Movimento Antropofágico

O Movimento Antropofágico teve influência não apenas na literatura, mas na arte, trazendo ao povo brasileiro sua arte e escrita próprios, com suas características e estilos.

A primeira fase modernista no Brasil ficou marcado por uma das correntes de vanguarda, denominado Movimento Antropofágico. O principal objetivo do movimento era estruturar uma cultura de caráter nacional, sob a liderança de Oswald de Andrade e de Tarsila do Amaral.

O termo “antropofágico” era usado pelos seguidores do movimento como associação ao ato de assimilar, deglutir e de ruminar, sendo, portanto, a ideia, a transfiguração da cultura em uma cultura com caráter nacional.

Características do movimento antropofágico

Tentando criar uma cultura de caráter nacional, a proposta do movimento antropofágico assimilava outras culturas, mas não copiava. O que deu origem ao movimento foi “O Manifesto Antropofágico”, publicado por Oswald de Andrade em 1928 na Revista de Antropofagia. Confira abaixo um trecho:

“Só a Antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente. Única lei do mundo. Expressão mascarada de todos os individualismos, de todos os coletivismos. De todas as religiões. De todos os tratados de paz. Tupi, or not tupi that is the question. Contra todas as catequeses. E contra a mãe dos Gracos. Só me interessa o que não é meu. Lei do homem. Lei do antropófago.”

Movimento Antropofágico
Imagem: Reprodução

O início do movimento

Quando Oswald de Andrade assiste ao Manifesto Futurista, de Felippo Tomaso Marinetti, surge a ideia do movimento, na Europa. Em Paris, o escritor brasileiro presencia o compromisso anunciado por Marinetti entre a literatura com a nova civilização técnica, marcada pelo combate ao academismo, tendo, essa questão, grande influência no Movimento Antropofágico.

A linguagem usada no movimento é, basicamente, metafórica e contém fragmentos poéticos de bom humor, tornando-se a fonte teórica principal do movimento, que também influenciou áreas como a pintura e a escultura.

Imagem: Reprodução

Durante o desenvolvimento do manifesto, Oswald de Andrade faz uso de teorias de autores e pensadores do mundo todo, como Rousseau, Freud, Hermann Keyserling, Marx, entre outros. As características do movimento, com as ideias dos autores e a própria ideologia do autor, trazem a combinação das culturas primitivas, principalmente a indígena e a africana, bem como da cultura latina, formada pela colonização europeia.

O Manifesto Antropofágico foi um grande movimento literário e artístico no Brasil, marcando o Modernismo Brasileiro, uma vez que mudou a forma de o brasileiro encarar os elementos culturais do mundo, bem como colocou em evidência a característica brasileira na arte, a produção própria, fazendo com que se espalhasse, no cenário artístico mundial, uma identidade tupiniquim.

Referências

História Concisa da Literatura Brasileira – Alfredo Bosi

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [FUVEST] No “Manifesto Antropófago”, lançado em São Paulo, em 1928, lê-se: “Queremos a Revolução Caraíba (…). A unificação de todas as revoltas eficazes na direção do homem (…). Sem nós, a Europa não teria sequer a sua pobre declaração dos direitos do homem.”

Essas passagens expressam a:

a) defesa de concepções artísticas do impressionismo.

b) crítica aos princípios da Revolução Francesa.

c) valorização da cultura nacional.

d) adesão à ideologia socialista.

e) afinidade com a cultura norte-americana

 

02. [FAP] O escritor Oswald de Andrade e sua esposa, a pintora Tarsila do Amaral (1890-1973) lideraram ideias de cunho político e social através de relevantes textos, como o Manifesto Pau-Brasil (1925) e o Manifesto Antropofágico (1928), ligados à concepção de Arte Moderna. Tarsila do Amaral criou a obra Abaporu (1928, óleo sobre tela, 85 x 73 cm), que“significa antropófago”. Essa obra é um ícone do modernismo brasileiro e sua composição apresenta relação com os fundamentos da Antropofagia (PROENÇA, 2005, P. 236). O destaque desta pintura é uma figura humana em tons pastéis, sentada sobre um monte em tons de verde. A técnica da exageração foi aplicada na representação dessa figura, que apresenta uma cabeça pequena, braços, mãos, pernas e pés grandes. Nesse sentido, esta obra tem plena relação com os fundamentos do movimento Antropofágico, o qual se adequa a seguinte concepção:

 

a) antropofagia foi um movimento estético que surgiu na Europa e expandiu-se para o Brasil.

b) Antropofagia foi um movimento de arte que surgiu nos Estados Unidos e influenciou a arte moderna na França e no Brasil.

c) Antropofagia era a técnica que representava todas as formas exageradamente grandes, oriunda da antiguidade egípcia.

d) Antropofagia foi um movimento que propunha a incorporação transformada e abrasileirada das influências estrangeiras.

e) Antropofagia foi um movimento intelectual que surgiu a partir da arte popular sem preocupações estéticas.

01. [C]

02. [D]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO