Classicismo

O Classicismo foi um movimento artístico que ocorreu entre os séculos XIV até XVI.

O classicismo trata de um movimento cultural ocorrido entre os séculos XIV e XVI. Abrangente do ponto de vista artístico, basicamente tinha como objetivo o resgate de elementos da cultura clássica. Como cultura clássica podem ser definidas as artes inspiradas e provindas de origem Greco-romana. O apogeu do classicismo nas artes plásticas, no teatro e na literatura se deu durante o Renascimento. Na música, ele aparece como nova denominação, já no século XVIII, como o Neoclassicismo.

O movimento torna-se o marco que põe fim a Idade Média, trazendo consigo o início da Idade Moderna. Fazendo referência aos modelos clássicos de produção artística, é na literatura que sua fase áurea transcenderia o tempo. O grande destaque foi para os estilos literários que começaram a ser impulsionados no século XVI e tornaram-se atemporais. Sendo produzidas durante o período de vigor do Renascimento, estas obras também podem ser chamadas de Literatura Renascentista.

classicismo
(Imagem: Reprodução)

O Classicismo e seu precursor

Entender o classicismo não é uma tarefa fácil. Para compreender as intenções do movimento é necessário observar um movimento que surgia antes: o Humanismo. Esta corrente filosófica visava a valorização do ser humano, tal como humano. Tudo o que cercava o ser humano (homem) era de interesse desta corrente.

Surgindo em meados do século XV, o humanismo passa a empreender os conceitos que cercam o antropocentrismo. O antropocentrismo (antropo = homem + centrismo = centro de tudo) era uma afronta ao teocentrismo (teo = Deus). Vigente à época com o poder da Igreja que só crescia, este se tornava, sobretudo, o ponto de grande importância entre os filósofos.

Se durante a Idade das Trevas a Igreja tinha seus privilégios sem contestações, é com o Humanismo que tudo começa a ruir. Os questionamentos e as contestações (Reforma Luterana) foram feitos, e o homem, então, recebe maior atenção e importância. O Humanismo torna-se, assim, a base para um Renascimento da Idade Média e, por conseguinte, do Classicismo.

Características do Classicismo

  • A valorização do homem (ser humano), colocando-o como centro do pensamento e filosófico;
  • Raciocinar não era só cativante como incentivado e valorizado;
  • Reflexões constantes sobre o mundo, o lugar e o objetivo do homem no mundo, no Universo;
  • Valorização de culturas clássicas, como o Grego e o Romano;
  • O paganismo visto pela Igreja nas obras gregas (paganismo) era exaltado, uma vez que centrava a imagem do homem;
  • O hedonismo e a busca pela satisfação interior na busca e consolidação dos desejos;
  • Aproveitar o dia ao máximo, gozar dos prazeres da vida e ver o mundo com olhar positivo. O conceito de Carpe Diem salientava esse apreço pela vida, uma vez que esta era efêmera;
  • Noção de que o tempo, a vida e o mundo são efêmeros;
  • Salientar e exaltar o amor por meio de inspiração platonista;
  • Estruturação poética fixa, contendo estrofes demarcadas e rimas presentes;
  • Decassílabo (dez sílabas métricas) substituem a redondilha maior (sete sílabas métricas);
  • Pensamentos paradoxais, abuso das antíteses e personificação constante;
  • Personificação exacerbada, uma vez que nota-se, sobretudo em Camões, a personificação de elementos da natureza virando deuses gregos;

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [FGV-SP]

Assinale a alternativa que completa corretamente a afirmação seguinte:

O movimento desenvolveu-se no apogeu político de Portugal; consiste numa concepção artística baseada na imitação dos modelos clássicos gregos e latinos. Nele, o pensamento lógico predomina sobre a emoção, e a estrutura da composição poética obedece a formas fixas, com a introdução da medida nova, que convive com a medida velha das formas tradicionais.

Trata-se do:

a) Modernismo.

b) Barroco.

c) Romantismo.

d) Classicismo.

e) Realismo.

02. [UFSCar] A questão seguinte baseia-se no poema épico Os Lusíadas, de Luís Vaz de Camões, do qual se reproduzem, a seguir, três estrofes.

Mas um velho, de aspeito venerando, (= aspecto)

Que ficava nas praias, entre a gente,

Postos em nós os olhos, meneando

Três vezes a cabeça, descontente,

A voz pesada um pouco alevantando,

Que nós no mar ouvimos claramente,

C’um saber só de experiências feito,

Tais palavras tirou do experto peito:

Ó glória de mandar, ó vã cobiça

Desta vaidade a quem chamamos Fama!

Ó fraudulento gosto, que se atiça

C’uma aura popular, que honra se chama!

Que castigo tamanho e que justiça

Fazes no peito vão que muito te ama!

Que mortes, que perigos, que tormentas,

Que crueldades neles experimentas!

Dura inquietação d’alma e da vida

Fonte de desamparos e adultérios,

Sagaz consumidora conhecida

De fazendas, de reinos e de impérios!

Chamam-te ilustre, chamam-te subida,

Sendo digna de infames vitupérios;

Chamam-te Fama e Glória soberana,

Nomes com quem se o povo néscio engana.”

Os versos de Camões foram retirados da passagem conhecida como O Velho do Restelo. Nela, o velho

a) abençoa os marinheiros portugueses que vão atravessar os mares à procura de uma vida melhor.

b) critica as navegações portuguesas por considerar que elas se baseiam na cobiça e busca de fama.

c) emociona-se com a saída dos portugueses que vão atravessar os mares até chegar às Índias.

d) destrata os marinheiros por não o terem convidado a participar de tão importante empresa.

e) adverte os marinheiros portugueses dos perigos que eles podem encontrar para buscar fama em outras terras.

01. [D]

02. [B]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO