Parlendas

A parlenda é um gênero oral e popular culturalmente direcionado às crianças, por apresentar linguagem simples e de fácil memorização.

Desde pequenos estamos em contato com a literatura, em um primeiro momento através de gêneros orais como as cantigas de ninar, as cantigas de roda, as fábulas e as parlendas. Conheça mais sobre esse último gênero a seguir: saiba o que são, quais as características e veja exemplos de parlendas!

O que são parlendas?

Palavra Cantada

A palavra parlenda é derivada do termo latino parlare, que significa “falar”, “conversar”. Assim, parlenda é um gênero poético introduzido no folclore brasileiro e disseminado pela cultura popular. Corresponde a um conjunto de palavras de caráter lúdico e nem sempre com nexo, geralmente recitadas com acompanhamento musical. Convencionou-se direcionar as parlendas ao público infantil, como forma de entretenimento e diversão.

As parlendas são muito utilizadas pelas escolas na educação da primeira infância, para fomentar a sociabilidade e o desenvolvimento da memória das crianças através das brincadeiras coletivas.

Características das parlendas

As parlendas apresentam pequenos versos, geralmente com rimas, de linguagem simples e atrativa. O conteúdo temático é de caráter lúdico, para entreter e aguçar a imaginação dos ouvintes. As parlendas apresentam muitos jogos de palavras, onomatopeias e repetições, em um plano sonoro de ritmo e melodia bem marcados; por isso, sua estética é construída pela sonoridade.

12 parlendas populares

Há parlendas para brincar de dizer ou escolher algo, brincar com a memória, com trava-línguas, com números e jogos de bate-mão ou até mesmo para pular corda. As parlendas também são comuns nos folguedos populares (festas folclóricas ou religiosas); um exemplo clássico é o estilo tangolomango, uma parlenda longa que conta uma história. A seguir, listamos parlendas populares para você conferir:

Hoje é domingo
Pé de cachimbo
O cachimbo é de barro
Bate no jarro
O jarro é fino
Bate no sino
O sino é de ouro
Bate no touro
O touro é valente
Bate na gente
A gente é fraco
Cai no buraco
O buraco é fundo
Acabou-se o mundo.

Uni, duni, tê
Salame minguê
O sorvete colorê
O escolhido foi você!

Dedo mindinho,
Seu vizinho,
Pai de todos,
Fura bolo,
Mata piolho.

O rato roeu a roupa
do rei de Roma.
E a rainha, de raiva,
roeu o resto.

Lá em cima do piano
Tinha um copo de veneno
Quem bebeu, morreu
O azar foi seu!

A galinha do vizinho
Bota ovo amarelinho
Bota um, bota dois, bota três
Bota quatro, bota cinco, bota seis
Bota sete, bota oito, bota nove
Bota dez!

Um, dois
Feijão com arroz
Três, quatro
Feijão no prato
Cinco, seis
Falar em inglês
Sete, oito
Comer biscoito
Nove, dez
Comer pastéis.

Batalhão, lhão, lhão,
Quem não entrar é um bobão.
Abacaxi, xi, xi,
Quem não sai é um saci.
Beterraba, aba, aba,
Quem errar é uma diaba.
Borboleta, leta, leta,
Quem errar é um capeta.

Com quem você
Pretende se casar?
Loiro, moreno
Neguinho, sarará
Rei, capitão
Soldado ou ladrão
Mocinho bonitinho
Do meu coração
Suco gelado
Cabelo arrepiado
Qual é a letra
Do seu namorado
A, B, C…
Aonde você
Pretende morar?
Casa, apartamento
Chiqueiro ou galinheiro

Cadê o toucinho daqui?
O gato comeu.
Cadê o gato?
Foi pro mato.
Cadê o mato?
O fogo queimou.
Cadê o fogo?
A água apagou.
Cadê a água?
O boi bebeu.
Cadê o boi?
Foi amassar o trigo.
Cadê o trigo?
A galinha espalhou.
Cadê a galinha?
Foi botar ovo.
Cadê o ovo?
O padre comeu.

Galinha choca
comeu minhoca
saiu pulando
que nem pipoca

TANGOLOMANGO
Eram nove irmãs numa casa
Foram fazer biscoito;
Deu o tangolomango numa,
Não ficaram, meu bem, senão oito.
Estas oito, meu bem, que ficaram
Foram jogar os três-sete;
Deu o tangolomango numa
Não ficaram, meu bem, senão sete.
Estas sete, meu bem, que ficaram,
Foram todas jogar o xadrez;
Deu o tangolomango numa,
Não ficaram, meu bem, senão seis.
Destas seis, meu bem, que ficaram,
Uma foi limpar o brinco;
Deu o tangolomango nela,
Não ficaram, meu bem, senão cinco.
Destas cinco, meu bem, que ficaram,
Uma foi lavar um prato;
Deu o tangolomango nela,
Não ficaram, meu bem, senão quatro.
Destas quatro, meu bem, que ficaram,
Uma foi aprender o francês;
Deu o tangolomango nela,
Não ficaram, meu bem, senão três.
Estas três, meu bem, que ficaram,
Foram todas correr as ruas;
Deu o tangolomango numa,
Não ficaram, meu bem, senão duas.
Estas duas, meu bem, que ficaram,
Foram comprar uma varruma;
Deu o tangolomango numa delas,
Não ficaram, meu bem, senão uma.
Esta uma, meu bem, que ficou,
Foi à igreja fazer oração;
Deu o tangolomango nela,
E acabou-se de todo a geração.

Lembrou de alguma parlenda que você já ouviu durante a infância? Além dos exemplos citados aqui, existem inúmeras outras parlendas espalhadas pelo Brasil, que tematizam aspectos da cultura local de cada região.

Vídeo sobre parlendas

Agora, confira o vídeo que separamos para você sobre a última parlenda apresentada nos exemplos.

Tangolomango

Nesse vídeo, o Quintal da Cultura declama a parlenda do tangolomango ensinando a contagem regressiva para as crianças.

Conforme você viu, as parlendas fazem parte do folclore brasileiro e podem tratar dos mais diversos temas a partir de uma linguagem simples e ritmada; por isso, a maioria delas é de domínio público. Que tal aprender sobre outro gênero da literatura oral? Conheça também as características das fábulas!

Referências

Dicionário do folclore brasileiro (1954) – Luís da Câmara Cascudo
Parlendas para brincar (2005) – Josca Ailine Baroukh e Lucila Silva de Almeida
Tangolomango: ensalmos, benzimentos e parlendas nas práticas de cura e folguedos populares (2012) – Argus Vasconcelos de Almeida

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Parlendas. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/parlendas. Acesso em: 28 de November de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [UEM]

Sobre o universo infantil das brincadeiras, assinale o que for correto.

01) O rato roeu a roupa do rei de Roma é uma parlenda que integra o universo das brincadeiras infantis.
02) Vai-te cuca, sai daqui
Para cima do telhado
Deixa dormir o menino
O seu sono sossegado

Esse verso integra as lendas de cucas que acompanham a infância brasileira e que se inserem nas brincadeiras das crianças.
04) Boi da cara preta, Se esta rua fosse minha e Capelinha de melão são ditados populares recitados pelas crianças, os quais apresentam uma função moral que ensina e educa.
08) Serra serra serrador constitui um exemplo de trava-língua cuja função é entreter e ensinar crianças, associando ritmos sonoros e movimentos corporais.
16) Charadas e adivinhas constituem-se de perguntas usualmente feitas pelas crianças e incitam o raciocínio lógico para a obtenção de resposta, como: o que é o que é: que quando corta não dói e quando quebra dói?

Soma: 21
Alternativas corretas: 1, 4 e 16.

2. [ENEM]

O antropólogo americano Marius Barbeau escreveu o seguinte: sempre que se cante a uma criança uma cantiga de ninar; sempre que se use uma canção, uma adivinha, uma parlenda, uma rima de contar, no quarto das crianças ou na escola; sempre que ditos e provérbios, fábulas, histórias bobas e contos populares sejam representados; aí veremos o folclore em seu próprio domínio, sempre em ação, vivo e mutável, sempre pronto a agarrar e assimilar novos elementos em seu caminho.
(UTLEY, F. L. Uma definição de folclore. In: BRANDÃO, C. R. O que é folclore. São Paulo: Brasiliense, 1984 -adaptado)

O texto tem como objeto a construção da identidade cultural, reconhecendo que o folclore, mesmo sendo uma manifestação associada à preservação das raízes e da memória dos grupos sociais,

A) está sujeito a mudanças e reinterpretações.
B) deve ser apresentado de forma escrita.
C) segue os padrões de produção da moderna indústria cultural.
D) tende a ser materializado em peças e obras de arte eruditas.
E) expressa as vivências contemporâneas e os anseios futuros desses grupos.

Resposta: A
Justificativa: conforme a fala de Marius Barbeau, o folclore está “sempre em ação, vivo e mutável, sempre pronto a agarrar e assimilar novos elementos em seu caminho”.

Compartilhe

TOPO