Manifesto Regionalista

O Manifesto Regionalista foi publicado em 1926, sendo parte de vários manifestos lançados na primeira fase do modernismo brasileiro.

O Manifesto Regionalista foi um dentre os vários manifestos publicados durante a Primeira Fase do Modernismo no país, compreendido entre 1922 e 1930. O Regionalista, para ser exato, teve sua publicação em 1926.

Além deste, o Manifesto da Poesia Pau-Brasil, de 1924, o Manifesto Antropófago, de 1928, e o Manifesto Nhenguaçu Verde-Amarelo, de 1929. Os manifestos representavam a propagação das características que o modernismo visava aplicar na cultura brasileira.

Um ideal de cultura própria; pertencente ao Brasil. Assim, cada um dos manifestos publicados tiveram por objetivo destacar a riqueza da cultura nacional, exaltando, sobretudo, o valor do país.

manifesto regionalista
(Imagem: Reprodução)

Características do Manifesto Regionalista

O Manifesto Regionalista de 1926, na realidade, não foi verdadeiramente um manifesto tal como os demais supracitados. Ele foi um conjunto de declarações propostas e elaboradas por um grupo modernista de vertente regionalista de Recife, capital de Pernambuco.

Alinhado aos demais manifestos propostos por outros grupos modernistas, os artistas contidos apresentavam sua visão de concordância e aceitação à renovação cultural que era proposta e se iniciava no país.

Entre escritores, artistas visuais, poetas, o líder do grupo modernista-regionalista era o importante sociólogo Gilberto Freyre (1900-1987). Apresentadas no I Congresso Regionalista do Nordeste, as declarações acabaram se transformando em um manifesto.

O teor das declarações do manifesto regionalista de 1926

Em resumo bastante objetivo, o conteúdo expressa alguns pontos bastante condizentes ao momento artístico vivido pelo Brasil à época. É importante destacar, sobretudo, no manifesto regionalista que:

  • A expressão de ressaltar uma necessidade em restituir a cultura tanto nacional, mas, sobretudo, regional e nordestina;
  • O nome Manifesto Regionalista teve por objetivo o destaque à cultura regional do Nordeste, além, claro, do Brasil como um todo;
  • Valorizar a cultura nacional e destacar os pontos altos do nordeste;

Grandes nomes como José Lins do Rego, Rachel de Queiroz, Graciliano Ramos, Jorge Amado e Érico Veríssimo surgiram em meados dos anos 1930. É importante destacar o gaúcho Érico Veríssimo como um expoente regionalista fora do Nordeste.

Quatro anos após a publicação das declarações contidas no Manifesto Regionalista, inicia-se a Segunda Fase do Modernismo brasileiro, denominado como fase de consolidação do movimento.

É esse o momento de êxito e sucesso dos modernistas, sobretudo na poesia, no romance e nas artes visuais posteriormente.

Referências

História da literatura brasileira: Das origens ao romantismo Livro – Massaud Moisés

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO