Estratificação social

A estratificação social é o modo pelo qual a divisão e desigualdade social se dá e é compreendida a partir de conceitos sociológicos.

Além das diferenças naturais que diferem as pessoas uma das outras (idade, sexo, gênero, características pessoais), existe um outro tipo de diferenciação feita de acordo com critérios sociais.

Dessa forma, indivíduos socialmente diferentes são tratados, também, de maneiras diferentes. Isso engloba questões de status, poder, renda, etc.

Pois todas as sociedades organizam seus membros em termos de superioridade, inferioridade e igualdade, e a estratificação nada mais é do que um processo de interação ou diferenciação pelo qual algumas pessoas chegam a se classificar mais do que outras de acordo com critérios como rendimento, etnia, riqueza, prestígio e profissão.

Para não esquecer, lembre-se de que o termo “estratificação” vem da palavra “estrato”, que significa camadas, ou seja, uma sociedade dividida em camadas.

O que é estratificação social?

Como já falamos, a estratificação social é o nome que damos a desigualdade social entre as pessoas dentro de uma sociedade.

Para entender melhor, observe a pirâmide: de algum modo, todas as sociedades se encaixam em um modelo piramidal, na qual a base possui bem menos privilégios do que aqueles que se encontram no seu topo. Na nossa sociedade (que é capitalista), essa pirâmide se divide da seguinte forma:

  • Classe alta: é a menor parte da população; formada por pessoas privilegiadas que possuem maior renda, bens, prestígio e poder do que os demais – constituem o topo da pirâmide.
  • Classe média: formada por pessoas que possuem algum privilégio, algumas vantagens e qualificação profissional, no entanto, ainda estão longe de fazer parte da classe alta. Integram o meio da pirâmide.
  • Classe baixa: a classe baixa é formada pelos trabalhadores que, em geral, possuem poucos ou nenhum privilégio, vantagem ou prestígio. Possuem baixa escolaridade e, por isso, trabalhos menos remunerados. Muitas vezes trabalham apenas para a própria subsistência. Formam a base da pirâmide.

Estratificação social no Brasil

Como nosso país adota um modelo econômico e social capitalista, não fugimos à regra e também nos dividimos entre aqueles que possuem mais e aqueles que possuem menos.

Segundo o IBGE, 63% dos brasileiros estão na classe média (aquela classe social na qual cada família possui renda mensal entre R$ 291,00 e R$ 1.019,00 per capita).

Porém, se a sua família possui renda R$ 9.897 por mês e R$ 1.019,00 de renda per capita (por pessoa), você faz parte da classe alta do Brasil que atualmente corresponde a 9% da população.

Já a classe baixa, que se divide entre vulneráveis, pobres e extremamente pobres, é composta por aqueles que como renda mensal familiar ganham até R$ 1.164,00 e R$ 291,00 per capita e representa hoje 28% da população brasileira.

Estratificação social segundo Karl Marx

De modo simplificado, podemos dizer que Karl Marx baseou sua teoria conhecida como materialismo histórico na ideia de que a sociedade moderna tem apenas duas classes de pessoas: a burguesia e o proletariado.

A burguesia é a proprietária dos meios de produção: as fábricas, empresas e equipamentos necessários para produzir riqueza. Enquanto que o proletariado são os trabalhadores.

Para Marx, a burguesia nas sociedades capitalistas explora os trabalhadores pagando-lhes o suficiente para comprar comida e um lugar para viver, e os trabalhadores, que não percebem que estão sendo explorados, têm uma falsa consciência, ou um sentimento equivocado, de que estão bem de vida.

Dessa forma, podemos concluir que, para Marx, a estratificação social é resultado da luta entre as classe (burguesia X proletariado).

Estratificação social segundo Max Weber

O sociólogo Max Weber discordou da visão aparentemente simplista de Marx sobre a estratificação argumentando que o fato de possuir propriedades, como fábricas ou equipamentos, é apenas parte do que determina a classe social de uma pessoa.

Para Weber, a classe social inclui ainda poder e prestígio, além de propriedade ou riqueza.

Weber argumentou que a propriedade pode trazer prestígio, uma vez que as pessoas tendem a ter pessoas ricas em alta consideração.

No entanto, o prestígio também pode vir de outras fontes, como capacidade atlética ou intelectual e pode levar à propriedade.

Um exemplo disso é o ator Arnold Schwarzenegger que possuía muito prestígio como fisiculturista e ator, o que levou à riqueza.

Quando o ator foi eleito governador da Califórnia em 2004, Schwarzenegger se tornou poderoso também.

Assim, para Weber, além do acesso à propriedade, o que difere os indivíduos socialmente um dos outros é o seu poder e prestígio social.

Tipos de estratificação social

Confira a seguir os três principais exemplos de divisão e desigualdade social.

Castas

A casta é um grupo social endogâmico hereditário no qual o grau de uma pessoa e seus direitos e obrigações são atribuídos com base em seu nascimento em um grupo particular, atualmente o sistema de castas ainda está presente na sociedade indiana.

Na Índia, os textos hindus citam quatro classes existentes na sociedade: os brâmanes (sacerdotes), os kshatriyas (guerreiros); os vaishyas (comerciantes) e os shudras ( camponeses).

Há ainda uma quinta divisão que não é considerada uma casta necessariamente, mas a ausência dela: são os párias, ou intocáveis.

Nesse modelo de sociedade dividida em castas a mobilidade social, isto é, a possibilidade de ascender a outra classe mais privilegiada é nula.

Classes

A estratificação em classes é dominante na sociedade capitalista atual na qual a posição de uma pessoa depende, em grande parte, do tamanho de sua riqueza (além de poder e prestígio que estão interligados).

A mobilidade social é possível através da meritocracia que defende que cada um, se se esforçar muito, alcançará seus objetivos materiais – muito embora as condições desse esforço (estudo + oportunidades) não sejam iguais para todos, não é mesmo?

Escravidão

Durante a escravidão todo escravo tinha seu mestre a quem era submetido e o poder do mestre sobre o escravo era ilimitado.

Ao longo da escravidão, a mobilidade social do escravo só era possível se seu mestre lhe desse carta de alforria libertando-o.

Entenda mais sobre o assunto

Finalize os seus estudos sobre estratificação social assistindo aos vídeos sugeridos abaixo.

Desigualdade Social: Castas, Estamentos e Classe Social

De um jeito descontraído, a youtuber e sociológa Gabi apresenta mais detalhes sobre o tema.

Super Sociologia: estratificação Social

Em pouco mais de cinco minutos, o professor de Sociologia Salviano Feitoza discute o conceito de estratificação social com enfoque para o ENEM.

Referências

Estratificação social na teoria de Max Weber: considerações em torno do tema – Marcelo Rodrigues Lemos
Castas, estamentos e classes sociais – Sedi Hirano
História e consciência de classe – Georg Lukács
Economia e sociedade – Max Weber

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [UFU]

De acordo com a teoria de Marx, a desigualdade social explica-se:

a) Pela distribuição da riqueza de acordo com o esforço de cada um no desempenho de seu trabalho.

b) Pela divisão da sociedade em classes sociais, decorrente da separação entre proprietários e não proprietários dos meios de produção.

c) Pelas diferenças de inteligência e habilidade inatas dos indivíduos, determinadas biologicamente.

d) Pela apropriação das condições de trabalho pelos homens mais capazes em contextos históricos, marcados pela igualdade de oportunidades.

Resposta: B

Segundo Marx, uma classe social é formada a partir de um grupo de pessoas com características econômicas em comum.
Desse modo, proprietários dos meios de produção formaria uma classe e os não proprietários dos meio de produção outra classe.

2. [UNICENTRO ]

(Unicentro) Em relação ao sistema de castas de uma sociedade, assinale a alternativa correta.

a) Existe mobilidade social dentro de uma sociedade de castas.

b) A exogamia faz parte dos casamentos realizados em sociedades de castas.

c) Não existe mobilidade social dentro de uma sociedade de casta.

d) Dentro de um sistema de castas não é importante a hereditariedade.

e) Em um sistema de casta não existe a divisão entre castas superiores e inferiores.

Resposta: C

O sistema de castas é marcado pela inexistência de mobilidade social, pois, acredita-se que os indivíduos possuem um papel dentro de cada casta que deve ser seguido e não sendo possível sua alteração.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO