Funcionalismo

O funcionalismo é o nome dado a diferentes teorias que tem como conceito central a ideia de "função", explicando o mundo por meio dela.

O “funcionalismo” pode ser um termo bastante geral. De fato, teorias diferentes e que podem ser até contraditórias são chamadas de funcionalistas. Isso ocorre porque esse nome congrega ideias que giram em torno do conceito de “função”, se interessando pelo que os fenômenos desempenham no mundo.

Assim, áreas diferentes de estudo podem entender a própria noção de “função” de modos diferentes. Por isso, para entender o funcionalismo, abordaremos o assunto a partir de distintos campos. Veja a seguir.

O que é a teoria do funcionalismo

O funcionalismo é um nome dado a muitas teorias diferentes. Em geral, elas recebem essa denominação porque enfocam a função que seu objeto de estudo desempenha em relação ao seu contexto.

Portanto, para as ideias funcionalistas, os fenômenos e seres fazem e desempenham coisas no mundo – e aí está a sua razão de existir. Assim, muitas vertentes funcionalistas se distanciam de teorias que tentam explicar as coisas pela sua essência ou pela sua forma.

Durkheim e o funcionalismo

Émile Durkheim foi um sociólogo francês, conhecido como o “pai da sociologia”. Em muitas ocasiões, Durkheim fez referências a um “organismo social”, e compara o funcionamento da sociedade como um organismo completo. Ou seja, cada parte que compõe a sociedade desempenha alguma função importante.

Embora a causa de um fenômeno social existir não se deva pela sua função, é essa função que permite que ele se mantenha. Em outras palavras, um fato social deve funcionar em conjunto com outros para produzir a coesão e a solidariedade em toda a sociedade.

Para Durkheim, os fenômenos sociais não necessariamente precisam beneficiar um indivíduo ou outro. Em suma, a sociedade está acima das pessoas e molda seus comportamentos independentemente de suas vontades individuais.

Funcionalismo e antropologia

O funcionalismo na antropologia possui uma influência bastante forte de Durkheim. Para Bronislaw Manilowski, toda cultura pode ser entendida como uma totalidade orgânica, e cada parte que a compõe desempenha alguma função. Ou seja, uma crença, um costume, uma religião, um objeto, são partes cruciais que funcionam de um modo específico em uma cultura.

Radcliffe-Brown é outro antropólogo e teorizou sobre o que é chamado de estrutural-funcionalismo. Assim, ele estava interessado em como sociedades diferentes mantém sua ordem. Por exemplo, um ritual de uma tribo não pode ser compreendido fora de seu sistema social, pois ele possui uma função dentro de um todo particular.

Funcionalismo e psicologia

Na psicologia, o funcionalismo pode ter sentidos um tanto diferentes das ciências sociais. William James é considerado por muitos um precursor do funcionalismo na psicologia, mas há controvérsias.

De todo modo, uma das vertentes na psicologia que apresenta um funcionalismo é o comportamentalismo radical. Para B. F. Skinner, qualquer ação deve ser entendida dentro de seu contexto, e levando em consideração as suas consequências.

Portanto, um comportamento só faz sentido quando compreendemos suas relações funcionais com o contexto e as consequências. Para isso, psicólogos utilizam o método da Análise Funcional, entendendo cientificamente as razões de um comportamento ocorrer.

Funcionalismo e filosofia

Contemporaneamente, há um ramo da filosofia da mente bastante influenciado por estudos da computação. Nessa vertente, para compreender os estados mentais, estuda-se os inputs e os outputs na relação funcional entre o organismo e o ambiente. Todavia, já há críticas a essa perspectiva.

Assim, há uma variedade de perspectivas funcionalistas. Portanto, é importante entender o que um autor chama de funcionalismo e por qual razão sua teoria é classificada dessa forma. A partir disso, é possível até realizar comparações entre as diferentes ideias.

Referências

As regras do método sociológico – Émile Durkheim;

Os argonautas do Pacífico Ocidental – Bronislaw Manilowski;

Estrutura e função na sociedade primitiva – Alfred Radcliffe-Brown;

Filosofia e psicologia em William James – Mauro Junji Araki;

Ciência e comportamento humano – B. F. Skinner;

Funcionalismo homuncular e o problema dos qualia – André Rosolem Sant’Anna.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Graduando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [SEEC]

Uma das mais importantes perspectivas teóricas, o funcionalismo tem conexão direta com o pensamento de Émile Durkheim. Com relação à perspectiva funcionalista, assinale a opção correta.
a) O funcionalismo surge de uma preocupação com a linguagem e com o significado
b) O funcionalismo pressupõe atenção ao detalhe da interação interpessoal e a como esse detalhe é usado para dar sentido ao que os outros dizem e fazem
c) O funcionalismo concentra-se em questões de poder, desigualdade e luta
d) O funcionalismo afirma que a sociedade constitui um sistema complexo, cujas diversas partes trabalham conjuntamente para produzir estabilidade e solidariedade
e) De acordo com o funcionalismo, na sociedade existem áreas marcadas pelos conflitos e pela divisão

Resposta: d

Justificativa: O funcionalismo na sociologia de Durkheim compara a sociedade como um organismo, sendo ela sistemática e composta de partes que possuem funções próprias.

2. [FGV]

“O funcionalismo é um modelo explicativo importante nas teorias sociológicas contemporâneas e uma de suas raízes intelectuais é o conceito de função desenvolvido por Durkheim, em As Regras do Metodo Sociológico (1895). Para o sociólogo francês, os elementos que compõem a sociedade devem ser estudados a partir da identificação das suas funções, vale dizer do papel que desempenham para fazer funcionar a sociedade. Assim, por exemplo, a função _____ é codificar e sacralizar as normas sociais, ao passo que a função ______ é reagir e punir as violações das normas, enquanto a função ______ é sustentar a vida material”.Assinale a opção que completa corretamente as lacunas do fragmento acima.
a) da religião – da economia – do direito
b) do direito – da religião – da economia
c) do direito – da economia – da religião
d) da economia – do direito – da religião
e) da religião – do direito – da economia

Resposta: e

Justificativa: como cada parte da sociedade possui uma função, a religião, o direito e a economia fazem parte desse todo social. A religião sacraliza as normas sociais, o direito controla e regulamenta essas normas, e a economia diz respeito à ordem material da sociedade.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO