Gerundismo

O uso do gerúndio de forma desnecessária e exagerada, com estruturas mal empregadas dessa construção.

Podemos dizer que o gerundismo é uma espécie de vilão que deixou o gerúndio literalmente malfalado, mas nem sempre essa construção foi tão evitada e criticada. De acordo com alguns autores, a função do gerúndio é fazer papel de núcleo adverbial para denotar circunstâncias diversas, outros também concordam que sua função adjetiva também é cabível, mas, se há algo com o qual todos os gramáticos concordam é que adota- lo a todo momento só acumula-o numa série de mau gosto, de acordo com Bechara.

Para entendermos melhor, podemos citar esse trecho de Bechara.

“Gerúndio figura com a ideia muito acentuada de tempo transitório, servindo de atribuir um modo de ser, uma qualidade, uma atividade a um nome ou pronome, mas apenas dentro de certo período e em determinada situação. Assim, água fervendo e água que naquele momento fervia ou fervia dentro de certo espaço de tempo.“ (BECHARA, 2010)

Nos casos de gerundismo o tempo da ação é o futuro contínuo, que é indicado para ações duradouras, ou seja, não devemos usá-lo em casos concluídos em apenas uma ação.

“Não que a construção “ir + estar + gerúndio” não possa ser usada. Ela sempre será legítima quando estiver atrelada a outra ação situada no tempo.” (BEZERRA, 2010)

  • “Não se preocupe, pois vou enviar seu recado para o meu chefe”.
    (Faz referência apenas à ação.)
  • “Não se preocupe, pois vou estar enviando seu recado para o meu chefe”.
    (Além da referência à ação, refere-se também ao tempo de duração da ação, dando a ideia de é necessário buscar tempo para o cumprimento da ação, como encontramos na nova gramática da língua portuguesa)

Mas, afinal, quais os casos em que podemos usar o gerúndio de forma correta?

a) Para expressar ideias ou ações que acontecerão ou aconteceram simultaneamente:

  • Na semana que vem, quando você estiver viajando, eu estarei me preparando para a prova.

b) Em ações contínuas que não apresentam conclusão:

  • Eles estavam viajando sem destino.

c) Para ações que ainda não acabaram:

  • Não posso comparecer a esse horário, vou estar viajando a trabalho.

Referências

BEZERRA, Rodrigo. Nova gramática da língua portuguesa para concursos. 4ª ed. Rio de Janeiro: Forense; São Paulo: MÉTODO, 2010.
BECHARA, Evanildo. Gramática escolar da língua portuguesa. 2 ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2010.

Bárbara Neves
Por Bárbara Neves

Graduada em Letras Português - Licenciatura (UEM)

Teste seu conhecimento

1. [INSPER/2011] Quando flexionados no gerúndio, os verbos perdem suas características e assumem características de nome. Sobre o uso do gerúndio, considere as seguintes afirmações:

I. A forma verbal “morrendo” (presente no segundo quadrinho) poderia ser substituída, sem prejuízo de sentido, por “quando morria”.
II. Os gerúndios “pulsando” e “morrendo” exercem a mesma função sintática nos períodos em que se inserem.
III. O gerúndio “pulsando” (presente no primeiro quadrinho) poderia ser substituído por uma oração de valor temporal.
Está(ão) correta(s) apenas

a) I
b) II
c) III
d) I e II
e) II e III

2. [UNIRIO/2010] No período: “E olhando, indagando, farejando, refletindo, o seu interesse cruza com o interesse de milhões de outras criaturas…” Escreva, em uma frase completa, qual é a contribuição semântica do uso dos verbos no gerúndio em paralelo ao verbo no tempo presente do indicativo.

1. [A]
No segundo quadrinho, pode-se aceitar que a forma verbal “morrendo” funciona como uma oração temporal reduzida, indicando simultaneidade entre as ações de ver e morrer, de maneira que poderíamos usar “quando morria”. Portanto, a alternativa A está correta. No primeiro quadrinho, a forma “pulsando” faz parte de uma locução verbal com verbo auxiliar implícito: “e (estou) pulsando como uma sanguessuga”. Nas locuções verbais, é o primeiro verbo que se flexiona e indica o tempo verbal. Assim temos um presente contínuo, e não uma oração reduzida, o que torna incorretas as proposições II e III.

2. O emprego do gerúndio enfatiza um processo contínuo, inacabado, além disso, o efetivo de realizar a ação.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO