Assíndeto

Assíndeto faz parte do conjunto de figuras de linguagem do tipo sintaxe, sendo caracterizada pela ausência do síndeto.

Assíndeto é uma figura de linguagem do tipo sintaxe. Pouco comuns no estudo mais básico da língua portuguesa, elas são essenciais para compreender o idioma como um todo.

Como a própria etimologia sugere, a palavra assíndeto é caracterizada pela ausência do síndeto. O síndeto, por consequência, é uma conjunção coordenativa, em que é feito o seu uso para substituir termos nas orações coordenadas.

Desse modo, o assíndeto será correspondente a uma figura de sintaxe marcada pela omissão de conectivos/conjunções em períodos compostos. Variavelmente, em substituição aos conectivos, vírgula ou a inserção do ponto e vírgula criam as orações coordenadas assindéticas dentro do período.

O assíndeto é muito comum como recurso estilístico em poesias, poemas e letras musicais. O objetivo é o aumento da expressividade, adoção de pausas e enfatizar termos importantes da oração.

No entanto, ele também pode ser utilizado como recurso na linguagem oral, apesar de não ser muito comum.

assíndeto
(Imagem: Reprodução)

Características do assíndeto como figura de sintaxe

O assíndeto apresenta características pontuais que o diferenciam das demais figuras de sintaxe. Para identificar a adoção do assíndeto a uma oração, é necessário observar alguns atributos da figura de linguagem. Entre eles:

  • O uso tanto na linguagem oral, como escrita, especialmente em textos poéticos;
  • Substituição a conjunções (omissão destas) em orações;
  • Aumento de expressividade da fala;
  • Pausas mais bem delimitadas na oração;
  • Destaque a termos enfáticos em um determinado texto;

Assíndeto e Polissíndeto: diferenças

Ambas são figuras de sintaxe, mas totalmente diferentes. De modo que o assíndeto será pela omissão da conjunção, o polissíndeto será a repetição da conjunção. Exemplos:

  • João atrasou, correu, pegou o trem, foi para o trabalho. (Assíndeto)
  • João se atrasou, correu, pegou o trem e foi para o trabalho. (Polissíndeto)

Exemplos de assíndeto

Por você eu largo tudo. Vou mendigar, roubar, matar./ Que por você eu largo tudo. Carreira, dinheiro, canudo. (Cazuza – Exagerado)

Tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado, se quiser voar Pra lua, a taxa é alta Pro sol: identidade. (Raúl Seixas – Carimbador Maluco)

Referências

Novíssima Gramática da Língua Portuguesa – Domingos Paschoal Cegalla

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO