Onomatopeia

Onomatopeia é uma das figuras de linguagem usadas para tornar a mensagem mais expressiva.

Na língua portuguesa, temos recursos para que possamos tornar as mensagens que desejamos passar mais significativas ou mais expressivas, e esses recursos podem acabar trazendo uma amplificação no significado das orações, ou ainda acabar suprindo as lacunas que podem ser encontradas nas frases.

As figuras de linguagem são divididas em onomatopeia, metáfora, assíndeto, hipérbole, polissíndeto, eufemismo, aliteração, ironia, gradação, elipse, sinestesia, zeugma, anáfora, comparação, pleonasmo, metonímia, prosopopeia, antítese e paradoxo.

Onomatopeia

Imagem: Reprodução

Em textos, é comum encontrarmos algumas palavras que reproduzem ruídos, barulhos e sons distintos, e é justamente isso que denominamos como onomatopeia: a figura de linguagem que nos permite fazer uso de alguns vocábulos para representar sons na forma escrita. Quando você lê TIC TAC, a primeira coisa que vem à mente, é um relógio, e ao ler DING DONG, lembramos direto do som da campainha, não é mesmo? É justamente para isso que serve a onomatopeia, para especificar essa reprodução dos sons.

A onomatopeia é categorizada como uma figura de linguagem sonora, tendo como característica principal a imitação dos sons, retratando a forma como são pronunciados, e podemos recorrer a esse recurso da língua quando desejamos transmitir um ruído em um texto. Podemos criar palavras que são arquejos, espirros, tinidos, estrondos, explosões ou estouros, rumores, roncos, entre outros.

Como exemplo, podemos usar “Emília espalhou o pó de pirlimpimpim e “plim, plim”, a mágica aconteceu”, ou ainda “Ela estava com o coração acelerado só de pensar no que poderia acontecer… ‘tum-tum! tum-tum!’”.

Onomatopeias no dia a dia

Pode não parecer, mas as onomatopeias fazem parte do nosso cotidiano mais do que podemos perceber. Quando estamos conversando em aplicativos de mensagem, por exemplo, e alguém manda algo engraçado, rapidamente fazemos uso de onomatopeias, como “ha ha ha”, “rsrsrs” ou ainda “kkkk”. Não podemos, entretanto, confundir as onomatopeias usadas comumente com as abreviações de palavras que são usadas no famoso “internetês”, que na realidade acabam contrariando a norma culta da língua portuguesa. As onomatopeias passam da fala para a língua escrita, são sons que ganham letras e nos ajudam a transmitir a mensagem que desejamos.

A etimologia da palavra remete à sua origem grega “onomatopoiía”, que significa “onoma”, nome ou palavra, e “poiein” que significa dizer, fazer. Podemos, a partir dela, expressar as “falas do corpo”, sons de animais, barulhos, batidas, sons de objetos, entre outros, bastante usados, inclusive, em quadrinhos.

Imagem: Reprodução

Referências

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [ENEM] Em qual das alternativas há uma frase na qual predomina a figura de som onomatopeia?

a) O pé da cadeira quebrou de novo.

b) Nem acredito que encontrei o Totó, o meu melhor amigo.

c) A Tatá me ligou ontem para dizer que não viria.

d) Estava dormindo ainda quando ouvi: cocoricóóóóóó.

e) Minha irmã joga pingue-pongue na escola todos os dias.

02. [FUNCAB] O fragmento transcrito que possui um exemplo de onomatopeia é:

a) “– É mesmo? – respondeu ele. – PentiumII?”

b) “Mas tudo durou pouco, porque um certo escritor amigo meu me telefonou.”

c) “–Clic – fiz eu do outro lado.”

d) “– E como você fica aí, dando risada?”

e) “Bobagem, como logo se veria.”

 

01. [D]

02. [C]

 

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO