Nazifascismo

O nazifascismo é conhecido atualmente como uma das grandes tragédias mundiais na história ocidental. Seus efeitos ainda continuam presentes e faz parte de disputas políticas.

Com o capitalismo, pela primeira vez a humanidade se deparou com um sistema global interconectado – um dos resultados da colonização de diversos povos ao redor do mundo. O desenvolvimento histórico, político e social desse cenário trouxe diversas consequências que acabaram se tornando, também, problemas mundiais. Assim, o nazifascismo é um deles.

As ideologias nazifascistas pregavam uma luta entre raças e a soberania de um povo sobre o outro. Desse modo, essa era uma reação autoritária às crises que se enfrentavam na Europa após a Primeira Guerra Mundial. Entenda mais sobre esse assunto logo abaixo.

O que foi o nazifascismo

Fotografia de Hitler e Mussolini na Alemanha, líderes do nazifascismo
Hitler e Mussolini na Alemanha, 1940 (Eva Braun)

Historicamente, nazifascismo é o nome dado aos sistemas totalitários contra o liberalismo e o comunismo, surgidos após a Primeira Guerra Mundial na Europa. Portanto, o nazifascismo era uma reação às crises econômicas, sociais e políticas da época.

Entretanto, alguns autores interpretam o nazifascismo também como uma postura ou atitude diante do mundo que perdura em alguns grupos até atualmente. Assim, ideólogos atuais do nazifascismo levantam as ideias dos antigos líderes totalitários, como de Hitler ou Mussolini.

Nazismo e fascismo

O nazismo caracteriza uma ideologia que se tornou emergente na Alemanha após a Primeira Guerra Mundial. Como governo, ascendeu ao poder na década de 1930 com a proclamação de Adolph Hitler como o líder absoluto da nação. Atualmente, esse regime é bastante conhecido por ter perseguido judeus e homossexuais, bem como os seus campos de concentração.

O fascismo pode demarcar de modo mais específico na história o regime de Mussolini, na Itália. Assim, ele liderou o movimento no país e instaurou também um regime totalitário. Semelhantemente ao nazismo, Mussolini destituiu o Parlamento, incentivou o culto à sua própria figura, censurou a imprensa e os sindicatos.

Uma vez que ambos fazem parte de contextos históricos e sociais semelhantes, ambos os termos podem ser congregados no termo nazifascismo.

Contexto histórico

Após o final da Primeira Guerra Mundial em 1918, os países europeus enfrentaram uma séria crise. Em contrapartida, os Estados Unidos cresceram economicamente, propagando a ideia do american way of life. Todavia, o contexto mundial não estava favorável a esse desenvolvimento, ocorrendo em 1929 a quebra da bolsa de valores.

Com a Grande Depressão e o cenário crítico que já se alongava, cresceu na Europa alguns grupos totalitários. Esses partidos políticos extremistas eram contra o liberalismo e, ao mesmo tempo, se opunham à solução comunista ou socialista que também ascendia.

Consequentemente, o nazifascismo surgiu em um contexto histórico de crise, como uma solução aos problemas enfrentados pela população.

Nazifascismo no Brasil

No Brasil, houve a presença do partido nazista na década de 1930. Curiosamente, no mesmo país que se reprimia o partido comunista em 1935 por Vargas, ocorriam festas alemãs com desfiles de bandeiras com o símbolo nazista abertamente. Desse modo, houve uma expansão do partido e de suas ideias no Brasil.

Além disso, há uma discussão a respeito de ideologias, atitudes e posicionamentos nazifascistas que perduraram para além de seu contexto histórico. Ou seja, ainda existem grupos que aderem aos seus ideais, particularmente o do nazismo. Contudo, é importante lembrar as graves consequências negativas que essa política deixou no mundo.

Resultados e consequências

Uma das características do nazifascismo é o seu nacionalismo exacerbado e a ideologia de dominação sobre os demais povos. Assim, o nazismo propagado por Hitler defendia que a raça ariana, branca e pura, deveria prevalecer sobre as demais. Além disso, qualquer grupo opositor ao regime nazista deveria ser também exterminado.

Consequentemente, o nazismo foi responsável pela morte de milhares de judeus, além de homossexuais, pessoas com deficiência e grupos contra o regime, como os comunistas. Assim, essa catástrofe – conhecida atualmente como Holocausto – vitimou principalmente a população de judeus.

O antissemitismo – ou seja, o ódio contra judeus – foi uma das bases ideológicas da ascensão de Hitler. Em suma, o extermínio do outro como a solução dos problemas sociais foi um discurso largamente propagado e utilizado, acarretando em tragédias. O uso da propaganda e do cinema foram bastante proeminentes nesse sentido.

Entenda mais sobre o nazifascismo

O nazifascismo foi um regime que, tragicamente, faz parte da história ocidental. Desse modo, é importante não fugir do assunto, mas entende-lo de forma responsável e ética. Confira abaixo uma lista com materiais audiovisuais que podem auxiliar a estudar a temática:

Entendo do contexto histórico

Para aprofundar sobre o contexto histórico que fez emergir o nazifascismo, confira o material audiovisual acima.

A Alemanha e o passado nazista

Nesse vídeo, veja o relato de uma mulher a respeito da educação alemã e como o passado nazista é trabalhado dentro das escolas.

Sobre as versões atuais do nazismo

Atualmente, o debate sobre o nazifascismo foi retomado em decorrência de alguns grupos que se declaram neonazistas. Entenda mais do assunto no vídeo acima.

A partir da constatação dos efeitos violentos do nazifascismo, é possível entender como o assunto pode ser sensível para muitas pessoas – especialmente aquelas que têm antepassados que foram vítimas desse regime. Assim, é importante lidar com esse tema com sensibilidade.

Portanto, estudar mais sobre o nazifascismo pode ser uma forma de lidar com sua história de modo mais ético e responsável. Compreender suas consequências políticas e sociais é bastante útil para que violências não sejam repetidas.

Referências

Nazismo, socialismo e as políticas de direita e esquerda na primeira metade do século XX – Bertone de Oliveira Sousa;

Crise dos anos 1920 e ascensão nazifascista – Moderna;

Neoliberalismo e nazi-fascismo – Octávio Ianni;

Nazismo tropical? O partido nazista no Brasil – Ana Maria Dietrich.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Graduando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [UNESP]

Nas primeiras sequências de O triunfo da vontade [filme alemão de 1935], Hitler chega de avião como um esperado Messias. O bimotor plaina sobre as nuvens que se abrem à medida que ele desce sobre a cidade. A propósito dessa cena, a cineasta escreveria: “O sol desapareceu atrás das nuvens. Mas quando o Führer chega, os raios de sol cortam o céu, o céu hitleriano”.
(Alcir Lenharo. Nazismo, o triunfo da vontade, 1986.)

O texto mostra algumas características centrais do nazismo:
a) o desprezo pelas manifestações de massa e a defesa de princípios religiosos do catolicismo.
b) a glorificação das principais lideranças políticas e a depreciação da natureza.
c) o uso intenso do cinema como propaganda política e o culto da figura do líder.
d) a valorização dos espaços urbanos e o estímulo à migração dos camponeses para as cidades.
e) o apreço pelas conquistas tecnológicas e a identificação do líder como um homem comum.

Resposta: c

Justificativa: as propagandas nazistas ficaram conhecidas globalmente por fazerem apologia ao seu líder e propagarem sua ideologia.

2. [UFU]

Sobre as características da propaganda nazista, assinale a alternativa correta.
a) A ascensão de Hitler se deu pela natureza científica de suas afirmações, sendo a propaganda e o terror utilizados apenas quando se tratava da oposição política.
b) A propaganda utiliza fundamentos dissociados da cultura e das disposições sociais da população, por esta razão usa de insinuações indiretas, veladas.
c) O terror e a propaganda tiveram semelhante grau de importância no estabelecimento da ideologia nazista, ao mostrar à população os benefícios de quem a ela aderisse e o horror destinado aos inimigos.
d) A ameaça, a efetiva violência, o uso político da ciência e a propaganda alinhada aos princípios culturais de um povo nunca foram usados como estratégia de doutrinação das massas.

Resposta: c

Justificativa: o nazismo funcionou com uma ampla aderência da população que estava em crise. As propagandas foram um fator que auxiliaram nesse processo.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO