Misantropia

A misantropia é um fenômeno contemporâneo sentido por pessoas que desviam dos padrões sociais.

A misantropia é um termo utilizado para descrever pessoas que possuem ódio pela humanidade. Geralmente existe um perfil desse tipo de indivíduo, que é traçado como pessimista, triste, solitário e, não raramente, é um gênio em atividades intelectuais e artísticas. Por isso, a misantropia é muitas vezes encontrada em pessoas outsiders, ou seja, indivíduos que não se enquadram nos padrões sociais e se sentem incompreendidos.

Dessa forma, uma pessoa misantropa é vista frequentemente como alguém anormal ou dissidente dos padrões sociais. Em outros casos, é vista como especial ou um gênio. No entanto, essa preocupação com a misantropia pode ser considerada como algo típico da nossa sociedade. Vamos aprofundar o assunto a seguir.

Etimologia

Segundo o dicionário Houaiss, misantropia significa literalmente “ódio à humanidade” ou mesmo uma “falta de sociabilidade”. Mas é possível encontrar outras definições, como tédio em relação à humanidade, tristeza, solidão ou até mesmo culpa.

Essa palavra pode remontar ao Tímon de Atenas, um filósofo ateniense que inspirou também uma obra de William Shakespeare. A peça narra a trajetória de um jovem que recebeu apenas a ingratidão de seus amigos e passou a se isolar das pessoas. Após a tragédia, ele nutre uma desconfiança em relação a qualquer sujeito. Essa é uma figura típica de um misantropo.

O que é misantropia?

A misantropia descreve o fenômeno de alguém se sentir inconformado com a humanidade e se isolar para não ter contato com as outras pessoas. Portanto, ocorre uma generalização de todos os seres humanos como um motivo de desânimo ou mesmo raiva.

É o contrário, por exemplo, da filantropia, que é baseada em um sentimento de querer ajudar qualquer ser humano e acreditar em uma melhoria das pessoas.

Misantropia na sociologia

A misantropia pode ser entendida como um fenômeno típico da nossa cultura. Max Weber, Karl Marx e Émile Durkheim – os sociólogos clássicos – já demonstraram uma das questões centrais do ocidente: o problema do indivíduo versus sociedade. Ou seja, nas nossas tradições culturais, existe uma tendência de se pensar o indivíduo como algo separado da sociedade.

Como a misantropia é uma descrença em relação à humanidade, ela pode surgir a partir de um desencantamento do mundo. Vivendo em uma sociedade racionalizada e sem sentido, o indivíduo se vê rodeado de pessoas interessadas apenas em si mesmas e perde a fé em possibilidades de melhora. A perda dessa fé é parte do desencantamento.

Além disso, vivemos em uma sociedade capitalista que, de fato, reproduz o discurso da meritocracia, do livre mercado e da competição entre os indivíduos. O surgimento da misantropia é também a conformação de que o mundo é assim e sempre será dessa forma. Assim, sofrendo as consequências de um mundo individualista e sem esperanças de mudança, o indivíduo pode acabar se isolando.

A misantropia pode ser considerada uma anomia social ou uma questão comum da sociedade. No primeiro caso, ela seria causada por um estado transitório e turbulento de uma sociedade que está experimentando uma transformação de tradições. No segundo, assim como existem taxas regulares de ocorrência de crimes ou doenças psicológicas em toda sociedade, é possível que exista uma frequência normal de surgimento de misantropos em qualquer nação capitalista.

Misantropia na psicologia e psiquiatria

A sociologia tradicionalmente demonstra as causas sociais e coletivas dos fenômenos. Na psicologia e na psiquiatria, há uma consideração mais atenta da história de vida de um determinado indivíduo em uma sociedade. Assim, a misantropia pode surgir em alguém por traumas, decepções e outros episódios que ocorreram na vida dessa pessoa.

A misantropia é uma doença psicológica? Haveria um tratamento para ela? É possível diagnosticar alguém com misantropia? Para a psicologia e a psiquiatria, a misantropia não é uma doença e também não é um termo científico para descrever um estado mental. Portanto, não é possível diagnosticar alguém com misantropia.

Em um texto de Sigmund Freud, o psicanalista descreve a misantropia como um “estado psíquico”, juntamente com o remorso. Podem existir diversas interpretações a respeito da misantropia na psicologia, mas ela costuma ser vista associada a outros sentimentos, como a culpa e solidão, e não necessariamente como uma doença psicológica.

Portanto, existem diversos usos do termo “misantropia”. Geralmente essa palavra descreve uma personalidade ou estilo de vida típico de alguém isolado e que não possui fé na humanidade – tendo, muitas vezes, raiva de seres humanos. Esse sentimento pode estar associado e ser causado por diversos fatores.

Causas da misantropia

A misantropia é um termo abrangente e, portanto, pode ter diversas causas. Em cada caso esse perfil pode se apresentar de uma maneira única. Entretanto, é possível listar algumas das principais causas.

  • Individualismo: o individualismo é um fenômeno social típico do liberalismo e das sociedades capitalistas, o que faz com que muitas pessoas se sintam isoladas e sem poder contar com a ajuda de outras pessoas;
  • Racionalização do mundo: o mundo racionalizado e desencantado pode ser uma causa da misantropia porque as relações interpessoais se tornam frias, burocráticas e visando apenas necessidades práticas;
  • Descrença no progresso humano: as sociedades capitalistas reproduzem o discurso do progresso da humanidade. Quando alguém cai em uma grande desilusão com essa promessa, é possível que surjam sentimentos de misantropia;
  • Decepções pessoais: decepções que ocorrem ao longo da vida de um indivíduo podem fazer com que esse sentimento negativo seja generalizado para todos os seres humanos;
  • Traumas: os traumas podem ocorrer desde o período da infância e são causas do sentimento de tristeza, solidão, revolta e também de misantropia em alguns casos.

Considerando causas sociais e psicológicas, a misantropia pode estar conectada com diversos fatores que o indivíduo pode experimentar ao longo de sua vida. Entretanto, é possível apontar que a misantropia é um fenômeno característico das sociedades modernas, por serem tipicamente individualistas.

Sintomas da misantropia

Existem aspectos que podem sinalizar algum grau de misantropia. De todo modo, como não se trata de um diagnóstico e a misantropia não é uma doença, podemos apenas traçar idealmente um perfil de pessoas que podem apresentá-la. A seguir, listamos algumas características.

  • Apatia: mostrar falta de ânimo e interesse pelas pessoas e pelas relações sociais pode ser um sinal da misantropia;
  • Aversão a sociabilidade: a pessoa misantropa pode ter aversão a contatos sociais, fazer amizades e se relacionar com pessoas em geral;
  • Desconfiança: o sentimento misantropo é bastante nutrido pela desconfiança para com as pessoas, que podem potencialmente lhe fazer algum mal;
  • Solidão: pessoas misantropas podem preferir adotar um estilo de vida mais solitário, podendo desenvolver habilidades e trabalhos relacionados à arte ou intelectualidade.
  • Outsider: é possível que a misantropia seja muitas vezes o sentimento compartilhado de outsiders, ou seja, de pessoas que não se sentem dentro dos padrões sociais.

Dada a abrangência do termo, a misantropia pode funcionar muitas vezes como um estereótipo ou um estado de espírito. Na literatura, a misantropia é bastante utilizada como um recurso para criar personagens e retratar algum aspecto das relações sociais.

Misantropos famosos

Fotografia de Ludwig van Beethoven
Fotografia de Ludwig van Beethoven

A misantropia pode ser registrada de muitas maneiras, seja em romances ou mesmo em biografias. Essas figuras acabam servindo como modelos e estereótipos pelos quais muitas pessoas podem se identificar ou se distanciar. A seguir, há uma lista de algumas pessoas conhecidas por apresentar misantropia.

Alceste: é um personagem da peça O Misantropo, do francês Moliére. Alceste antissocial e se considera diferente de todos os demais, que são de natureza degradante;

Arthur Schopenhauer: foi um filósofo nascido na Polônia (1788-1860), conhecido pelo seu pessimismo e a falta de fé na humanidade. Ele é considerado muitas vezes como até hostil à vida;

Greta Garbo: foi uma atriz conhecida por sua frase “I want to be alone”, demonstrando seu desejo de ficar sozinha e de nunca sorrir na frente dos outros. Garbo se aposentou aos 36 anos.

Ludwig van Beethoven: considerado um gênio da música clássica e reconhecido mundialmente, Beethoven se isolou desde muito cedo e acabou se concentrando apenas em sua arte.

É dito também que, na sociedade contemporânea, em maior ou menor grau é comum que alguns indivíduos sintam misantropia. A necessidade de estar sozinho e o desprezo ou a frustração com as atitudes em conjunto são bastante típicos desse sentimento.

Entenda mais sobre a misantropia

Com o advento da internet, pessoas de diferentes lugares passam a ter a possibilidade de conversar e criar laços sociais. Com os misantropos não é diferente. A seguir, está disponível uma lista de vídeos com conteúdo musical e cultural para discutir sobre misantropia.

Sobre a misantropia

O youtuber Devanil fez esse vídeo discutindo sobre o termo “misantropia” e o que ela significa a partir de sua visão. É interessante também ler os comentários, que podem revelar sentimentos misantropos.

Misantropia retratada na música

A faixa “Odiosa nNtureza Humana”, da banda Matanza, é bastante representativa de um sentimento de misantropia – retratada, dessa vez, na música.

Skate, outsiders e misantropia

Esse é um vídeo do skatista Diego Rufino intitulado “Misantropia”. É interessante notar que o percurso todo do skate é realizado de maneira solitária, sendo uma atividade muitas vezes mal vista pela sociedade, o que faz com que os indivíduos se sintam como outsiders.

A misantropia é um sentimento que acompanha a experiência de diversas pessoas e pode se manifestar em diversos graus. É interessante notar a sua relação com a condição de pessoas que se sentem diferentes dentro dos padrões sociais. Em nossa sociedade, ser diferente pode ser uma experiência dolorosa ou incômoda, trazendo uma falta de esperança sobre ser compreendido pelas pessoas ao redor.

Dessa forma, é importante a compreensão de que o fenômeno da misantropia não é uma doença. A sociologia pode ajudar a entender melhor como ocorrem as dinâmicas sociais para também discutir com maior propriedade a misantropia.

Referências

Schopenhauer como educador: o esboço de misantropia filosófica de Nietzsche – Jerlee Salviano;

Mais direitos humanos e menos misantropia: por um direito menos egoísta – Tiago Ribeiro Teles;

Misantropia dura – Saniago Bará;

O Díscolo: estudo e tradução – Helena de Megreiros Spinelli;

Sentimento de culpa na obra freudiana: universal e inconsciente – André Gellis; Maria Isabel Lima Hamud;

Interseções antropológicas na saúde mental: dos regimes de verdade naturalistas à espessura biopsicossociocultural do adoecimento mental – Mônica de Oliveira Nunes.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Graduando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [Faculdade Cásper Líbero]

Assinale a opção que identifica corretamente o sentido do adjetivo “misantropo”, relacionado à forma “misantrópica” que aparece em: “Dão a entender que, por trás da retórica sobre o empoderamento pessoal e a democratização, se esconde uma realidade que pode ser exploradora, manipuladora e até misantrópica”:

A. Que ou quem sente aversão à tecnologia.
B. Que ou aquele a quem o raciocínio lógico causa irritação ou enfado.
C. Que ou quem age em favor de seu semelhante.
D. Que não se dá segundo as leis naturais ou físicas.
E. Que ou aquele que odeia a humanidade ou sente aversão às pessoas.

Resposta: E

Justificativa: a misantropia é o ódio, repulsa ou mesmo o desânimo e apatia sentida em relação à humanidade.

2. [Concurso PM (DF) – Adaptada]

Em lugar de filantropia poderia figurar:

A) antropofobia
B) humanidade
C) humanismo
D) humanitarismo
E) misantropia

Resposta: D

Justificativa: A filantropia pode ser considerada o oposto da misantropia, que é a repulsa pela humanidade em geral. A filantropia é alimentada pela crença na humanidade e o discurso do auxílio e da ajuda ao próximo, o que é associado ao humanitarismo.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO