Haikai

O haikai é um gênero poético de origem japonesa que explora a sensibilidade a partir de uma linguagem simples e concisa.

O haikai (haicai ou haiku) é um gênero poético de origem japonesa: “hai” significa brincadeira e “kai”, harmonia. Assim, o haikai é um pequeno poema criado para explorar temas de forma alegre, em uma harmonia construída por sua estrutura fixa de 3 versos e 17 sílabas poéticas. Saiba mais a seguir:

O que é haikai

O haikai é um pequeno poema que, em sua essência, expressa a captura de um instante da natureza, conforme propôs Matsuo Bashō (1644–1694), um reconhecido poeta japonês do gênero. No Brasil, o haikai foi introduzido por Afrânio Peixoto (1875-1947) e desenvolvido por escritores como Guilherme de Almeida, Paulo Leminski, Alice Ruiz e Millôr Fernandes.

Estrutura do haikai

Antonio Miranda

O haikai possui apenas uma estrofe com três versos, sendo o primeiro e o terceiro versos de cinco sílabas (pentassílabo ou redondilha menor) e o segundo verso de sete sílabas (heptassílabo ou redondilha maior), totalizando 17 sílabas poéticas.

Características do haikai

De acordo com Bashō, o haikai tematiza o presente (o que acontece no momento da escrita) e precisa fazer isso com linguagem simples e concisa. O tradicional haikai japonês transmite uma percepção sensorial e particular; assim, seu primeiro verso apresenta uma palavra que indica a estação do ano em que a situação descrita acontece. Abaixo, veja as características fundamentais do haikai:

  • Concisão
  • Simplicidade
  • Construção de uma imagem visual
  • Tematização da natureza
  • Exposição de um evento particular
  • Captura do momento presente

Estrutura do haikai

Borboletas e
aves agitam voo:
nuvem de flores.

Nesse haikai de Bashō, os três versos descrevem um evento particular que acontece na primavera, conforme a tematização dos animais e das flores.

Muitos haikais contemporâneos não seguem as características tradicionais do gênero poético japonês, tanto em relação à forma quanto ao conteúdo. Os poemas produzidos por autores brasileiros, por exemplo, agregam elementos da nossa cultura aos poemas.

Exemplos de haikai

A seguir, confira haikais de Bashō e de escritores brasileiros para que você perceba como esse gênero versa sobre a sensibilidade, capturando e transmitindo as ideias com poucas palavras. Acompanhe:

Veste geada
e se forra de vento
bebê na rua.
(Bashō)

Nesse haikai, Bashō nos indica, através da palavra “geada”, que o momento capturado pelo haikai ocorre no inverno.

QUIRIRI

Calor. Nos tapetes
tranquilos da noite, os grilos
fincam alfinetes.
(Guilherme de Almeida)

Guilherme de Almeida situa o verão já no primeiro verso e transmite o som dos grilos com a assonância da vogal “i”.

Noturno

Na cidade, a lua:
a joia branca que boia
na lama da rua.
(Guilherme de Almeida)

O autor mistura a tradição japonesa à inovação do modernismo brasileiro ao atribuir títulos aos haikais.

Nos dias cotidianos
É que se passam
Cincos anos.
(Millôr Fernandes)

Millôr reflete sobre o passar do tempo que, apesar de seguir uma cronologia da natureza, é percebido de diferentes formas por cada pessoa.

Olha,
Entre um pingo e outro
a chuva não molha.
(Millôr Fernandes)

O autor constrói uma imagem visual da chuva, captando um momento particular desse cenário.

Vazio agudo
ando meio
cheio de tudo
(Paulo Leminski)

Leminski atribui aos haikais a ironia característica de sua escrita para expressar os sentimentos humanos.

Rio do mistério
que seria de mim
se me levassem a sério?
(Paulo Leminski)

Esse outro poema de Leminski foi publicado no livro “Distraídos Venceremos” (1987).

diante do mar
três poetas
e nenhum verso
(Alice Ruiz)

Alice ironiza a criatividade humana diante da plenitude da natureza.

sinal fechado
o menino atravessa
escrevendo versos
(Alice Ruiz)

Poema do livro “Jardim de Haijin” (2010), obra de haikais escrita por Alice e dedicada ao público infantojuvenil.

Promoção: use
De-zes-se-te-sí-la-bas
Leve mais cinco
(André Stolarski)

Stolarski ironiza a estrutura do haikai utilizando a metalinguagem.

Uma obra importante para a produção nacional é Haikai do Brasil, organizada por Adriana Calcanhotto com a publicação de diversos autores brasileiros.

Vídeos sobre a concisão e a pluralidade do haikai

Abaixo, selecionamos vídeos sobre elementos que compõem o haikai, além de depoimentos de poetas que escrevem esse gênero. Confira:

O que é o haikai?

O vídeo apresenta animações que exploram as principais características dos haikais. Acompanhe!

O haikai como arte da palavra

Nesse vídeo, o Fórum das Letras apresenta leituras de haikais e uma fala de Adriana Cacanhotto sobre o gênero.

Haikai: o exercício de falar do outro

A poeta Alice Ruiz expressa a sua experiência na criação de haikais. Confira!

A ironia de Lemisnki

Acompanhe, no vídeo, a apresentação de animações para três haikais de Paulo Leminski.

Agora que você já conhece o haikai, aprenda sobre outro estilo poético desenvolvido no Brasil com nossa matéria sobre a poesia concreta.

Referências

Distraídos Venceremos (1987) – Paulo Leminski
Hai-kais (1968) – Millôr Fernandes
Jardim de Haijin (2010) – Alice Ruiz
Meus versos mais queridos (1988) – Guilherme de Almeida
O haicai no Brasil (2008) – Paulo Franchetti

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Haikai. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/haikai. Acesso em: 22 de September de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [UNESPAR]

Leia atentamente o poema a seguir, de Paulo Leminski, para assinalar a ÚNICA ALTERNATIVA INCORRETA.

A) O poema faz, assim como no haicai tradicional, alusão a uma estação do ano;

B) A referência à natureza, constante no haicai, está presente nos três versos que nos remetem ao céu, ao clima e à flora;

C) A disposição das palavras na página faz do poema um representante da poesia concreta brasileira, que tem como um de seus principais pressupostos o aproveitamento do espaço em branco da página para disposição das palavras;

D) “Kigo” é a palavra em japonês que designa, no haicai, a estação do ano representada. Nesse poema, o outono é o “kigo”;

E) O haicai ocidental contemporâneo tende a fazer algumas alterações na forma tradicional, embora mantenha os três versos, como no poema selecionado.

Resposta: C

Justificativa: O poema de Leminski é um haikai, portanto, não corresponde ao movimento da poesia concreta brasileira.

2. [UNICENTRO]

Levando em consideração a obra dos escritores Paulo Leminski e Helena Kolody e os textos a seguir, assinale a alternativa incorreta:

A estrela cadente
Me caiu ainda quente
Na palma da mão
(Paulo Leminski)

Nas mãos inspiradas
nascem antigas palavras
com novo matiz
(Helena Kolody)

a) O livro “Viagem no Espelho”, de Helena Kolody, tem como forte traço a reflexão acerca do próprio fazer poético, além de apresentar ao leitor um universo onde predominam poemas curtos que destacam a brevidade da poesia.

b) Os dois textos são considerados haicais porque possuem três versos, usam linguagem de fácil compreensão e conseguem alto grau de expressão linguística com a utilização concisa e sintética de palavras.

c) Marca registrada na obra dos dois autores mencionados, Haicais são compostos por dois versos pentassílabos e um heptassílabo, o que confere economia de palavras e contribui para precisão e objetividade.

d) A obra de Paulo Leminski ficou marcada pela concisão, irreverência e coloquialidade, elementos que o autor fundiu de maneira dinâmica com rigor formal.

e) Embora seja comum nos haicais a composição em versos pentassílabos e heptassílabos, essa estrutura não é exatamente necessária para que um poema se enquadre nessa estética. A simplicidade linguística e profundidade de sentido podem conferir a um terceto o título de haicai, ainda que este seja composto por versos decassílabos como nos textos acima.

Resposta: E

Justificativa: Os poemas de Paulo Leminski e de Helena Kolody apresentados na questão não são compostos por versos decassílabos.

Compartilhe

TOPO