Acetilcolina

A Acetilcolina é um hormônio neurotransmissor com produção concentrada no sistema nervoso.

A Acetilcolina (ACH) é um hormônio neurotransmissor cuja produção é oriunda do sistema nervoso central e periférico. É considerada uma molécula de características simples, com produção concentrada no citoplasma das terminações.

Derivada da Colina (oriunda da lecitina), a Acetilcolina trata de uma reação química que ocorre entre a citada Colina e a acetil-CoA. Esta reação será impulsionada pela presença de uma enzima responsável por dar a liga entre as substâncias, a acetil-transferase (ChAT).

Sendo assim, temos a reação disposta da seguinte forma:

Acetil CoA + Colina = Acetilcolina​

Com variadas funções no organismo, a Acetilcolina, por se tratar de um neurotransmissor, está diretamente relacionada ao sistema cognitivo.

Sendo assim, esta substância é imprescindível para um bom funcionamento da memória, e, consequentemente, do aprendizado. Além disso, ela melhora a comunicação entre as sinapses nervosas, e é uma importante substância para uma noite de sono profunda e agradável.

O déficit desta substância neurotransmissora pode ocasionar sérios problemas relacionados ao funcionamento cerebral. Hiperatividade, DDA (Déficit de Atenção), mal de alzheimer e outras doenças têm relação com a falta desse neurotransmissor.

acetilcolina
(Imagem: Reprodução)

A função, o efeito e a atuação da Acetilcolina

A atuação deste hormônio no corpo é como um mecanismo de mensagens entre células nervosas. A concentração maior dos efeitos deste no corpo diz respeito ao sistema cardiovascular, muscular, excretor, respiratório e, claro, no cérebro.

Pensando em cada região de atuação, pode-se destacar as seguintes funções da Acetilcolina (ACH):

  • Auxilia na assimilação de conteúdo, aprendizado e memória, aprimorando a cognição;
  • Contração muscular eficiente;
  • Relaxamento do intestino;
  • Redução de frequência cardíaca após a diminuição da contração do coração, o que regula a taxa cardíaca;
  • Estimula a vasodilatação, promovendo com que o sangue flua de melhor forma pelas veias dilatadas;
  • Salivação e Sudorese mais presentes após estímulo no aumento de secreções;

Um dado importante a se ater é que a ingestão de alimentos que contenham colina pode auxiliar na prevenção de doenças degenerativas. No cérebro, por exemplo, o mal de Alzheimer tem sido uma ocorrência constante.

Segundo especialistas, a ingestão de uma quantidade saudável de alimentos que contenham a substância pode diminuir as chances de contrair a deoneça.

Os tipos de receptores

É fundamental ressaltar, no entanto, que existem dois tipos de receptores e acetilcolina responsável pela regularização de funções hormonais no corpo. Seriam eles:

  • O Nicotínico: ionotrópicos, de ação direta, atuantes nas sinapses dos neurônios cerebrais e neuromusculares;
  • O Muscarínico: metabólicos, de ação indireta, em ligação direta com a proteína G, atuante em sinapses neuronais;

Alimentos ricos em Colina (Vitamina B)

A colina é a substância responsável pela geração de Acetilcolina (ACH) no cérebro humano. Esta substância em questão poderá ser encontrada em alguns alimentos, e sua ingestão moderada é extremamente importante para o funcionamento corporal.

Claro que a quantidade varia de organismo para organismo. No entanto, recomenda-se uma ingestão máxima de 4 gramas diárias. Esse número mantém os neurotransmissores em bom funcionamento e não sobrecarrega o corpo.

Por meio disso, podem ser citados como alimentos que contém  a substância colina:

  • Aveia;
  • Feijão;
  • Soja;
  • Leite (e soro de leite);
  • Queijo;
  • Cogumelos;
  • Ovo (a gema, sobretudo);
  • Fígado;
  • Amendoim;
  • Sementes de Girassol;

Referências

SALVADOR, Edgard e USBERCO, João. Química, volume único. 1ª edição, Editora Saraiva, São Paulo-SP, 2006. 672 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [FAZU] ‘Os impulsos nervosos, provenientes de fibras nervosas de certa divisão (D1) do sistema nervoso autônomo, inibem os batimentos do coração humano através da liberação de um mediador químico (M) nas junções neuromusculares. Por outro lado, impulsos provenientes de fibras de outra divisão (D2) do mesmo sistema nervoso aceleram os batimentos cardíacos.’ Neste texto, D1, D2 e M correspondem aos seguintes termos:

a) D1= simpático, D2= parassimpático, M= acetilcolina

b) D1=parassimpático, D2= simpático, M= noradrenalina

c) D1= simpático, D2= parassimpático, M= colinesterase

d) D1= parassimpático, D2= simpático, M= acetilcolina

e) D1= simpático, D2= parassimpático, M= noradrenalina

 

02. [UniFor] Considere a frase abaixo. “No homem, o nervo vago produz I que provoca II da freqüência cardíaca e os nervos cardíacos produzem III que provocam IV da freqüência cardíaca.” Para completá-la corretamente, basta substituir I, II, III e IV respectivamente, por

a) acetilcolina – diminuição – adrenalina – aceleração

b) acetilcolina – aceleração – adrenalina – diminuição

c) acetilcolina – diminuição – adrenalina – diminuição

d) adrenalina – diminuição – acetilcolina – aceleração

e) adrenalina – aceleração – acetilcolina – diminuição

01. [D]

02. [A]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO