Classes de palavras

As classes de palavras foram criadas para agrupar cada tipo segundo sua característica principal.

Ao longo dos anos, as palavras adquiriram novos significados e novas classificações. Para poder diferenciá-las, criam-se classes para abrigar cada tipo segundo sua característica principal. Por conta disso, antigamente, era comum as gramáticas chamarem esse tipo de classificação de “classes de palavras”. Atualmente, o mais comum é classes gramaticais.

“Todas as palavras da nossa língua pertencem a uma classe”. Existem dez classes de palavras:
Substantivo, Artigo, Adjetivo, Numeral, Pronome, Verbo, Advérbio, Preposição, Conjunção e Interjeição.” (SACCONI, 2004, p. 80)

1. Substantivo

É o nome de tudo o que existe ou imagina-se existir. Exemplos:

  • Casa, jornal, alma, fada, saudade, amor…
  • Eu comprei bananas, uvas e maçãs no mercado.
  • Meu filho teve um sonho muito estranho esta noite.

2. Artigo

Antecede o substantivo, determinando-o ou não. Sempre concorda em número e gênero.

Feminino: A, As, Uma, Umas.
Masculino: O, Os, Um, Uns.

Exemplos:

  • A casa é cara. (uma casa específica).
  • Comprar uma casa é caro. (qualquer casa).

3. Adjetivo

Pode aparecer antes ou depois do substantivo, sempre indicando qualidades, defeitos, condições etc. Sempre concorda em número, gênero e grau. Exemplos:

  • O soldado corajoso./ Os soldados corajosos.
  • Uma menina graciosa./ Umas meninas graciosas.

Obs: O adjetivo também pode vir representado por uma expressão a que se dá o nome de locução adjetiva.

4. Numeral

É toda palavra que dá a ideia de número, de quantidade.

Exemplos: Um, dois, segundo, terceiro, metade, vinte, triplo etc.

  • Ele foi o segundo lugar na partida.
  • Nós só pagaremos dois terços da conta.
  • Por que você fez apenas metade da tarefa?

5. Pronome

É toda palavra que substitui ou acompanha um substantivo, referindo-se a uma das pessoas do discurso.

  • 1a pessoa: Eu, Nós.
  • 2a pessoa: Tu, Vós.
  • 3a pessoa: Ele, Eles, Ela, Elas.

Exemplos:

  • Chegou a nossa comida. (marcação de 2a pessoa do plural).
  • Ele é um gênio. (marcação de 3a pessoa do singular).
  • Por que tu o maltratas tanto? (marcação de 2a do singular).

6. Verbo

É toda palavra que pode ser conjugada, ou seja, que possui a capacidade de passar por diversas variações, como modo, tempo, pessoa, número e voz. Geralmente expressa uma ação, processo ou estado.

Modo: Indicativo, subjuntivo, condicional, optativo e imperativo.
Tempo: Presente, pretérito (imperfeito, perfeito e mais-que-perfeito) e futuro (do presente, do pretérito).
Pessoa: Eu, tu, ele/ela, nós, vós, eles/elas.
Número: Singular e plural.
Ativa, passiva e reflexiva.

Exemplos:

  • Talvez cantarei esta noite. (futuro do presente, marcação de 1a pessoa do singular).
  • Ele foi visitado pelos amigos. (voz passiva do verbo visitar, marcação de 3a pessoa do singular).
  • Fechem a porta agora! (imperativo do verbo fechar, marcação de 2a pessoa do plural).
  • Se não estivesse tão cansada, iria com você. (condicional do verbo ir, marcação de 1a pessoa do singular).

7. Advérbio

É um termo que aparece próximo do verbo, caracterizando, especificando ou melhorando o seu sentido. Exemplos:

  • Estudo bastante todos os dias. (advérbio de intensidade).
  • Eu vou para casa de bicicleta. (advérbio de modo).
  • Nós conversamos sobre música. (advérbio de assunto).
  • O aluno melhora conforme ele estuda. (advérbio de conformidade).
  • Acabei vendo o que eu não queria ver hoje. (advérbio de tempo).

Obs: O advérbio também pode vir representado por duas ou mais palavras e, por isso, recebe o nome de locução adverbial. Exemplos:

  • Estudo à noite.
  • Eles gostam de falar sobre futebol.
  • Ouvi minha irmã chegando de mansinho tarde da noite.

8. Preposição

É toda palavra que liga outras palavras. Exemplos:

  • Casa de campo.
  • Gosto de falar sobre dança.
  • Café com leite.
  • Cheguei após o almoço.

9. Conjunção

É toda palavra que liga duas ou mais orações. Exemplos:

  • A sala está suja porque ninguém a limpou.
  • Eu tentei, mas não consegui convencê-lo.
  • Sai para conhecer a cidade.
  • O pai, que era médico, nunca mais voltou.

10. Interjeição

É toda palavra que indica emoção ou qualquer sentimento repentino. Exemplos:

  • Nossa, que acidente horrível!
  • Oh, que surpresa!
  • Cruz credo! Que filme ridículo!

Independente da classificação, as palavras adquirem diferentes significados quando empregadas nos mais diversos contextos. Porém, em questão de estudo e registro, elas precisam ser categorizadas para que se facilite o uso específico de cada uma delas.

Referências

SACCONI, Antônio L. Gramática Essencial Ilustrada. 19 ed. São Paulo: ed. Harbra. 2004
BECHARA, Evanildo. Gramática escolar da língua portuguesa. 1.ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.

Priscila Nayade
Por Priscila Nayade

Graduada em Letras Português - Licenciatura (UnB)

Como referenciar este conteúdo

Nayade, Priscila. Classes de palavras. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/portugues/classes-de-palavras. Acesso em: 17 de September de 2021.

Teste seu conhecimento

1. [UFRJ/2011] Observe o período: “Nada se sabe dele, senão que morreu de fome”. Nesse período, pode-se substituir o conectivo destacado, sem alterar o sentido da frase, por:

a) Inclusive
b) Exceto
c) Se não
d) Aliás
e) De outro modo

2. [UFMA/2006] Assinale a alternativa que completa correta e respectivamente o período: “A polícia _______ no roubo e _______ o ladrão”.

a) interveio, deteu;
b) interveio, deteve;
c) interviu, deteu;
d) interveu, deteve;
e) interviu, deteve.

3. [FUVEST/2010] “Galileu duvidou tanto de Aristóteles quanto das escrituras”. A mesma noção expressa pelo par sublinhado está também em:

a) A criança tanto chorou que a mãe comprou o brinquedo.
b) Quer você queira, quer não, partimos amanhã.
c) Não só o argumento é falso, como o discurso todo mente.
d) Ele apresentou de tal forma os fatos que convenceu a todos.
e) Ela mais bradou que verdadeiramente lutou contra a opinião pública.

1. [B]

A relação colocada na afirmação é de oposição, de excludência. A única alternativa que contém o conectivo representante desse tipo de construção é a B, contendo “exceto” como resposta. Ficaria: Não se sabe nada dele, exceto que morreu de fome.

2. [B]

Para a alternativa estar correta, é preciso que os dois verbos se apresentem no mesmo tempo. No caso da letra B, o verbo intervir está conjugado no pretérito perfeito do indicativo, da mesma forma como o verbo deter. A letra E, por mais que mantenha a conjugação correta do último verbo, a forma “interviu” não existe na norma culta da língua.

3. [C]

Por mais que a forma “tanto… quanto” seja comparativa, na afirmação, ela aparece com a ideia de adição de informações. Dentre as alternativas, a única que se expressa da mesma forma é “Não só o argumento é falso, como o discurso todo mente”.

Compartilhe

TOPO