Ortografia

A necessidade de um padrão de escrita gerou o que chamamos de ortografia.

A ortografia é uma das primeiras partes da gramática que as pessoas têm contato, já que essa é o estudo das letras e dos sinais gráficos que compõem a língua portuguesa.

Publicidade

“Ortografia, do grego orthographia, escrita correta, é a parte da Gramática que trata do emprego correto das letras e dos sinais gráficos na língua escrita.” (CEGALLA, 2008, p.52)

* Curiosidade: o sistema ortográfico atualmente em vigor é o de 1990, decorrente do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa assinado em Lisboa, em 16 de dezembro daquele ano, pelos representantes dos sete países lusófonos e aprovado pelo Congresso Nacional em 1964.

O alfabeto português

O alfabeto da língua portuguesa compõe-se de 26 letras. Ora sozinhos, ora combinados com outras letras ou auxiliados por certos sinais gráficos, estes signos representam os mais de trinta fonemas da nossa língua.

A B C D F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

a) Emprego das letras K, W e Y: usam-se apenas

  • em abreviaturas e como símbolos de termos científicos de uso internacional: km (quilômetro), kg (quilograma), K (potássio), W (oeste), Y (ítrio), yd (jarda)…
  • na transcrição de palavras estrangeiras que ainda não foram aportuguesadas: “kart”, “smoking”, “playboy”, “hobby”…
  • em nomes próprios estrangeiros não aportuguesados e seus derivados: Kant, Franklin, Shakespeare, Wagner, Kennedy, Mickey…

b) Emprego da letra H: é uma letra que, em início ou fim de palavras, não tem valor fonético. Emprega-se o H

Publicidade

  • inicial, quando etimológico: hábito, hélice, herói, hérnia, hilaridade…
  • medial, como integrante dos dígrafos ch, lh e nh: chave, boliche, broche, cachimbo…
  • final e inicial em certas interjeições: ah!, ih!, eh!, oh!, hum!…
  • em compostos unidos por hífen, no início do segundo elemento, se etimológico: sobre-humano, anti-higiênico, pré-histórico…
  • NÃO SE USA H em palavras derivadas e em compostos sem hífen: reaver, reabilitar, desonesto, desonra…

c) Emprego das letras E, I, O e U

c.1)Escrevem-se com a letra E:

  • a sílaba final de formas dos verbos terminados em –uar: continue, continues, habitue, pontue…
  • a sílaba final de formas dos verbos terminados em –oar: abençoe, abençoes, magoe, magoes…
  • as palavras formadas com o prefixo ante- (antes, anterior): antebraço, antecipar, antedatar, antevéspera…
  • entre outros vocábulos.

c.2) Emprega-se a letra I:

Publicidade

  • na sílaba final de formas de verbos terminados em –uir: diminui, diminuis, influi, influis…
  • em palavras formadas com o prefixo anti- (contra): antiaéreo, Anticristo, antitetânico…
  • entre outros vocábulos.

c.3) Grafam-se com a letra O: abolir, banto, boate, bolacha, engolir, goela, moela, moleque, mosquito, névoa…

c.4) Grafam-se com a letra U: cumbuca, íngua, rebuliço, tábua, tabuada, tonitruante, trégua, urtiga, entupir…

d) Emprego das letras G e J

d.1) Escrevem-se com G:

  • Os substantivos terminados em –agem, –igem, –ugem: garagem, massagem, viagem, origem…
  • As palavras terminadas em –ágio, –égio, –ígio, –ógio, –úgio: contágio, estágio, egrégio, prodígio, refúgio…
  • As palavras derivadas de outras que se grafam com G: massagista (massagem), vertiginoso (vertigem), ferruginoso (ferrugem)…

d.2)Escrevem com J:

  • Palavras derivadas de outras terminadas em –ja: laranja (laranjeira, laranjinha), loja (lojinha, lojista), granja (granjeiro, granjear)…
  • Todas as formas de conjugação dos verbos terminados em –jar ou –jear: gorja (gorjeta, gorjeio), lisonja (lisonjeiro, lisonjear)…
  • Vocábulos cognatos ou derivados de outros que têm J: laje (lajedo, Lajes, lajiano), nojo (nojeira, nojento)…
  • Entre outras palavras: alfanje, jeca, jegue, Jeremias, jérsei, manjericão, pegajento…

e) Emprego do S com valor de Z

e.1) Escrevem-se com S com som de Z:

  • Adjetivos com os sufixos –oso, –osa: gostoso, graciosa, teimoso…
  • Adjetivos pátrios com sufixos –ês, –esa: português, portuguesa, inglês, inglesa…
  • Substantivos e adjetivos terminados em –ês, –esa: burguês, burguesa, camponês, camponesa…
  • Substantivos com sufixos gregos –ese, –isa, –ose: catequese, diocese, diurese, poetisa…
  • Verbos derivados de palavras cujo radical termina em –s: analisar, apresar, atrasar, abrasar…
  • Formas dos verbos pôr e querer e de seus derivados: pus, pôs, pusemos, puseram, puser, compôs…
  • Entre outras palavras: aliás, descortesia, hesitar, raposa, despesa, empresa, mês, paisagem…

f) Emprego da letra Z

  • Derivados em –zal, –zeiro, –zinho, –zinha, –zito, –zita: cafezal, cafezeiro, cafezinho, avezinha…
  • Derivados de palavras cujo radical termina em Z: cruzeiro, enraizar, esvaziar, vazar…
  • Verbos formados com o sufixo –izar e palavras cognatas: fertilizar, fertilizante, civilizar, civilização…
  • Substantivos abstratos em –eza, derivados de adjetivos e denotando qualidade física ou moral: pobreza, limpeza, frieza…
  • Entre outras palavras: azar, aprazível, chafariz, proeza, vazante, vazar, buzinar, bazar…

g) S ou Z?

g.1) Sufixos –ês e –ez

  • O sufixo –ês forma adjetivos (às vezes substantivos) derivados de substantivos concretos: montês, cortês, francês…
  • O sufixo –ez forma substantivos abstratos femininos derivados de adjetivos: aridez, cupidez, mudez, estupidez…

g.2) Sufixos –esa e –eza

Escreve-se com –esa:

  • substantivos cognatos de verbos terminados em –ender: defesa (defender), presa (prender), despesa (despender)…
  • algumas formas de tratamento: baronesa, duquesa, marquesa, princesa…
  • as formas femininas dos adjetivos terminados em –ês: burguesa (burguês), francesa (francês)…

Escreve-se com –eza:

  • os substantivos femininos abstratos derivados de adjetivos e denotam qualidades, estado, condição: beleza, franqueza, pobreza…

g.3) Verbos terminados em –isar e –izar:

  • Escreve-se com –isar quando o radical dos nomes correspondentes termina em ¬–s. Se o radical não terminar em –s, grafa-se –izar: avisar (aviso + ar), anarquizar (anarquia + izar), alisar (a + liso + ar), amenizar (ameno + izar)…

h) Emprego do X

h.1) Esta letra representa os seguintes fonemas:

  • /ch/: xarope, enxofre, vexame
  • /cs/: sexo, látex, léxico
  • /z/: exame, exílio, êxodo
  • /ss/: auxílio, máximo, próximo
  • /s/: sexto, texto, expectativa

h.2) Grafam-se com x e não com s: expectativa, experiente, expiar, expirar, expoente, êxtase…

h.3) Escreve-se x e não ch:

  • Em geral, depois de ditongo: caixa, baixo, feixe, ameixa, rouxinol…
  • Geralmente, depois da sílaba inicial –en: enxada, exame, enxaguar, enxoval, enxotar…
  • Entre outras palavras: anexim, bexiga, coaxar, faxina, graxa, lagartixa…

i) Emprego do dígrafo CH
Escrevem-se com ch, entre outros, os seguintes vocábulos: bucha, charque, chávena, charrua, chimarrão, chuchu…

j) Consoantes dobradas

j.1) Nas palavras portuguesas só se duplicam as consoantes c, r e s.

j.2) Escreve-se cc ou cç quando as duas consoantes soam distintamente: convicção, occipital, cocção, fricção…

j.3) Duplicam-se o r e o s em dois casos:

  • Quando, intervocálicos, representam fonemas /r/ forte e /s/ sibilante: carro, ferro, pêssego, missão…
  • Quando a um elemento de composição terminado em vogal seguir, sem interposição do hífen, palavra começada por r ou s: arroxeado, correlação, pressupor, bissemanal, girassol…

k) Emprego das iniciais maiúsculas e minúsculas

k.1) Escrevem-se com letra inicial maiúscula

  • A primeira palavra de período ou citação. Ex: Nossa língua é falada em todos os continentes.
  • substantivos próprios (antropônimos, alcunhas, topônimos, nomes sagrados, mitológicos, astronômicos, nomes de regiões). Ex: José, Tiradentes, Brasil, Amazônia, Marte, Deus, Maria Santíssima, Tupã…
  • nomes de épocas históricas, datas e fatos importantes, festas religiosas. Ex: Idade Média, Renascença, Centenário da Independência do Brasil…
  • nomes de altos cargos e dignidades. Ex: Papa, Presidente da República…
  • nomes de altos conceitos religiosos ou políticos. Ex: Igreja, Nação, Estado, Pátria, União…
  • nomes de estabelecimentos, agremiações, corporações, órgãos públicos, etc. Ex: Academia Brasileira de Letras, Banco do Brasil, Teatro Municipal…
  • títulos de jornais e revistas. Ex: O Globo, Jornal do Brasil, Veja…
  • expressões de tratamento. Ex: Vossa Excelência, Sr. Presidente, Excelentíssimo Senhor…
  • nomes dos pontos cardeais, quando designam regiões. Ex: Os povos do Oriente, o falar do Norte…
  • nomes comuns, quando personificados ou individualizados. Ex: o Amor, o Ódio, a Morte, o Jabuti…

A ortografia é a primeira parte do português que aprendemos quando somos mais novos. Ela é imprescindível para manter uma boa e correta escrita quando escrevemos nossos discursos.

Referências

CEGALLA, Domingos P. Novíssima gramática da língua portuguesa. 48o ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008.

Priscila Nayade
Por Priscila Nayade

Graduada em Letras Português - Licenciatura (UnB)

Como referenciar este conteúdo

Nayade, Priscila. Ortografia. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/portugues/ortografia. Acesso em: 24 de July de 2024.

Teste seu conhecimento

1. [UFPR/2005] Assinale a alternativa correspondente à grafia correta dos vocábulos:
1.desli…e 2. vi…inho 3. atravé… 4. empre…a

a) z – z – s – s
b) z – s – z – z
c) s – z – s – s
d) s – s – z- s
e) z – z – s – z

2. [TRE-RJ/2006] Pronunciam-se corretamente, com o e e abertos (ó / é), como “povos” e “servo” , as seguintes palavras:

a) inodoros / indefeso
b) fornos / obsoleto
c) caroços / adrede
d) gostos / destro
e) globos / coeso

1. [A]

A ortografia correta das palavras é deslize, vizinho, através e empresa.

2. [C]

As únicas palavras que se pronunciam como se possuíssem acentos seriam “caroços” e “adrede”, apesar da possibilidade de haver múltiplas fonéticas dependendo da cidade.

Compartilhe

TOPO