Peripatéticos

Os alunos do filósofo Aristóteles ficaram conhecidos como "peripatéticos" pois, o filosofo incentiva seus alunos a caminhar. "Peripatético" é a palavra grega para "ambulante".

Os peripatéticos foram alunos oriundos da escola fundada em 336 a.e.C., cerca de 50 anos depois da Academia de Platão, quando Aristóteles abriu sua escola filosófica no Liceu em Atenas.

Publicidade

“Peripatético” é a palavra grega para “ambulante” ou “itinerante”.

Dessa forma, “peripatéticos” eram os discípulos de Aristóteles, em razão do hábito do filósofo de ensinar ao ar livre, caminhando enquanto lia e dava preleções, por sob os portais cobertos do Liceu, conhecidos como “perípatoi”, ou sob as árvores que o cercavam.

peripatéticos
Imagem: Reprodução

A escola foi instalada em várias casas, construídas num grande parque plantado de árvores que Aristóteles alugou para tal.

Assim, o Liceu compreendia uma biblioteca, laboratórios, salas de conferências e algumas residências e o grande número de obras que possuía levou à criação de princípios de classificação bibliotecária, uma valiosa contribuição cultural, de fato.

Finalidades da educação peripatética

Podemos sintetizar a educação aristotélica do seguinte modo:

  • Aristóteles defendia que a função principal da educação era conduzir o homem à felicidade.
  • A Educação deveria guiar o homem ao longo da vida com o ensino de conceitos úteis e necessários à vida prática.
  • O ensino da virtude moral e do bom caráter – atributos, segundo Aristóteles, não inatos ao ser humano.

O ensino no Liceu

Pela manhã, Aristóteles passeava com os seus alunos ao longo do peripatos, e com eles discutia as questões filosóficas mais profundas. À tarde, expunha assuntos de menor dificuldade para uma audiência mais vasta.

Publicidade

O conteúdo de ensino dos peripatéticos

Os cursos da manhã, destinados a um grupo menor de discípulos, mais adiantados, e incidiam sobre temas mais abstratos – lógica, física e metafísica – que requeriam um estudo mais intensivo.

À tarde, ocorriam os cursos populares, destinados ao público em geral, nos quais eram expostos temas de maior acessibilidade, como por exemplo, retórica, política ou literatura.

O método de ensinar e aprender de Aristóteles

O método didático de Aristóteles consistia em caminhar pelos ambientes (experiência empírica). Nessas caminhadas, Aristóteles buscava desenvolver em seus alunos a observação, comparação e percepção do mundo a sua volta, trazendo a reflexão.

Publicidade

Assim, no “aprender caminhando”, a realidade se revelava de formas e dimensões muito diferentes com o contato direto com o que se buscava compreensão.

A convivência no Liceu

O Liceu de Aristóteles possuía um grande número de alunos, chegando em determinados períodos, a algo perto de dois mil “peripatéticos”.

As regras do Liceu para manter a ordem eram feitas pelos próprios estudantes que fixavam as regras de convivência e elegiam, de dez em dez dias, um colega para dirigir a escola.

Referências

Aristóteles e a educação – Ana Ferreira da Silva

Pedagogia culminante dos gregos – Dionísio Sant’Anna

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Como referenciar este conteúdo

Bernardes, Luana. Peripatéticos. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/peripateticos. Acesso em: 23 de April de 2024.

Teste seu conhecimento

01. [MACKENZIE]:
“… andava pelas ruas e praças de Atenas, pelo mercado e pela assembleia indagando a cada um: ‘Você sabe o que é isso que está dizendo?’, ‘Você sabe o que é isso em que você acredita?’, …, ‘Você diz que a coragem é importante, mas o que é a coragem?’, ‘Você acredita que a justiça é importante, mas o que é a justiça?’,…, ‘Você crê que seus amigos são a melhor coisa que você tem, mas o que é a amizade?’.

Suas perguntas deixavam seus interlocutores embaraçados,… descobriam surpresos que não sabiam responder e que nunca tinham pensado em suas crenças e valores …

… as pessoas esperavam que ele respondesse, mas para desconcerto geral, dizia: ‘Não sei, por isso estou perguntando.’ Daí a famosa frase: ‘Sei que nada sei‘ “.
(Marilena Chauí)

O texto relaciona-se com:
a) a criação dos princípios da Lógica, por Aristóteles, de maneira a formar uma ciência Analítica: A Metafísica.

b) as tragédias de Sófocles, que tinham como tema dominante o conflito entre o indivíduo e a sociedade.

c) a obstinação do historiador Tucídides em descobrir as causas políticas que determinaram os acontecimentos históricos.

d) as preocupações de Eurípedes com os problemas do homem, suas paixões, grandezas e misérias.

e) a filosofia de Sócrates, voltada para as questões humanas, preocupada com as virtudes morais e políticas.

02. [UESPI]: A democracia continua criando polêmicas e atraindo mudanças políticas. Na época de Clístenes, na Grécia Antiga, a democracia conseguiu espaços de poder importantes. Nos tempos de Clístenes, a democracia:

a) firmou-se com propostas descentralizadoras, ampliando a cidadania e evitando a existência do trabalho escravo, defendido pelo filósofo Aristóteles.

b) facilitou a participação no governo dos cidadãos mais pobres, chegando a remunerar os cargos políticos e reorganizando a administração da cidade de Atenas.

c) anulou a lei que defendia o exílio político, por ser opressiva e privilegiar a nobreza dona das grandes propriedades rurais.

d) considerou as mulheres como participantes da cidadania, renovando as tradições e combatendo a corrupção muito comum na época da tirania.

e) defendeu a aplicação das teorias políticas de Platão, organizando uma República onde prevalecia o poder das Assembleias Populares.

01. [MACKENZIE]:
Resposta:E
A filosofia de Sócrates, voltada para as questões humanas, preocupada com as virtudes morais e políticas.

02. [UESPI]:
Resposta: B
Clístenes facilitou a participação no governo dos cidadãos mais pobres, chegando a remunerar os cargos políticos e reorganizando a administração da cidade de Atenas.

Compartilhe

TOPO