Verbos Anômalos

Verbos anômalos são verbos em que a conjugação apresentam alterações no radical ainda mais profundas do que verbos irregulares.

Os verbos anômalos são tidos como os verbos, quando conjugados, apresentam um radical contendo ainda mais alterações do que os notados em verbos irregulares. Sendo, assim, mais aprofundados nas diferenças notadas entre o verbo no infinitivo e sua respectiva conjugação.

Os verbos “ser” e “ir” são os dois verbos anômalos considerados na gramática da língua portuguesa. Isso se deve ao fato de perderem toda a sua construção radical ao serem conjugados.

No verbo “ser”, por exemplo, nota-se a presença de radicais completamente diferentes. A diferença é notória, sobretudo, em: seja e era. No verbo “ir”, o caso se torna ainda mais perceptível, principalmente ao notar as variáveis “vou”, “fui” e “irei”.

Para tanto, os verbos “ser” e “ir” serão os únicos a entrarem com essa denominação de verbos anômalos. Os demais com alteração de radical serão chamados de verbos irregulares.

Os verbos “ter” e “pôr”, por exemplo, sofrem alterações diferentes do que os anômalos sofrem. Basicamente, os verbos irregulares mantêm uma certa estrutura, já os anômalos mudam completamente sua forma.

Por isso, apesar de algumas linhas da gramática julgarem “ter” e “pôr” como anômalos, eles ainda apresentam em algumas de suas conjugações resquícios do radical de origem.

Características dos verbos anômalos

Para diferenciar os verbos anômalos dos irregulares, são necessárias observações mais aprofundadas em suas características. Dessa forma, separamos alguns pontos que deixam claro o conceito dos verbos enquanto anômalos:

  • Apresentam alterações mais aprofundadas no radical em relação aos irregulares;
  • São considerados anômalos apenas “ser” e “ir”;
  • Não seguem modelos padrão de conjugação;
  • Verbos “pôr” e “ter” podem ser considerados anômalos apenas em poucas conjugações;

Observando a conjugação dos verbos irregulares anômalos

A fim de explicitar como o radical é alterado, separamos as conjugações dos verbos anômalos irregulares dispostos para observação. É possível ver que a palavra, por si só, já é alterada de forma bastante significativa.

Em alguns casos, inclusive, cabe a dúvida quanto ao verbo que alinha determinada conjugação. Veja:

verbos anômalos
(Imagem: Reprodução)
Imagem: Reprodução)
(Imagem: Reprodução)

Referências

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1. [CESGRANRIO]

“Acesas” é particípio adjetivo de “acender”, verbo chamado abundante, porque possui dupla forma de particípio (acendido e aceso). Em abundância, que é geralmente do particípio, em alguns verbos ocorre em outras formas. Assim, por exemplo, é o caso de:

a) coser

b) olhar

c) haver

d) vir

e) dançar

Resposta: C

2. [ALERJ]

Das alternativas abaixo, a que apresenta o particípio irregular dos verbos expressar, tingir e enxugar é:

a) expressado, tinto e enxugado

b) expresso, tingido e enxugado

c) expressado, tingido e enxuto

d) expresso, tinto e enxugado

e) expresso, tinto e enxuto.

Resposta: E

Compartilhe nas redes sociais

TOPO