Leis Ponderais

As leis ponderais são regras estabelecidas após pesquisas e experimentos que visavam compreender o funcionamento das reações químicas.

As leis ponderais chegam em um momento da história em que a química começa a crescer. Com o grande avanço das pesquisas na área, a alquimia perde espaço, e a química embasada começa a emergir.

Dessa forma, o método científico começa a ser utilizado com mais frequência. Os estudos meticulosos e fundamentados passam a ser maioria; e experiências, bem como ponderações pontuais acerca das reações químicas, principalmente, se destacam.

As leis ponderais foram introduzidas na ciência como forma de compreender o papel das reações químicas. Ou melhor, não só compreender, como também entender sua influência até mesmo na natureza humana.

leis ponderais
(Imagem: Reprodução)

O objetivo das leis ponderais era o de verificar o comportamento dos elementos químicos em meio às reações. Além disso, elas relacionavam as massas dos elementos integrantes de uma mesma reação.

A ideia principal seria observar como tais substâncias se comportariam a partir de uma dada regularidade, por assim dizer.

As principais leis ponderais

As duas principais leis ponderais reconhecidas são a Lei de Lavoisier e Lei de Proust. A partir delas, busca-se compreender como as reações químicas funcionam.

Isso abrange desde a compreensão de transformação, como também de proporção. Afinal, como as substâncias comportam-se em meio às reações?

Lei de Lavoisier: a Lei de Conservação das Massas

A Lei foi introduzida por Antoine Laurent Lavoiser (1743-1794). Para tal constatação, Lavoiser realizou diversos experimentos. O primeiro consistia em experimentações de reações químicas em variados ambientes.

Ao realizar o experimento em um ambiente fechado, ele constatou o que se teria como base até os dias de hoje. Segundo Lavoisier, a soma das massas percebida nos reagentes seria igual à soma das massas dos produtos.

De uma forma mais esclarecedora, a Lei de Lavoisier se resumiu, inclusive, a um dito popular que atravessou séculos. A Lei de Lavoisier, basicamente, se sintetiza à:

“Na natureza, nada se cria, nada se forma, tudo se transforma.”

Como chegou a conclusão?

Através de inúmeros experimentos, reações químicas foram testadas pesando a massa contida em cada substância. Envolvida no início e fim das reações, as massas seriam meticulosamente avaliadas.

Um exemplo bastante explorado e estudado diz respeito à reação da combustão do mercúrio metálico. Este, por sinal, produzira óxido de mercúrio do tipo II a partir da seguinte manipulação:

Mercúrio Metálico (100,5g) + Oxigênio (8,0g) = Óxido de Mercúcrio Tipo II (108,5g)

É possível notar que a soma das massas respectivas dos reagentes é igual a massa oriunda do produto. Ao perceber essa reação, Lavoisier observou que o caso era uma constante.

Dessa forma, ele descobriu que o Óxido de Mercúrio de Tipo II era, nada menos, que a transformação dos reagentes utilizados; estes já observados na natureza.

Lei de Proust: a Lei das Proporções Constantes

No mesmo sentido que Lavoisier, Proust (1754-1826) observou outro interessante caso. Enquanto Lavoisier afirmava que a soma das massas dos reagentes e produto eram iguais, Proust observou que a proporção era similar.

A proporção em massas das substâncias que reagem e que são produzidas numa reação é fixa, constante e invariável.

Assim, o cientista exemplificou seu experimento através do experimento por eletrólise. Após passar uma contínua corrente à água, ela se decompõe, originando, proporcionalmente, H (hidrogênio) e O (oxigênio).

leis ponderais proust
(Imagem: Reprodução/Todo Estudo)

Dessa forma, Proust observou uma constância na proporção 1/8. Fixa, imutável e constante, como ele próprio definiu.

Referências

SALVADOR, Edgard e USBERCO, João. Química, volume único. 1ª edição, Editora Saraiva, São Paulo-SP, 2006. 672 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [FCMSC] A frase: “Do nada, nada; em nada, nada pode transformar-se” relaciona-se com as ideias de:

a) Dalton.

b) Proust.

c) Boyle.

d) Lavoisier.

e) Gay-Lussac.

 

02. [UFMG] Considere as seguintes reações químicas, que ocorrem em recipientes abertos, colocados sobre uma balança:

I – Reação de bicarbonato de sódio com vinagre, em um copo.
II – Queima de álcool, em um vidro de relógio.
III – Enferrujamento de um prego de ferro, colocado sobre um vidro de relógio.
IV – Dissolução de um comprimido efervescente, em um copo com água.

Em todos os exemplos, durante a reação química, a balança indicará uma diminuição da massa contida no recipiente, exceto em:

a) III

b) IV

c) I

d) II

01. [D]

02. [A]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO