidade: o momento de apogeu do Iluminismo foi considerado o “século das luzes”, em contraposição aos “séculos das trevas” passados. Desse modo, o pensamento iluminista situa o momento atual como o mais moderno, e o passado como sempre uma versão atrasada do presente.

Principais pensadores iluministas

Alguns autores, sobretudo filósofos, foram importantes para formar o pensamento iluminista. Com efeito, por meio dessas figuras as ideias do Iluminismo foram propagadas em diferentes regiões. Veja alguns deles:

Francis Bacon

Para muitos, é um precursor do que foi o movimento iluminista. Afinal, Bacon argumentou e formulou sobre um método científico e enfrentou resistências da Igreja e da tradição pelas suas ideias.

John Locke

É um conhecido filósofo, considerado o “pai do liberalismo”. Em seu contexto, defendia que os súditos da Coroa inglesa fossem considerados como cidadãos. Assim, teorizou sobre os direitos individuais, a cidadania e a responsabilidade em relação ao Estado.

Montesquieu

Ficou conhecido por defender a divisão do Estado entre o Legislativo, Executivo e o Judiciário. Além disso, formulou leis a partir de uma ordem natural, argumentando por uma aproximação da ciência com a política, ao invés da religião.

Rousseau

Rousseau é um representante do contratualismo. Para o Iluminismo, contribuiu com suas reflexões sobre o progresso humano, a liberdade e, principalmente, a defesa da soberania do povo.

Descartes

É um dos grandes responsáveis pelas ideias racionalistas que tanto fundamentam o Iluminismo. O autor teve a importância do questionamento dos costumes e do modo de pensar tradicional, colocando a Razão em seu lugar.

Adam Smith

É conhecido por desenvolver a filosofia liberal. Segundo o autor, o Estado deveria proporcionar a liberdade econômica e se engajar nos processos capitalistas de produção.

Quesnay

É o pensador da fisiocracia, considerada a primeira vertente de uma teoria política que era científica. Desse modo, suas ideias se relacionam com o Iluminismo por propor que leis naturais poderiam guiar a vida política.

Além destes, outros autores como Condorcet, Voltaire e Kant podem ser considerados como representantes ou relacionados às ideias do Iluminismo. De todo modo, é importante ter em mente a extensão e a força que teve o movimento iluminista, propondo a necessidade de uma transformação social.

Iluminismo no Brasil

As ideias iluministas da Europa chegaram ao Brasil pela chamada “Geração de 1870”. Assim, esses intelectuais fomentaram os princípios do Iluminismo sobre a liberdade, o racionalismo, o progresso e a ciência.

Na época, o Iluminismo ainda continha uma força de contestação e de transformação. Consequentemente, essas ideias fomentaram o processo de uma mudança no Brasil, que já enfrentava uma crise do Império. Em resumo, o pensamento iluminista acabou influenciando fortemente o movimento republicano, que teria sua vitória alguns anos depois.

Saiba mais sobre Iluminismo

O Iluminismo é um assunto bastante abordado e conhecido em diversas disciplinas. Por essa razão, vale a pena conhecer as diversas perspectivas sobre esse pensamento e refletir sobre como ele influencia a vida social atual. Confira abaixo uma lista de vídeos que podem ajudar a estender sua compreensão do Iluminismo:

Revisão ilustrada do tema

Para entender melhor os assuntos tratados acima sobre o Iluminismo, confira este vídeo que revisa alguns dos pontos já trabalhados. Além disso, rever o tema de forma visual pode ajudar a memorizá-lo.

Os diferentes Iluminismos

Apesar do Iluminismo francês ser aquele mais conhecido e utilizado como um modelo para explicação, essa filosofia aparece de modos distintos em outros países. Assim, conheça essas “versões” do Iluminismo que nasceram em contextos diferentes da França.

A relação entre Iluminismo e Revolução Francesa

A partir do vídeo acima, entenda mais sobre como o Iluminismo foi uma filosofia importante para a Revolução Francesa. De fato, esse foi um dos movimentos políticos mais marcantes na história ocidental. Portanto, é importante explanar o assunto.

Entendendo o Iluminismo nas democracias atuais

O Iluminismo influenciou uma série de políticas no ocidente. Entretanto, a democracia e o que pensamos a respeito desse sistema é especialmente influenciado pelo pensamento iluminista. Veja sobre esse tema no vídeo.

Desse modo, estudar a história ocidental faz com que nos deparemos, cedo ou tarde, com a importância do Iluminismo. Consequentemente, torna-se imprescindível compreender o seu contexto de surgimento e as razões pelas quais ainda hoje é uma filosofia tão influente.

Referências

As grandes revoluções do século XVIII e o Iluminismo – Odair Vieira Silva;

Iluminismo e revolução nas ideias e nas práticas políticas da “Ilustração” brasileira – Dievani Lopes Vital;

O pensamento iluminista e o desencantamento do mundo – Vico Denis S. de Mello; Manuella Riane A. Donato.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Graduando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [FGV]

“O homem nasce livre, e por toda a parte encontra-se a ferros. O que se crê senhor dos demais, não deixa de ser mais escravo do que eles (…) A ordem social é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. Tal direito, no entanto, não se origina da natureza: funda-se, portanto, em convenções.”
J.J. Rousseau, Do contrato social. in: Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1978, p. 22.
A respeito da citação de Rousseau, é correto afirmar:
a. Aproxima-se do pensamento absolutista, que atribuía aos reis o direito divino de manter a ordem social.
b. Filia-se ao pensamento cristão, por atribuir a todos os homens uma condição de submissão semelhante à escravatura.
c. Filia-se ao pensamento abolicionista, por denunciar a escravidão praticada na América, ao longo do século XIX.
d. Aproxima-se do pensamento anarquista, que estabelece que o Estado deve ser abolido e a sociedade, governada por autogestão.
e. Aproxima-se do pensamento iluminista, ao conceber a ordem social como um direito sagrado que deve garantir a liberdade e a autonomia dos homens.

Resposta: e

Justificativa: os ideais de liberdade e de autonomia aos indivíduos se relacionam com o pensamento iluminista, do qual Rousseau é próximo.

2. [UEBA]

No período do Iluminismo, no século XVIII, o filósofo Montesquieu defendia:
a. divisão da riqueza nacional.
b. divisão dos poderes executivo, legislativo e judiciário.
c. divisão da política em nacional e internacional.
d. formação de um Poder Moderador no Congresso Nacional.
e. implantação da ditadura moderna.

Resposta: b

Justificativa: Montesquieu é conhecido como o filósofo que propôs a divisão do poder político.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO