Bário

O bário é um elemento químico da tabela periódica. Pertencente da família 2A, é um metal alcalino terroso. Possui elevada toxicidade, principalmente na forma solúvel. É usado em fogos de artifício

O bário é um elemento químico da tabela periódica com símbolo Ba e número atômico 56. É um metal alcalino terroso com aspecto prateado e macio. Por ser extremamente reativo, não é encontrado na natureza como elemento livre, somente na forma combinada com outros elementos, principalmente na forma de minério. Aprenda mais sobre ele.

O que é o bário

O bário é um elemento com massa atômica de 137,327 u, número atômico 56. Faz parte dos metais alcalinos terrosos e é o quinto elemento do grupo 2 da tabela periódica. Em temperatura ambiente é um sólido. É um metal macio e de aspecto prateado, semelhante ao chumbo. Se oxida facilmente quando exposto ao ar e reage violentamente com água e álcool. É tóxico e possui elevado ponto de fusão. A origem do nome desse elemento vem do grego ”barýs”, que significa “pesado”. Isso se dá por conta da elevada densidade dos compostos formados com o elemento.

Não é encontrado em sua forma livre na natureza, visto que é muito reativo. Sendo assim, o elemento sempre está associado com outros átomos, formando compostos de bário na forma de minérios, como a barita (BaSO4) ou a barolita (BaCO3). O elemento foi primeiramente identificado em 1774 por Carl Scheele, que, na época, era conhecido como “pedra de Bolonha”, de onde ele extraiu o sulfato insolúvel. Seu isolamento foi realizado em 1808 pelo químico Sir Humphry Davy, na Inglaterra, pela eletrólise de cloreto de bário (BaCl2).

Esse metal tem algumas aplicações industriais. Além disso, é adicionado em fogos de artifícios para garantir uma coloração verde, visto que quando ocorre a explosão, os elétrons do passam para um estado excitado e emitem luz ao retornarem para o estado fundamental. Ainda, os compostos de bário solúveis em água são tóxicos e já foram usados como veneno para roedores.

Características do bário

O bário é um elemento que apresenta características importantes, que o fazem único. Veja, a seguir, as suas principais propriedades físico-químicas.

  • Tem ponto de fusão de 727 ºC e ponto de ebulição de 1845 ºC;
  • Sua densidade é de 3,51 g/cm3;
  • Sua configuração eletrônica é 1s2 2s2 2p6 3s2 3p6 4s2 3d10 4p6 5s2 4d10 5p6 6s2, portanto é um metal alcalino terroso da família 2A, com dois elétrons de valência;
  • É um metal de coloração prateada e oxida rapidamente em contato com o ar;
  • Apesar de ser quimicamente semelhante ao magnésio, cálcio e estrôncio (ambos do grupo 2A), o bário é muito mais reativo;
  • Seu estado de oxidação é sempre +2, sendo assim, é representado como Ba2+ na forma iônica.

Essas são algumas das principais características do bário. A forma metálica é, geralmente, guardada em recipientes preenchidos de gases inertes ou com óleo mineral, que evitam a ocorrência das reações de oxidação ou explosão espontânea. Além disso, é um elemento tóxico para a saúde humana. Saiba mais sobre isso a seguir.

O bário é tóxico?

Como a forma livre e metálica do bário é extremamente reativa, os dados para a toxicidade desse elemento são sempre ligados à sua forma iônica e de composto com outros elementos. Os compostos de bário solúveis em água são venenosos. Em doses baixas, o bário pode até agir como estimulante muscular, porém em elevadas concentrações, afeta o sistema nervoso, causando irregularidade cardíaca, tremores, fibrilação muscular, náuseas, vômitos, diarreia, crises convulsivas, coma e até a morte.

Usos do bário

Os usos do bário são, principalmente, na forma associada com outros compostos. Sendo assim, veja algumas dessas aplicações.

  • Pigmento e contraste: o sulfato de bário é usado como pigmento branco em pinturas e como contraste para diagnósticos por raio-X. Como esse composto é insolúvel em água, não é tóxico;
  • Veneno: o carbonato de bário é um sólido solúvel em ácido clorídrico do estômago, portanto é usado como veneno para roedores;
  • Fogos de artifício: nitrato e cloreto de bário são adicionados em fogos de artifício para produzir chamas verdes no momento das explosões;
  • Lampadas fluorescentes: óxido de bário é um pó branco com propriedade de fosforescência, por isso é usado em lampadas fluorescente.

Além disso, os compostos de bário são muito empregados no ramo industrial, principalmente na formação de ligas metálicas com outros elementos como o alumínio, chumbo, níquel ou ferro. Ele, ainda, está presente em velas de ignição, em tubos de vácuo para remoção de oxigênio ou nitrogênio

Curiosidades do bário

Veja algumas curiosidades sobre esse elemento químico.

  • Apesar de sua reatividade e de reagir facilmente com soluções ácidas, o bário não sofre reação quando em contato com ácido sulfúrico, visto que ocorre a formação de uma camada de sulfato de bário por passivação, que protege o metal;
  • Comercialmente, é produzido da mesma forma com que foi isolado pela primeira vez, ou seja, pela eletrólise de BaCl2 fundido;
  • Os compostos mais importantes do Ba são o peróxido, cloreto, sulfato, carbonato, nitrato, e clorato;
  • Quando queimados produzem chamas verdes, portanto um teste de chama pode ser usado para identificar a presença de bário em determinadas substâncias;
  • São conhecidos 22 isótopos de Ba, sendo 7 deles estáveis;

Na forma metálica ele pode conduzir eletricidade. Além disso, devido à insolubilidade do sulfato de bário (BaSO4), esse composto é usado como contraste em exames médicos, visto que logo é eliminado pelo trato digestivo dos pacientes. Em contrapartida, não se deve confundir com o sulfeto de bário (BaS), pois é, assim como todos os compostos solúveis, tóxicos e pode causar a morte.

Vídeos sobre o bário

Agora que o conteúdo foi apresentado, veja alguns vídeos selecionados para ajudar a assimilar o tema do estudo de elementos da tabela periódica.

As principais aplicações do bário

O bário é um metal alcalino terroso de número atômico 56. Está na mesma família que o magnésio, cálcio e estrôncio, com dois elétrons na camada de valência. Sendo assim, tem número de oxidação +2. Pode ser adicionado a outros metais para formação de ligas metálicas. Além disso, o BaSO4 é usado em exames de raio-X como contrastante. Veja mais sobre as propriedades e aplicações do elemento bário.

As características químicas do elemento 56 da tabela periódica

O bário está localizado no sexto período da tabela periódica, no grupo dos alcalinos terrosos. Seu nome tem origem grega e significa “pesado”, visto que os compostos desse elemento são muito densos. Seus dois elétrons na camada de valência faz com que ele tenha tendência a perdê-los, portanto ele é um cátion de carga 2+. Forma diversos compostos com outros elementos. Aprenda sobre as características desse elemento.

Exercício sobre a solubilidade de compostos de bário

O sulfato de bário é um sal pouco solúvel em água. Sendo assim, dependendo das condições do meio em que o composto se encontra, o equilíbrio de solubilidade pode ser alterado, assim como diz o princípio de le Chatelier. Veja a resolução desse exercício e entenda as condições que podem alterar um equilíbrio de BaSO4, fator importante, principalmente porque é um composto usado como contrastante em exames médicos e sua solubilização dentro do organismo pode causar a morte.

Em síntese, o bário é um elemento químico de número atômico 56 e massa atômica de 137 u. É do grupo dos metais alcalinos terrosos e tem aspecto prateado e macio, porém é extremamente reativo e não é encontrado livremente na natureza. Não pare de estudar por aqui, aprenda mais sobre o estanho, outro elemento da tabela periódica.

Referências

Princípios de Química: Questionando a Vida Moderna e o Meio Ambiente (2005) – Peter Atkins e Loretta Jones
Química Inorgânica(1992) – Peter Atkins, Duward F. Shriver e Cooper H. Langford
The Elements – A Visual Exploration of Every Known Atom in the Universe. (2009) Theodore Gray

Lucas Makoto Tanaka dos Santos
Por Lucas Makoto Tanaka dos Santos

Bacharel em Química pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), mestrando em Química Analítica, com ênfase em desenvolvimento de métodos analíticos, metabolômica e espectrometria de massas no Laboratório de Biomoléculas e Espectrometria de Massas (LaBioMass), na mesma universidade.

Como referenciar este conteúdo

Tanaka dos Santos, Lucas Makoto. Bário. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/quimica/bario. Acesso em: 12 de May de 2022.

Exercícios resolvidos

1. [UEPB]

Na adição de hidróxido de bário a uma solução de ácido sulfúrico, forma-se um sal insolúvel. Assinale a alternativa que corresponde a esse sal.

a) BaSO3
b) BaS
c) BaSO4
d) BaSO2
e) Ba2SO4

O hidróxido de bário se dissocia em íons Ba2+ e OH em solução. Já o ácido sulfúrico se dissocia em H+ e SO42-. Sendo assim, quando eles reagem em solução, os cátions atraem os ânions. Dessa forma, o sal inorgânico que se forma é o sulfato de bário (BaSO4). A reação acido base é dada por:

Ba(OH)2 (aq) → Ba2+(aq) + 2 OH(aq)
H2SO4 (aq) → 2 H+(aq) + SO42-(aq)

Ba(OH)2 (aq) + H2SO4Ba2SO4 + 2 H2O

Sendo assim, a alternativa correta é a letra c) BaSO4

2. [Cesgranrio (adaptada)]

O bário é um metal utilizado em velas para motores, pigmento para papel e fogos de artifício. A respeito de algumas características do bário, assinale a opção incorreta:
a) Tem altos pontos de fusão e de ebulição.
b) Conduz bem a corrente elétrica no estado sólido.
c) Forma composto iônico quando se liga ao cloro.
d) Pertence à família dos metais alcalino-terrosos.
e) Tende a receber 2 elétrons quando se liga ao oxigênio.

Analisando as afirmativas:
a) CORRETA, seus pontos de ebulição e fusão são elevados;
b) CORRETA, pode conduzir eletricidade no estado sólido;
c) CORRETA, um dos compostos de bário é formado com o cloro, na forma de cloreto;
d) CORRETA, fica na família 2A, dos alcalinos terrosos;
e) ERRADA, o bário é da família 2A, portanto tem a tendência de ceder os 2 elétrons de sua camada de valência a fim de completar o octeto, não receber, como é o caso do oxigênio, que possui 6 elétrons de valência e necessita de 2 para formar a ligação química..

Portanto, a alternativa correta é a letra e) Tende a receber 2 elétrons quando se liga ao oxigênio.

Compartilhe

TOPO