Colocação pronominal

A colocação pronominal trabalha a maneira de colocar os pronomes oblíquos acoplados aos verbos para que esses sejam empregados corretamente.

Muitos têm dúvidas ao empregar corretamente os pronomes oblíquos átonos na oração. Isso porque cada caso deve ter o verbo analisado corretamente. Vamos aprender, de uma vez por todas, como acertar na colocação pronominal?

Quais são os pronomes oblíquos átonos?

1ª pessoa 2ª pessoa 3ª pessoa
me te se/o/a/lhe
nós vós se/os/as/lhes

Próclise

É a colocação pronominal antes do verbo. Usa-se próclise quando o verbo estiver precedido de palavras que atraem o pronome para antes do verbo, como:

As de sentido negativo

Exemplo: Você jamais se esquecerá de mim.

Advérbios

Exemplo: Agora se negam a dizer a verdade.

Conjunções subordinativas

Exemplo: Sabia que me entregariam à polícia.

Pronomes relativos

Exemplo: O detetive encontrou duas mulheres que se encontravam desaparecidas.

Pronomes indefinidos

Exemplo: Apenas algumas pessoas te ofereceram ajuda.

Pronomes demonstrativos

Exemplo: Disso me acusaram, mas não possuem provas.

Orações iniciadas por palavras interrogativas

Exemplo: Quem te perguntou algo?

Orações iniciadas por palavras exclamativas

Exemplo: Quanto se ofendem por nada!

Orações que exprimem desejo

Exemplo: Espero que Deus o ajude.

Formas verbais proparoxítonas

Exemplo: Nós o censurávamos e nunca lhe obedecíamos.

Preposição em + gerúndio

Exemplo: Em se tratando do projeto, estamos quase lá!

Mesóclise

É a colocação pronominal no meio do verbo. A mesóclise é usada quando o verbo estiver no futuro do presente (amarei, poderei, sairei) ou futuro do pretérito (amaria, poderia, sairia), desde que esses verbos não estejam precedidos pelos casos da próclise.

Exemplos:

  • Realizar-se-á na próxima semana um grande evento na cidade.
  • Não fosse meus compromissos, acompanhar-te-ia nessa jornada.

Ênclise:

É a colocação pronominal depois do verbo. A ênclise é usada em todos os casos em que a próclise e mesóclise não são possíveis, tais como:

Verbo no imperativo afirmativo

Exemplo: Sente-se imediatamente!

Verbo no infinitivo impessoal

Exemplo: Convém darlhe autorização ainda hoje.

Verbo iniciando a oração

Exemplo: Viramme na rua e não me cumprimentaram.

Pausa antes do verbo (marcado por pontuação)

Exemplo: Se eu ganho esse prêmio, mudome de casa hoje mesmo.

Verbo no gerúndio

Exemplo: O jovem reclamava muito, comportandose como uma criança.

Locuções verbais

As regras para colocação pronominal com locuções verbais são mais específicas:

Verbo principal no gerúndio ou infinitivo

Caso não haja palavra atrativa que exija próclise, o pronome poderá ficar depois do verbo principal ou depois do verbo auxiliar.

  • Quero te ver hoje.
  • Quero ver-te hoje.

Caso exista alguma palavra atrativa, o pronome poderá ficar antes do verbo auxiliar ou depois do verbo principal.

  • Não te quero ver hoje.
  • Não quero ver-te hoje.

Verbo principal no particípio

O pronome aparece antes do verbo auxiliar.

Exemplo: Haviam me convidado para este evento.

Caso exista alguma palavra atrativa, o pronome fica antes do verbo auxiliar.

Exemplo: Não me haviam convidado para este evento.

Observações importantes

  • Em verbos terminados em vogais ou ditongos orais, os pronomes não se alteram. Ex: Chame-o para cá agora.
  • Em verbos terminados em r, s ou z, os pronomes se alteram para >lo, la, los e las. Ex: Encontrá-la é minha fantasia (verbo encontrar).
  • Em verbos terminados em ditongos nasais (am, em, ão, õe), os pronomes se alteram para no, nos, na e nas. Ex: Põe-na sobre a mesinha de centro.
  • Pronomes oblíquos não podem iniciar frases ou orações.

A língua portuguesa segue uma ordem que pode ser alterada das mais diversas formas e nos mais variados contextos. Entretanto, essa colocação dos pronomes átonos é bastante respeitada na norma culta da língua, mas quase não se registra na língua oral.

Referências

SACCONI, Antônio L. Gramática Essencial Ilustrada. 19 ed. São Paulo: ed. Harbra. 2004
BECHARA, Evanildo. Gramática escolar da língua portuguesa. 1.ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.

Priscila Nayade
Por Priscila Nayade

Graduada em Letras Português - Licenciatura (UnB)

Teste seu conhecimento

1. [EPCAR/2009] Imagine o pronome entre parênteses no lugar devido e aponte onde não deve haver próclise:

a) Não entristeças. (te)
b) Deus favoreça. (o)
c) Espero que faças justiça. (se)
d) Meus amigos, apresentem em posição de sentido. (se)
e) Ninguém faça de rogado. (se)

2. [FTU/2010] A frase em que a colocação do pronome átono está em desacordo com as normas vigentes no português padrão do Brasil é:

a) A ferrovia integrar-se-á nos demais sistemas viários.
b) A ferrovia deveria-se integrar nos demais sistemas viários.
c) A ferrovia não tem se integrado nos demais sistemas viários.
d) A ferrovia estaria integrando-se nos demais sistemas viários.
e) A ferrovia não consegue integrar-se nos demais sistemas viários.

3. [SANTA CASA/2008] Há um erro de colocação pronominal em:

a) “Sempre a quis como namorada.”
b) “Os soldados não lhe obedeceram as ordens.”
c) “Todos me disseram o mesmo.”
d) “Recusei a ideia que apresentaram-me.”
e) “Quando a cumprimentaram, ela desmaiou.”

1. [D]

Havendo pausa antes do verbo, marcado pela pontuação, o pronome átono fica em posição de ênclise. Logo, ficaria “Meus amigos, apresentem-se em posição de sentido.”

2. [B]

Quando o verbo estiver no futuro do pretérito (terminação ia), ocorrerá a mesóclise. Dessa forma, ficaria: “Dever-se-ia integrar a ferrovia nos demais sistemas viários”.

3. [D]

O pronome relativo “que” atrai o pronome oblíquo “me” para antes do verbo, sofrendo, assim, próclise. Ficaria: “Recusei a ideia que me apresentaram”.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO