Utopia

Na filosofia, a utopia ainda é extremamente discutida e debatida. Afinal, do que trata a filosofia utópica?

Utopia é um conceito ainda muito debatido dentro dos espaços filosóficos. Afinal, definir este conceito é um tanto arriscado, uma vez que seu significado remete muito ao pessoal.

Publicidade

Isso porque é um termo muito utilizado no cotidiano dentro da sociedade. Utopia, em terminologia popular, é utilizada como referência a algo hipotético, de difícil existência.

O termo, no entanto, apresenta uma maior profundidade se abrangendo o campo filosófico, do que o apropriado no âmbito popular. O conceito, portanto, seria não só imaginar um futuro ideal, mas também se sustentar em esperanças para com ele.

De acordo com a etimologia da própria palavra, utopia estaria referente, do grego, a “não-lugar”. Ou seja, um lugar que não existe no mundo físico. Contudo, restringe-se ao mundo físico neste dado ponto.

O conceito, segundo o filósofo Michael Foucault, seria um ideal de sociedade futura. Uma ideia irreal que se sustenta por meio de um pensamento real. Assim, Foucault propõe a utopia como um conceito físico, de significado imaginário.

“[…] são as grandes cidades utópicas que nos foram deixadas pela civilização egípcia.” Michael Foucault

Utopia: aprofundamento ao conceito

A utopia pode ser referida, sim, como algo irreal. No entanto, ela parte muito mais do princípio hipotético do ideal, do que propriamente do irreal.

Publicidade

Ou seja, ele é uma idealização de uma sociedade próspera do futuro. Entretanto, a ideia de sociedade próspera (perfeita) é ambíguo e volátil. Isso porque tratará muito mais de uma interpretação pessoal do que uma projeção coletiva.

São comuns os momentos da história em que utopias foram trazidas à tona. A utopia de Platão, por exemplo, reflete o conceito na antiguidade.

utopia
Imagem: Reprodução

Na proposta do filósofo, a sociedade seria divida em três diferentes classes, com atribuições esquematizadas de acordo com suas habilidades. Assim, teríamos:

Publicidade

  • Classe Política: formados por aqueles que dominam a retórica;
  • Classe Militar: formados por aqueles que possuem a força;
  • Classe Produtora: formados por aqueles que apresentam poderio estratégico;

Além da utopia de Platão, outra também verificada é o Socialismo Utópico. Neste, a ideal da união de classes seria, inclusive, criticada por outra vertente do Socialismo, o Científico.

Funções da Utopia

A utopia pode ser utilizada em cinco situações diferentes. Sua função dirá respeito ao que o autor desejará inferir com sua ideia. Assim, as funções da utopia compreenderão:

  1. Função de Orientação: uma função de meta; visualização da perfeição. Usar a filosofia utópica como motivação para alcançar o tão sonhado objetivo.
  2. Função de avaliação: avaliar uma dada sociedade ou ideia com intenções grandiosas ao extremo. Serve para distinguir o que é possível e o que é impossível/improvável.
  3. Função crítica: questionamentos acerca das ideias elaboradas. Estabelecer, como complemento da avaliação, o que é improvável para assim corrigir.
  4. Função de esperança: numa vertente mais humanista, a filosofia utópica pode ser vista como um fio de esperança. Tal como uma forma de vislumbrar um futuro, por hora inimaginável, mas ainda assim possível.
  5. Função distópica: a distopia seria uma vertente da filosofia utópica. A criação de um universo fantasioso que complementasse o atual; um futuro distante representado numa utopia distorcida.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Como referenciar este conteúdo

Bunde, Mateus. Utopia. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/utopia. Acesso em: 16 de June de 2024.

Teste seu conhecimento

01. [UFF] Dentre os temas desenvolvidos pela cultura renascentista há um que se mantém presente até hoje – a utopia – despertando atenção, principalmente, em finais de século.

Assinale a opção que se refere à ideia de utopia defendida no século XVI.

a) A ideia de utopia como tema central dos manuais de escolástica que se transformou no valor político mais importante da Igreja romana.

b) A ideia de utopia expressa por São Francisco de Assis, nas suas lições sobre a natureza dos homens e dos animais.

c) A ideia de utopia que revelava o caráter de oposição da Igreja ao novo tempo mundano e secular da renascença.

d) A ideia de utopia apresentada por Maquiavel em sua obra, O Príncipe, na qual defendeu o republicanismo.

e) A ideia de utopia exposta por Thomas Morus, na qual criticava os humanistas que reivindicavam a autoridade soberana do Príncipe.

01. [E]

Compartilhe

TOPO