Epistemologia

A epistemologia é a área principal da filosofia a estudar a absorção e propagação de conhecimento.

A Epistemologia é uma corrente da filosofia responsável por estudar o conhecimento. Também denominada como Teoria do Conhecimento, o estudo a epistemologia vai contra o senso comum e tem como findado o objetivo de validar o saber científico.

A epistemologia ocupa o campo do saber, tal como a ética comporta o campo moral e a política o da gestão social. Do grego, Epistem, que significa conhecimento, enquanto logia, estudo.

Epistemologia, portanto, seria o estudo aprofundado do saber; do conhecimento.

epistemologia
(Imagem: Reprodução)

Questões norteadoras da epistemologia

Uma filosofia, seja ela qual for, da medieval à moderna, sempre partirá de questões norteadoras. Dessa forma, é possível sistematizar perguntas, levantar apontamentos e estabelecer argumentos.

Neste caso, fazem referência ao que a epistemologia procura responder através do saber científico constatado:

  1. O que é ciência comprovada?
  2. O que é conhecimento científico estabelecido?
  3. O conhecimento científico é mesmo real?

A filosofia epistemológica procura a determinação do saber vinculado a uma área, a fim de ser estabelecida, assim, como ciência. O método não será mais dedutivo (opinativo), mas sim definido e seguindo uma premissa comprovada.

epistemologia conhecimento
(Imagem: Reprodução)

O conhecimento epistemológico e científico abrangeria o saber justificado e comprovado. Por meio de testes realizados, levantamentos feitos e estudos estabelecidos.

Avaliando, seguindo condições de tempo, lugar e mesmo circunstâncias que findarão um resultado similar. Entretanto, o conhecimento científico passa por variáveis, descritas e explícitas a partir de cada período histórico.

Por muitas vezes, o que se tem como verdade e fato em uma dada época, poderá ser invalidado como tal anos mais tarde. Portanto, a constância do estudo é tão importante quanto sua observação.

Exemplo de epistemologia

A pessoa pode afirmar, por exemplo, que a astrologia seja uma verdade, e que suas características realmente colidem com o que seu signo do zodíaco lhe diz. No entanto, o mesmo não apresenta uma base científica de comprovação.

Só pelas informações coincidirem, não há prova de que a mesma seja definitivamente um fato científico. Por esse motivo, a astrologia não entra como ciência epistemológico, mas sim como uma crença, totalmente pessoal, mas não comprovada.

Contrariando o senso comum

A epistemologia surge mediante às reflexões provindas filósofos pré-socráticos. Neste período, as discussões sobre temas que contrariassem o senso comum eram presentes e começavam a ganhar forma.

Com Sócrates, Platão e Aristóteles, a epistemologia ganha força. Os três grandes filósofos criariam métodos próprios para explicar suas reflexões, pensamentos e ideias, que quebrariam os conceitos criados de mitos, lendas e histórias.

As conclusões se dariam de maneira racional.

A consolidação da epistemologia se dá na Idade Moderna, quando as reflexões do Iluminismo, Humanismo, Renascimento e Racionalismo ganham espaço. Por isso, uma dos objetivos da epistemologia passou a ser diferenciar aquilo que era infundado (senso comum) e do que seria pertinente (epistemológico).

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1. [UEL]

Karl Popper, em “A lógica da investigação científica”, se opõe aos métodos indutivos das ciências empíricas. Em relação a esse tema, diz Popper: “Ora, de um ponto de vista lógico, está longe de ser óbvio que estejamos justificados ao inferir enunciados universais a partir dos singulares, por mais elevado que seja o número destes últimos”.

Fonte: POPPER, K. R. A lógica da investigação científica. Tradução de Pablo Rubén Mariconda. São Paulo: Abril Cultural, 1980, p.3.

Com base no texto e nos conhecimentos sobre Popper, assinale a alternativa correta:

a) Para Popper, qualquer conclusão obtida por inferência indutiva é verdadeira.

b) De acordo com Popper, o princípio da indução não tem base lógica porque a verdade das premissas não garante a verdade da conclusão.

c) Uma inferência indutiva é aquela que, a partir de enunciados universais, infere enunciados singulares.

d) A observação de mil cisnes brancos justifica, segundo Popper, a conclusão de que todos os cisnes são brancos.

e) Para Popper, a solução para o problema do princípio da indução seria passar a considerá-lo não como verdadeiro, mas apenas como provável.

Resposta: Letra B

2. [UEL]

No livro Através do espelho e o que Alice encontrou por lá, a Rainha Vermelha diz uma frase enigmática: “Pois aqui, como vê, você tem de correr o mais que pode para continuar no mesmo lugar.”
(CARROL, L. Através do espelho e o que Alice encontrou por lá. Rio de Janeiro: Zahar, 2009. p.186.)

“Já na Grécia antiga, Zenão de Eleia enunciara uma tese também enigmática, segundo a qual o movimento é ilusório, pois “numa corrida, o corredor mais rápido jamais consegue ultrapassar o mais lento, visto o perseguidor ter de primeiro atingir o ponto de onde partiu o perseguido, de tal forma que o mais lento deve manter sempre a dianteira.”

(ARISTÓTELES. Física. Z 9, 239 b 14. In: KIRK, G. S.; RAVEN, J. E.; SCHOFIELD, M. Os Pré-socráticos. 4.ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1994, p.284.)

Com base no problema filosófico da ilusão do movimento em Zenão de Eleia, é correto afirmar que seu argumento

a) baseia-se na observação da natureza e de suas transformações, resultando, por essa razão, numa explicação naturalista pautada pelos sentidos.

b) confunde a ordem das coisas materiais (sensível) e a ordem do ser (inteligível), pois avalia o sensível por condições que lhe são estranhas.

c) ilustra a problematização da crença numa verdadeira existência do mundo sensível, à qual se chegaria pelos sentidos.

d) mostra que o corredor mais rápido ultrapassará inevitavelmente o corredor mais lento, pois isso nos apontam as evidências dos sentidos.

e) pressupõe a noção de continuidade entre os instantes, contida no pressuposto da aceleração do movimento entre os corredores.

Resposta: Letra C

Compartilhe nas redes sociais

TOPO