Morfossintaxe

A morfossintaxe faz a análise compreendendo uso da análise morfológica e da análise sintática em uma dada oração.

A morfossintaxe compreende uma análise feita às orações a partir de termos sintáticos e morfológicos. Sendo assim, a morfossintaxe compreenderá uma análise completa, abrangendo tanto a análise sintática, como também morfológica.

Por meio disso, é importante ressaltar e relembrar o que é uma análise sintática e uma análise morfológica. Elas serão fundamentais, uma vez que abrangem a morfossintaxe.

Sendo assim, temos que:

  • Análise morfológica: realiza a análise individual dos elementos componentes da ligação. A mesma independe da ligação entre as palavras que compõem a oração;
  • Análise sintática: faz uma análise mais abrangente, compreendendo a relação das palavras dentro de uma oração. Por meio disso, a função da análise sintática é entender a função que os elementos integrantes da oração desempenham entre si;
morfossintaxe exemplos
(Imagem: Reprodução)

Morfossintaxe: como fazer a análise conjunta

Como ressaltado anteriormente, para fazer a análise segundo a morfossintaxe de uma oração, é necessário combinar ambas as análises anteriormente apresentadas. A formação e o destrinchar da oração se dará em duas etapas:

  1. I) Com a análise morfológica;
  2. II) Com a análise sintática;

Serão as duas as responsáveis por cobrir a morfossintaxe, a fim de entender a formação da oração. Sendo assim, seja por meio da representação de cada palavra, ou do sentido da frase como um todo, será possível entender o contexto e sentido.

Análise Morfológica

A análise morfológica tem como função a análise individual das classes de palavras. Entre elas, estão o substantivo, o artigo, o adjetivo, o numeral, o pronome, o verbo, advérbio, preposição, conjunção e interjeição.

Temos o exemplo, então:

Utilizamos a luz sem desperdício.

  • Utilizamos: 1ª pessoa do plural do verbo utilizar, com conjugação no presente do indicativo, da voz ativa;
  • a: artigo definido;
  • luz: substantivo comum;
  • sem: preposição;
  • desperdício: substantivo do tipo abstrato;

Análise Sintática

Por outro lado, a análise sintática abrange a função de verificar a ligação dos termos que integram a oração, a fim de compreender o contexto. Estão entre eles: complemento verbal e nominal, agente da passiva, adjunto adverbial e adnominal e, por fim, o aposto.

A fim de compreender melhor o funcionamento, usaremos o mesmo exemplo anterior:

Utilizamos a luz sem desperdício.

  • (Nós) – há sujeito oculto;
  • Utilizamos: verbo transitivo direto e indireto;
  • a água: objetivo direto, com “água” sendo o núcleo do objeto direto;
  • sem desperdício: adjunto adverbial;

Morfossintaxe

Por meio disso, teremos a morfossintaxe a simples combinação das análises. Ao cobrir tanto a análise individual, como o sentido do contexto, temos a análise morfossintaxe.

morfossintaxe análise
(Imagem: Todo Estudo/Reprodução)

Referências

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [Cesgranrio]

Assinale a opção que traz corretas classificações do sujeito e da predicação verbal.

a) “Houve uma considerável quantidade” – sujeito inexistente; verbo transitivo direto.

b) “que jamais hão-de ver país como este” – sujeito indeterminado; verbo transitivo indireto.

c) “mas reflete a pulsação da inenarrável história de cada um”- sujeito simples; verbo transitivo direto e indireto.

d) “que se recebe em herança” – sujeito indeterminado; verbo transitivo indireto.

e) “a quem tutela” – sujeito simples; verbo intransitivo.

 

02. [UFC]

No trecho: “Eu não creio, não posso mais acreditar na bondade ou na virtude de homem algum; todos são mais ou menos ruins, falsos, e indignos; há porém alguns que sem dúvida com o fim de ser mais nocivos aos outros, e para produzir maior dano, têm o merecimento de dizer a verdade nua e crua, (…)” (p.65):

I . algum e alguns são pronomes indefinidos.

II. alguns é sujeito do verbo haver.

III. algum equivale a nenhum.

Assinale a alternativa correta sobre as assertivas acima:

a) apenas I é verdadeira.

b) apenas II é verdadeira.

c) apenas I e II são verdadeiras.

d) apenas I e III são verdadeiras.

e) I, II e III são verdadeiras.

01. [A]

02. [D]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO