Ciência política

A ciência política é um campo de estudos que tem por objeto os direitos relativos às formas de organização do Estado.

A ciência política é um dos campos das ciências sociais, dedicado especificamente ao estudo das formas de organização política estruturadas pelos seres humanos para o convívio pacífico em sociedade. Desse modo, é sua responsabilidade entender e moldar noções relativas às possibilidades de ação humana e institucional que beneficiem a coletividade. Veja a seguir alguns aspectos históricos e seus principais conceitos.

História e importância

A ciência política é um campo de grande importância para o estudo progressivo dos mecanismos de poder e das formas de organização social, estudando-os desde as primeiras teorizações, que remontam à Antiguidade, a exemplo das obras de Aristóteles e Platão. Entretanto, ao longo da história, muitos outros autores considerados teóricos políticos contribuíram para a construção de uma gama de referenciais a respeito das formas de organização política em sociedade.

Teóricos como Nicolau Maquiavel, Jean Bodin, Thomas Hobbes, John Locke, Montesquieu e Voltaire forneceram preciosas contribuições para o entendimento acerca dos modos de organização da vida em sociedade. Tais contribuições elucidam aspectos que perpassam ações esperadas de um governante, a configuração da racionalidade absolutista, iluminista, liberal, bem como noções de justiça, liberdade, igualdade e democracia, entre outros aspectos.

A institucionalização da ciência política

Embora esses e outros teóricos tenham contribuído para a construção de um campo basilar a partir do qual se possa pensar as estruturas sociais, foi com o historiador estadunidense Herbert Baxter Adams que o campo da ciência política veio a se institucionalizar, em 1880. Adams criou o termo, portanto, para designar um campo de estudo dedicado ao entendimento rigoroso dos mecanismos de progressão social na esfera da vida política.

No Brasil, a ciência política se institucionalizaou em meados de 1960, por meio da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), tendo como nomes representativos no País os de Fábio Wanderley Reis, Wanderley Guilherme dos Santos e Leonardo Avritzer. Além disso, em 1975 foi fundada a Associação Brasileira de Ciência Política–ABCP, com objetivo de fomentar o debate bianual acerca de interesses comuns esse campo.

Conceitos fundamentais da ciência política

Para atingir a finalidade de compreender e formular os modos de organização da vida em sociedade, quatro conceitos são fundamentais para o campo de estudos da ciência política. São eles:

  1. Cidade: as cidades são as primeiras formas de instituição e organização política de grupos de pessoas, possibilitada com a formulação e de uma estrutura jurídica específica e bem delimitada. Essa forma de organização nasceu na Grécia Antiga, decorrente de preocupações políticas que culminaram no surgimento da cidade-estado, também chamada de pólis.
  2. Estado: a noção de Estado faz alusão a um conjunto de instituições de caráter político que auxiliam na regulação da soberania de um determinado território e de uma população específica. Desse modo, o Estado busca delimitar e estabelecer normas e leis que regimentam e regulamentam a vida em sociedade.
  3. Cidadania: a cidadania refere-se ao conjunto de direitos e deveres que constitui o exercício da vida política dos indivíduos em sociedade. Ela existe em todas as formas de organização política, variando apenas em abrangência, conforme o nível de poder permitido pelo dispositivo em que se exerce (ex.: aristocracia, oligarquia, absolutismo, democracia).
  4. Direitos: os direitos constituem um conjunto de normas que são coercitivamente executáveis, reconhecidas, estabelecidas e/ou aplicáveis por órgãos institucionalizados que regulam a vida em sociedade. Especificamente os direitos civis e políticos são os objetos de estudo da ciência política, em seu conjunto com a ciência jurídica.

Esses são os conceitos fundamentais em torno dos quais se configuram os processos relacionados ao campo de estudos da ciência política. Para saber mais sobre eles, bem como sobre outros elementos desse campo, confira os vídeos a seguir.

Saiba mais sobre a ciência política

Na sequência você encontra vídeos complementares ao conteúdo apresentado nesta matéria, contribuindo para a compreensão a respeito dos elementos que caracterizam a ciência política. Não deixe de conferir.

Entendendo ciência política

Neste vídeo, você confere de forma muito didática o que faz e estuda a ciência política. Assita ao vídeo e anote tudo!

O que é ciência política?

Esse vídeo apresenta brevemente a noção de ciência política, comentando sobre o conceito e o objeto de estudo desse campo. Veja e entenda.

Introdução à ciência política

Esse vídeo faz uma introdução à ciência política enquanto disciplina e campo de estudos, aprofundando alguns aspectos apontados nesta matéria, como os precursores desse campo e os aspectos aos quais ele se volta. Confira para entender melhor a organização desse campo.

Esta matéria abordou aspectos históricos da ciência política, ressaltando sua importância e sua institucionalização. Além disso, apresentou conceitos fundamentais para esse campo de estudos. Continue estudando sobre questões que perpassam a vida em sociedade conferindo a matéria sobre desigualdade social no Brasil.

Referências

A emergência da ciência política no Brasil: aspectos institucionais (1997) – Maria Cecília Spina Forjaz.

A gênese da ciência política brasileira (2010) – Fábio Cardoso Keinert e Dimitri Pinheiro Silva.

Historia y desarrollo de la ciencia política en América Latina: reflexiones sobre la constitución del campo de estúdios (2015) – Pablo Bulcourf, Enrique Gutiérrez e Márquez Nelson Cardozo.

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Professor mestrando em Educação Física formado pela Universidade Estadual de Maringá. Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Temáticas estudadas envolvem corpo, subjetividade, discurso, cultura e saúde.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Ciência política. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/sociologia/ciencia-politica. Acesso em: 08 de October de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [VUNESP-2019]

“Democracia” é, como se sabe, uma palavra grega. A segunda metade da palavra significa “poder” ou “governo” […]. Démos era uma palavra de múltiplas significações, entre as quais “o conjunto do povo” (ou, para ser mais preciso, o corpo de cidadãos.)

(Moses I. Finley. Democracia antiga e democracia moderna, 1976)

Considerando o excerto e conhecimentos sobre a história dos sistemas políticos, é correto afirmar que a democracia foi

A) baseada na igualdade econômica dos indivíduos.

B) derivada das relações internacionais pacíficas entre Estados.

C) concedida às populações empobrecidas pelas elites militares.

D) adotada diversamente ao longo das experiências sociais.

E) garantida pela permanência da tradição cultural clássica.

A resposta correta é a alternativa D) adotada diversamente ao longo das experiências sociais.

O caráter democrático das formas de organização social pressupõe a adaptação das sociedades às necessidades e características de cada sociedade, em um determinado contexto, período histórico e sob condições de vida específicas. Desse modo, a democracia se apresenta e é adotada de diferentes modos, conforme as experiências de cada sociedade.

2. [CESPE-2019]

No âmbito da ciência política, a linha de pensamento a respeito de poder que estimula a participação ampla de distintos grupos sociais na definição da agenda pública e que reconhece que o poder deve ser dinâmico é denominada

A) elitista.
B) marxista.
C) pluralista.
D) racional-legal.
E) anarquista.

A resposta correta é a alternativa C) pluralista.

A concepção de poder de modo plural é uma noção ampliada do termo, de modo a incluir a participação de distintos grupos sociais nas decisões políticas, do mesmo modo em que estimula que essas decisões ocorram de forma dinâmica, o que pressupõe uma pluralidade de participações.

Compartilhe

TOPO