Zumbi dos Palmares

Zumbi dos Palmares foi um guerrilheiro e rebelde contra os ideais do Brasil Colônia.

Zumbi dos Palmares foi um guerrilheiro brasileiro. Negro de origem, ele era um dos mocambos (refugiados) do Quilombo de Palmares. Zumbi foi um dos mais famosos líderes quilombolas. Sua vida, após morte, tornou-se uma mistura imensa de fantasias, mitos e debates. Era descendente de angolanos, mais especificamente dos guerreiros imbangalas. Após seu nascimento, foi preso logo em seguida por Brás da Rocha Cardoso, durante uma expedição. Em 1655, foi entregue ao Padre Antônio Melo.

Foi batizado como Franciscano. Ao crescer, mostrava-se dotado de uma mente privilegiada. Sob admiração do Padre, que o adotou aos 10 anos, já falava português e latim. Aos 12, torna-se coroinha e, aos 15 anos de idade, foge da casa do Padre. Sua ideia era retornar para Palmares. Chegando lá, adota a alcunha de Zumbi, trabalhando arduamente na liderança dos quilombolas.

Ativo na luta por seus ideais, Zumbi participou de inúmeros conflitos e batalhas. Em 1673, por exemplo, enfrentou e venceu a expedição comandada por Jácome Bezerra. Três anos mais tarde foi ferido com um tiro na perna, em batalha contra tropas comandadas por Manuel Lopes Galvão.

(Imagem: Reprodução)

Rompimento e revolta

Um acordo de paz assinado em 1678 fez com que Zumbi dos Palmares rompesse com Ganga-Zumba. Entre os revoltados com a proclamação de paz, ele foi agraciado com o cargo de Grande Chefe dentre os rebeldes. Anos mais tarde, após inúmeros conflitos tensos, foi baleado, em 1694. A tropa do bandeirante Domingos Jorge Velho quase conseguiu a captura de Zumbi, que conseguiu fugir. Em 1695 reaparece, junto a outros 2000 palmarinos (originados de Palmares), atacando povoados da capitania de Pernambuco. O objetivo era saquear armas e munições do local.

Mas no mesmo ano de seu ressurgimento, viria o seu fim a ser decretado. No ano em questão, seu grupo foi derrotado, e o comandante Antônio Soares foi capturado e preso. Após torturas realizadas pelos bandeirantes, ele revela o esconderijo de Zumbi. No dia 20 de novembro daquele mesmo 1695, ele é encontrado. Na Serra Dois Irmãos, esconderijo dos rebeldes, Soares aparece junto a um grupo de paulistas. Os rebeldes refugiados no local foram atacados e mortos.

O corpo de Zumbi dos Palmares foi levado para Porto Calvo. Sua cabeça, então, foi decepada, enviada para a capital Recife e, por ordem do governador, pendurada em um poste. A exposição permaneceria até a decomposição total da cabeça de Zumbi. O dia 20 de novembro, assim, foi declarado como Dia da Consciência Negra no Brasil anos mais tarde.

Objetivos de Zumbi dos Palmares

Zumbi sempre lutou pelo Estado Laico. A liberdade de escolha pessoal pelo culto ou religião era uma de suas ideologias. Defendia também o fim da escravatura no Brasil colônia. Além disso, também não admitia a exploração de brancos sobre negros. Por esse motivo, tornou-se um símbolo na luta do movimento negro no país até os dias de hoje.

Contudo, sua figura é controversa. Recheado de lendas. a história de Zumbi é contada por várias vertentes. Enquanto alguns defendem seu legado como um herói, outros já falam em Zumbi como um verdadeiro assassino sem causa alguma. Isso tudo devido à severidade e raiva com a qual comandava os Palmares – onde também havia escravidão entre os integrantes.

De qualquer forma, Zumbi dos Palmares tornou-se um símbolo nacional, seja para o lado bom, seja para o lado ruim. O nome, inclusive, é em alusão a seres de um plano espiritual, retratando espectro ou divindade sem qualquer supremacia.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Por Mateus Bunde
Teste seu conhecimento

01. [PUC-RJ] Sobre as características da sociedade escravista colonial da América portuguesa estão corretas as afirmações abaixo, À EXCEÇÃO de uma. Indique-a.

A)  O início do processo de colonização na América portuguesa foi marcado pela utilização dos índios – denominados “negros da terra” – como mão-de-obra.
B)  Na América portuguesa, ocorreu o predomínio da utilização da mão-de-obra escrava africana seja em áreas ligadas à agro-exportação, como o nordeste açucareiro a partir do final do século XVI, seja na região mineradora a partir do século XVIII.
C)  A partir do século XVI, com a introdução da mão-de-obra escrava africana, a escravidão indígena acabou por completo em todas as regiões da América portuguesa.
D)  Em algumas regiões da América portuguesa, os senhores permitiram que alguns de seus escravos pudessem realizar uma lavoura de subsistência dentro dos latifúndios agroexportadores, o que os historiadores denominam de “brecha camponesa”.
E)  Nas cidades coloniais da América portuguesa, escravos e escravas trabalharam vendendo mercadorias como doces, legumes e frutas, sendo conhecidos como “escravos de ganho”.

 

02. [FUVEST ] O Brasil ainda não conseguiu extinguir o trabalho em condições de escravidão, pois ainda existem muitos trabalhadores nessa situação. Com relação a tal modalidade de exploração do ser humano, analise as afirmações abaixo.

I. As relações entre os trabalhadores e seus empregadores marcam-se pela informalidade e pelas crescentes dívidas feitas pelos trabalhadores nos armazéns dos empregadores, aumentando a dependência financeira para com eles.

II. Geralmente, os trabalhadores são atraídos de regiões distantes do local de trabalho, com a promessa de bons salários, mas as situações de trabalho envolvem condições insalubres e extenuantes.

III. A persistência do trabalho escravo ou semi-escravo no Brasil, não obstante a legislação que o proíbe, explicase pela intensa competitividade do mercado globalizado.

Está correto o que se afirma em:

A)  I, somente.
B)  II, somente.
C)  I e II, somente.
D)  II e III, somente.
E)  I, II e III.

01. [C]

02. [C]

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO