Objeto direto e Objeto indireto

São termos que completam o sentido dos verbos transitivos.

1. Objeto direto

Quando temos o verbo transitivo direto, que não precisa de preposição, utilizamos como complemento o objeto direto. Veja alguns exemplos:

Publicidade

  • Beijou sua mulher como se fosse a última.” (Chico Buarque)
  • Deve ser um engano, não tenho hora marcada.

– Legenda:

  • Verbo transitivo direto
  • Objeto direto

Em alguns casos, o objeto direto pode ser substituído pelos pronomes oblíquos “a(s), o(s)” – quando os verbos terminam em “-r, -s, -z”, tomam as formas “la(s), lo(s)” e quando terminam em ditongos nasais (“-ão, -õe, -am”), as formas “no(s), na(s)”.

  • Deixaram a carteira sobre a mesa: deixaram-na sobre a mesa.
  • Avisamos o médico a tempo: Avisamo-lo a tempo.
  • Procuraram o garoto por todo o bairro: Procuraram-no por todo o bairro.

Existem alguns casos especiais sobre o objeto direto:

Objeto direto preposicionado

Em algumas situações, o objeto direto pode ser preposicionado, ou seja, precedido de uma preposição mesmo sem ser um objeto indireto. Vejamos em que casos isso ocorre:

a) Para evitar ambiguidade: “Ofendeu ao repórter o entrevistado.”

b) Quando o objeto direto é um pronome pessoal oblíquo tônico (mim, ti, si, nós, vós, ele-s, ela-s): “Dessa maneira ele prejudicará tanto a si mesmo como a todos nós“.

Publicidade

c) Quando o objeto direto é representado pelo pronome relativo “quem”: “Se precisasse escolher entre mim e ele, a quem escolhia?”

d) Quando o objeto direto é um nome próprio ou comum que designe pessoas: “Louvemos ao Senhor”.

e) Quando o objeto direto indica parte de um todo (partitividade): “Dessa água jamais beberei“.

Publicidade

f) Quando o objeto é representado por um pronome indefinido designativo de pessoa: “Ela não impressionou a ninguém“.

g) Quando o objeto direto indica reciprocidade: “Eles se odiavam uns aos outros“.

– Legenda:

  • Verbo transitivo direto
  • Objeto direto preposicionado

Objeto direto pleonástico

Como o nome sugere, pleonasmo. Ocorre quando repetimos o objeto direto a fim de dar ênfase a algo.

  • Todas as informações, conseguiram-nas por acaso.

Objeto direto interno

São os casos em que o objeto direto repete o mesmo radical do verbo. Nesses casos, para evitar redundância:

  • “E rir meu riso, e derramar meu pranto”. (Vinícius de Moraes)

2. Objeto indireto

“É o termo que completa a significação de um verbo transitivo indireto com o auxilio de uma preposição obrigatória. Com os verbos bitransitivos (transitivos diretos e indiretos) o objeto indireto representa o ser a quem (ou para quem) o objeto direto se destina.” (BEZERRA, 2010)

Veja alguns exemplos:

  • Ele necessita de um tratamento urgente.
  • Enviaram as correspondências para o antigo morador.

O objetivo indireto pode ser substituído por “lhe(s), a ele(s), a ela(s), dele(s), dela(s), nele(s), nela(s)”:

  • Obedeço aos meu superiores: obedeço a eles/ obedeço-lhes.

Objeto indireto pleonástico

Da mesma forma que ocorre com o objeto direto, também podemos encontrar o objeto indireto na forma pleonástica, quando repetimos o objeto indireto a fim de dar ênfase a algo:

  • Aos animais, bastam-lhe carinho.

Referências

BEZERRA, Rodrigo. Nova gramática da língua portuguesa para concursos. 4ª ed. Rio de Janeiro: Forense; Sao Paulo: MÉTODO, 2010.
ALMEIDA, Nilson Teixeira de. Gramatica da Língua Portuguesa para concursos, vestibulares, ENEM, colégios técnicos e militares. 9ª Ed. São Paulo: Saraiva, 2010

Bárbara Neves
Por Bárbara Neves

Graduada em Letras Português - Licenciatura (UEM)

Como referenciar este conteúdo

Neves, Bárbara. Objeto direto e Objeto indireto. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/portugues/objeto-direto-e-objeto-indireto. Acesso em: 26 de February de 2024.

Teste seu conhecimento

1. [MACK] Nas frases abaixo, o pronome oblíquo está corretamente classificado, exceto em:

a) “Fugia-lhe é certo, metia o papel no bolso…” (objeto indireto)
b) “… ou pedir-me à noite a bênção do costume.” (objeto indireto)
c) “Todas essas ações eram repulsivas: eu tolerava-as…” (objeto direto)
d) “… que vivia mais perto de mim que ninguém.” (objeto indireto)
e) “… eu jurava matá-los a ambos…” (objeto direto)

2. [TJ-SP] Marque a alternativa cujo termo em destaque não é objeto indireto:

a) O filho dera muitas alegrias à sua velhice.
b) Senhor, rogai por nós.
c) A mãe não lhe negaria o perdão.
d) Desta água não beberei.
e) Nunca te pedi dinheiro.

1. [D]
Nesta opção o pronome oblíquo (mim) não está classificado corretamente, porque o verbo viver é intransitivo e “de mim” completa o advérbio “perto” e por isso é complemento nominal.

2. [D]
Em desta água temos um objeto direto preposicionado, que indica fazer uso da água, tomar parte da água.

Compartilhe

TOPO