Verbos Impessoais

Os verbos impessoais são aqueles que não estão relacionados a um sujeito na frase.

Chamamos de verbos a classe de palavras que sofre flexão em número, modo, voz, tempo e pessoa, podendo indicar ações, estados, fenômenos, ocorrências e desejos. As flexões é que caracterizam os verbos, e não os significados. Os verbos contam com radicais, que são as partes invariáveis, tema, que é representado pelo radical seguido da vocal temática, que indica a conjugação a que pertence o verbo, a desinência modo-temporal, que designa o tempo e o modo do verbo, e a desinência número-pessoal, que é o elemento que designa o tempo e o modo do verbo.

Os verbos podem ser classificados como regulares, irregulares e defectivos, sendo que os regulares são aqueles que possuem desinências normais da conjugação, e suas flexões não causam alterações no radical. Por exemplo, cantar: canto, cantei, cantarei, cantava, cantasse.

Os irregulares, por sua vez, são aqueles que ao sofrerem flexão, acabam sofrendo alterações no radical ou nas desinências. Por exemplo, fazer: faço, fiz, farei, fizesse. Por fim, os defectivos são aqueles que não apresentam uma conjugação completa, classificando-se como pessoais, impessoais e unipessoais.

Os verbos impessoais, são aqueles que não contam com sujeito, usados normalmente na terceira pessoa do singular. Os principais verbos impessoais são:
Haver, quando for sinônimo de acontecer, realizar-se, fazer, existir. Por exemplo, “Havia poucos ingressos à venda”.

Fazer, ser e estar quando indicam tempo. Por exemplo, “Faz tempo que não nos vemos”. Todos os verbos que indicam fenômenos da natureza, como é o caso de escurecer, amanhecer, trovejar, gear, nevar, ventar, chover, com exceção de quando são usados no sentido figurado.

Por fim, são impessoais ainda os verbos passar quando é indicativo de tempo; os verbos bastar e chegar quando seguidos da preposição de, que indica suficiência (basta disso); os verbos estar e ficar, quando sem referência ao sujeito (está bem); e por último, o verbo deu acompanhado de para, representando algo como “ser possível” (não deu para ir).

Referências

Dicionário Gramatical de verbos do Português Contemporâneo do Brasil – F da Silva Borba
Nova Gramática do Português Contemporâneo – C Cunha, LFL Cintra

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [UFF] Assinale a frase em que há um erro de conjugação verbal:

a) Requeiro-lhe um atestado de bons antecedentes.
b) Ele interviu na questão.
c) Eles foram pegos de surpresa.
d) O vendeiro proveu o seu armazém do necessário.
e) Os meninos desavieram-se por causa do jogo.

02. [UFF] Assinale a série em que estão devidamente classificadas as formas verbais destacadas:

“Ao chegar da fazenda, espero que já tenha terminado a festa”.

a) futuro do subjuntivo, pretérito perfeito do subjuntivo
b) infinitivo, presente do subjuntivo
c) futuro do subjuntivo, presente do subjuntivo
d) infinitivo, pretérito imperfeito do subjuntivo
e) infinitivo, pretérito perfeito do subjuntivo

01. [B]
02. [E]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO