Verbos Unipessoais

Verbos unipessoais são verbos cuja característica é apresentar somente a terceira pessoa do singular e/ou do plural.

Os verbos unipessoais são bastante característicos em sua definição. Isso se deve ao fato da particularidade deste recurso gramatical, que viabiliza apenas duas disposições de opções.

Esse tipo de verbo apresenta somente a terceira pessoa do plural ou ainda do singular como variável. Tida como uma classe gramatical classificada como “particular”, é sempre necessária atenção para compreender as nuances dessa característica incomum.

De modo a não cometer equívocos mediante à formação de um raciocínio, entender as formas verbais é imprescindível. Assim, torna-se fundamental entender essa classe gramatical tão peculiar.

Por meio disso, passa-se a entender e aprofundar os conhecimentos sobre algumas características particulares dos denominados verbos unipessoais.

verbos unipessoais
(Imagem: Reprodução)

Características dos verbos unipessoais

Ao assumirem peculiares características, os verbos unipessoais acabam adotando pessoalidades próprias, de modo a se caracterizarem como um recurso linguístico quase único.

Dessa forma, os verbos unipessoais se caracterizam por exprimirem ações ou estados de relação a vozes de animais. Exemplos são os sons dos animais, como latir, miar, cacarejar, mugir, além de outros.

Entretanto, é importante ressaltar que quando se trata de uma linguagem conotativa, à exceção de flexão em primeira e segunda pessoa, poderão ser conjugados como no exemplo:

Rosnavam xingamentos constantes no trânsito.

É notável que o verbo está conjugado na terceira pessoa do plural (eles), exprimindo a ideia de que mais pessoas estariam proferindo xingamentos naquela situação.

Em outro caso dos verbos unipessoais é quando, ao ser flexionado na terceira pessoa do singular, os verbos assumem e se constituem por um sujeito, representando-se em/por uma dada oração.

São exemplos neste caso específico os verbos convir, acontecer, custar e ocorrer, além de outros tantos.

Outro caso que também os representa é quando, estando na terceira pessoa do singular, os verbos se constituem de sujeito representado por uma oração. Nesse caso, são exemplos: ocorrer, convir, custar, acontecer, entre outros.

Assim, exemplos como:

Convém aguardarmos a nossa vez.

Realizando o questionamento ao verbo, obtém-se: O que convém? Aguardarmos a nossa vez. Dessa maneira, há um sujeito sendo formado por oração, classificado como subordinada substantiva em redução de infinitivo.

Referências

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO