Cinema Novo

Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça: conheça o movimento que marcou o cinema no Brasil.

Movimento artístico do cinema brasileiro, o Cinema Novo revolucionou a estética, a temática e o sentido da produção de filmes nacionais. Instigado por artistas críticos e conscientes das diferenças sociais, esse cinema se propôs a revelar as desigualdades e questões sociais da sociedade brasileira. Um cinema de baixo custo de produção, oposto ao ideal da indústria do entretenimento.

História do Cinema Novo

Historiadores acreditam que o movimento possa ter iniciado em 1953 e se estendido até 1970 em diversas regiões do país. Desenvolvido por artistas politicamente engajados, teve como principal característica evidenciar questões sociais e políticas, principalmente da desigualdade econômica em estados fora do eixo Rio-São Paulo. Além disso, foi uma resposta dos artistas ao crescimento das grandes produções nacionais e estrangeiras de puro entretenimento.

O lema do movimento: uma câmera na mão e uma ideia na cabeça, defendido por Glauber Rocha, revela a ânsia dos cineastas em produzir obras com baixo custo de produção, mas que revelam a realidade social do país. Os filmes produzidos apresentam quebras das narrativas conhecidas, uma estética da fome que era associada a miséria e a estética da violência.

Influências

O movimento desenvolvido pelos cineastas brasileiros teve influencias ideológicas e estéticas de outros movimentos do cinema europeus, que também contestavam situações políticas. O Neorealismo Italiano e a chamada Novelle Vegue influenciaram o Cinema Novo, principalmente pela contestação as grandes produções hollywoodianas de cunho político esvaziado. Esses dois movimentos influenciaram esteticamente a visualidade construída pelo movimento brasileiro.

Desenvolvimento temporal

Com fins didáticos, alguns pesquisadores elencam três fases para o Cinema Novo. A primeira refere-se ao filmes que traziam uma discussão de conflitos políticos e da realidade nordestina. A segunda se dá aos filmes que criticavam a classe burguesa e seus limites éticos. A terceira, que se deu no contexto da ditatura, apresenta filmes com caráter alegórico e violento.

Cinema Novo e a ditadura militar

O Cinema Novo teve parte do seu desenvolvimento durante a ditadura a partir de 1964 que influenciou a produção nas temáticas e no cuidado em relação a censura. Nesse sentido, os filmes tocam em aspectos do moralismo e do patriotismo fortalecido pelo regime. A terceira fase do movimento se deu no momento de maior fervor da censura e refletiu numa produção que quebrava com as ilusões alimentadas pela lógica burguesa moralista.

Cinema Novo e o Tropicalismo

Com influência dos artistas da Tropicália, os cineastas do Cinema Novo se aprofundaram nas compreensões do canibalismo e da formação de um cinema brasileiro genuíno, que apresentava caráter alegórico e que visava atingir um grande público. Os filmes desse momento são associados a presos políticos e soam como retrato de uma época de desespero.

Características

Mesmo com a diferença nas intenções de cada cineastas e nos diferentes momentos do Cinema Novo, é possível visualizar algumas características que o fudam como movimento artístico.

  • Baixo orçamento: pelo cunho político e os investimentos voltados aos filmes comerciais, as produções eram independentes e feitas com baixo orçamento, equipe e recursos. Mas mesmo assim, os cineastas produziram grandes obras artísticas.
  • Realismo: por influência do Neorealismo Italiano, a estética é totalmente realista e de fato revela as denúncias propostas em cada obra.
  • Estética da fome: no sentido de evidenciar a desigualdade, a estética da fome, principalmente na primeira fase, revelam um estado de pobreza e miséria do povo retratado nos filmes.
  • Violência: a violência é um ponto recorrente nas cenas e demonstram a força dos trabalhos e temas discutidos.
  • Quebra da narrativa: como fuga das produções comerciais, as produções não apresentam a lógica narrativa hollywoodiana, não seguem uma cronologia óbvia nem um sentido dramático. Há grande influência de um trabalho mais documental que narrativo.

As produções dos diferentes artistas, obviamente apresentam outras características, contudo essas sintetizam genericamente a ideia do que representou o movimento na história do cinema brasileiro.

Principais cineastas e filmes

Dentre os principais de muitos nomes do movimento, podemos destacar Glauber Rocha, Nelson Pereira dos Santos, Leon Hirszman e Ruy Guerra. Esses cineatas produziram algumas das principais obras do movimento que merecem destaque. Vejamos alguns a seguir.

”Rio, 40 Graus” de Nelson Pereira dos Santos – 1955

Rio, 40 graus – 1955 – Fonte: Obvious

Considerado um marco para o Cinema Novo, esse filme tem caráter documentário e retrata a vida de pessoas de uma favela do Rio de Janeiro que vendem amendoim por bairros nobres. Já censurado pelos militares, mostra a realidade brasileira da época.

”Deus e O Diabo Na Terra do Sol” de Glauber Rocha – 1964

Deus e O Diabo na Terra do Sol – 1964 – Fonte: Itaú Cultural

Com esse filme Glauber Rocha é consagrado um grande nome do movimento. O filme conta a história da personagem Rosa e seu marido, que assassinam o patrão explorador e saem em busca de refúgio, onde matam um importante religioso que os acolheu.

”Garota de Ipanema” de Leon Hirszman – 1967

Atriz Marcia Rodrigues no filme Garota de Ipanema – 1972 – Fonte: WikiCommons

Inspirado na composição de Tom Jobim, retrata a história de uma menina de classe média e seus temores pelo futuro.

”Os Fuzis” de Ruy Guerra – 1964

Os Fuzis – 1964 – Fonte: Wikipédia

Esse filme trata da história de soldados que são enviados ao nordeste para conter assaltos a armazéns por conta da fome que se alastrava.

”Terra em Transe” de Glauber Rocha – 1967

Terra em Transe – 1967 – Fonte: Itaú Cultural

Retrata a situação do Brasil após o golpe da ditadura militar, a partir da vida de um poeta considerado populista em ascensão. O filme aborda a relações entre militares, militantes, intelectuais e políticos numa disputa de poder.

Estas obras são apenas algumas das inúmeras produzidas no período. Algumas destacam-se pela importância e reconhecimento internacional em festivais de cinema, e também, pela influência em outros movimentos do cinema que surgiram posteriormente.

Vídeos sobre o cinema da câmera na mão e a ideia na cabeça

Para te auxiliar nos estudos sobre o assunto, selecionamos alguns vídeos para fixar as informações apresentadas, mas que além disso, vão te permitir ver alguns trechos dos filmes de grande relevância.

Introduzindo ao Novo

Nesse vídeo, Marden faz uma panorama sobre os principais fatos do Cinema Novo no Brasil e antes de apresenta-los, destaca alguns outros momentos e períodos do cinema mundial no período que o antecedeu.

Mais um pouco do contexto

Esse vídeo do Canto dos Clássicos vai brevemente destacar pontos relevantes para compreende o que foi o Cinema Novo no Brasil, além de exibir algumas imagens dos filmes do movimento.

Cinema de fases e transformações

No vídeo do canal Cinédito, que é composto totalmente por trechos de filmes importantes desse movimento, podemos entender com um pouco mais de detalhes sobre as diferenças entre as três fases adotadas na definição do movimento.

O Cinema Novo é muito relevante, não apenas para a história do cinema no país, mas para o desenvolvimento cultural e político da arte brasileira. Nesse sentido, aprofunde seus estudos conhecendo uma pouco mais sobre o Tropicalismo.

Referências

CINEMA Novo. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: . Acesso em: 12 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia.
DEUS e o Diabo na Terra do Sol. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: . Acesso em: 12 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia.
RAMOS, Fernão. Breve Panorama do Cinema Novo. Revista Olhar, Florianópolis, v. 2, n. 4, p. 1-5, dez. 2000.
RIO, 40 Graus. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: . Acesso em: 12 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia
TERRA em Transe. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: . Acesso em: 12 de Set. 2020. Verbete da Enciclopédia.

Por Vanderlei Bachega Junior
Como referenciar este conteúdo

Bachega Junior, Vanderlei. Cinema Novo. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/cinema-novo. Acesso em: 21 de October de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [FGV]

Na mesma época da Bossa Nova na música, surgia o Cinema Novo. Entre 1960 e 1962, um grupo de jovens cineastas, entre eles Glauber Rocha, Arnaldo Jabor, Ruy Guerra, além do veterano Nelson Pereira dos Santos, preconizava a necessidade de um cinema ousado, em forma e conteúdo (…)
(Marcos Napolitano. Cultura brasileira: utopia e massificação (1950-1980), 2001.)

Sobre essa ousadia “em forma e conteúdo”, é correto afirmar que o Cinema Novo

A) trabalhava com paródias de superproduções do cinema europeu e usava de referências carnavalescas para representar o gosto popular pelos melodramas.
B) defendia um cinema de autor, com a utilização de um cenário natural, mostrando a realidade brasileira marcada por relações sociais conflituosas.
C) negava destaque aos problemas contemporâneos e tinha como temática a recuperação de um passado mítico brasileiro, sob uma estética futurista.
D) seguia os padrões hollywoodianos quanto à temática do progresso e recebia decisivo apoio financeiro da Ancine — Agência Nacional do Cinema.
E) reconhecia, na harmonia social e racial brasileira, o elemento básico para a compreensão da realidade econômica do país.

Reposta: B

2. [UEM]

O Cinema Novo foi um importante movimento para a
história do cinema brasileiro. Considerando as
características da produção dos cineastas que se
associaram às ideias do Cinema Novo, assinale o que for
correto.
01) De forma antropofágica, o Cinema Novo buscou uma
estética universalista, ao enfocar temáticas
internacionais com o objetivo de inserir o Brasil no
cenário do cinema mundial.
02) Glauber Rocha foi um dos cineastas mais influentes
do Cinema Novo.
04) Uma das principais características do Cinema Novo
foi a representação da realidade brasileira.
08) O Cinema Novo só foi possível de ser realizado
graças aos caros recursos técnicos provenientes da
falência dos estúdios cinematográficos de São Paulo.
16) Um dos filmes mais importantes para a estética do
Cinema Novo, que contribuiu para o reconhecimento
do grupo, foi O Auto da Compadecida, dirigido por
Guel Arraes.

Somatória: 19 (01+02+16)

Compartilhe

TOPO