Romance

O Romance é uma das escolas literárias que marcou presença no Brasil, com características bastante peculiares durante o século XVII.

Romance é um dos gêneros literários, bastante presente na cultura brasileira. Surgiu no início do século XVII, tendo como características principais a estilização de diversas formas da narrativa tradicional oral, estilizações de diversas formas de narrativa, variação de formas literárias e discursos de personagens estilisticamente individualizados.

E são exatamente essas unidades que formam um sistema literário harmonioso, dando forma ao gênero. Ainda que seja considerado um discurso poético, não cabe na definição oficial utilizada pela estilística, excluindo além do romance, diversos outros gêneros.

A história do romantismo

Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, autor espanhol, é considerada a obra precursora do gênero Romantismo. Essa obra veio a definir rumos da prosa europeia e mundial durante os séculos posteriores. Para Mikhail Bakhtin, teórico russo da literatura, o livro consiste no “modelo clássico e mais puro do gênero romanesco (…), que realizou com profundidade e amplitude excepcionais todas as possibilidades literárias do discurso romanesco plurilíngue e internamente dialogizado”.

Para Foucault, foi no século XVII que o homem passou a notar a realidade e a constituição do mundo exterior de forma instável, descontínua e fragmentada. A arte perdeu, durante esse período, a função de decifrar os enigmas universais, firmando-se como pura representação, estando, a partir de então, livre dos resquícios medievais e renascentistas. Com a Revolução Industrial, assim como a ascensão definitiva da burguesia ao poder na política, o gênero literário chegou ao seu auge, tornando-se bastante popular. Normalmente era publicado em capítulos em jornais da época, e é comparado nos dias atuais às novelas de televisão. Perdeu, inclusive, uma grande parcela das audiências quando o rádio surgiu, assim como quando veio a televisão.

Romances da Literatura brasileira

Os principais romances conhecidos da literatura brasileira, relacionados ao tipo de abordagem, eram o romance urbano, que era caracterizado pela representação da vida social das cidades grandes, agregando intrigas amorosas e traições, assim como situações cotidianas de pessoas da cidade; romance regionalista, que apresenta questões sociais de algumas regiões do Brasil, apresentando linguajar típico; romance indianista, que representa os costumes indígenas; romance histórico, por fim, que destaca a vida e os costumes de determinada época, misturando fatos reais e fictícios.

Outra forma de caracterizar os romances, é pela escola literária, ou época, podendo ser o romance romântico, onde há destaque para os ideais cavalheirescos, havendo uma idealização da mulher e do homem herói; romance realista, influenciados pelo cientificismo e críticas sociais; romance naturalista, que apresenta características do romance realista; romance modernista, caracterizado por críticas sociais e visões novas de um novo mundo.

Referências

Literatura Brasileira – Ítalo Nunes Ogliari

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [Fuvest] Poderíamos sintetizar uma das características do Romantismo pela seguinte aproximação de opostos:

a) Aparentemente idealista, foi, na realidade, o primeiro momento do Naturalismo Literário.

b) Cultivando o passado, procurou formas de compreender e explicar o presente.

c) Pregando a liberdade formal, manteve-se preso aos modelos legados pelos clássicos.

d) Embora marcado por tendências liberais, opôs-se ao nacionalismo político.

e) Voltado para temas nacionalistas, desinteressou-se do elemento exótico, incompatível com a exaltação da pátria.

 

02. [UFPR] A obra romanesca de José de Alencar introduziu na literatura brasileira quatro tipos de romances: indianista, histórico, urbano e regional. Desses quatro tipos, os que tiveram sua vida prolongada, de forma mais clara e intensa, até o Modernismo, ainda que modificados, foram:

a) Indianista e histórico;

b) Histórico e urbano;

c) Urbano e regional;

d) Regional e indianista;

e) Indianista e urbano.

 

01. [B]

02. [C]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO