As Treze Colônias e a formação dos Estados Unidos

As treze colônias americanas começaram a se formaram na metade do século XVI.

A formação das treze colônias remete ao “descobrimento” da costa leste do país. O primeiro navegador a serviço da Inglaterra a explorar o continente americano foi o genovês Giovanni Cabot (John Caboto), que esteve na região duas vezes, em 1497 e 1498.

Cabot percorreu a Terra Nova, no Canadá atual, mas não deu início à colonização do território. As primeiras tentativas de povoamento, porém, só seriam feitas bem mais tarde.

treze colônias
As treze colônias distribuídas. (Imagem: Reprodução)

A formação das treze colônias: o começo pelo sul

Entre 1548 e 1585, sir Walter Raleigh fundou a ilha de Roanoke, o primeiro núcleo de colonização inglesa na América do Norte. No entanto, a povoação desapareceu, possivelmente destruída pelas tribos indígenas da região.

Após esse primeiro ensaio de colonização frustrado, a Inglaterra só se lançaria à colonização efetiva da América do Norte em 1607.

Nessa data, um grupo de colonos ingleses, agenciados pela London Companym fundou a Virgínia, assim chamado em homenagem à “rainha virgem”, Elizabeth I.

Com grande fluxo de colonos, a Virgínia logo se transformou em exportadora de fumo, produto que tinha grande aceitação ma Europa.

Ao sul da colônia, surgiram depois a Carolina do Norte, a Carolina do Sul e a Geórgia. Em sua fronteira norte, os ingleses ainda fundaram Maryland.

Por sua localização geográfica e pelo seu clima, essas colônias se voltaram para o plantio de produtos tropicais de exportação. Entre eles o arroz e mais tarde, o algodão, por exemplo.

O cultivo desses produtos era feito em grandes propriedades sob regime de escravidão. Esse sistema, conhecido como plantation, era muito semelhante ao da cana-de-açúcar na colônica portuguesa.

Formação das colônias do norte

Ao norte da Virgínia, surgiu outro conjunto diferente de colônias. Em 1620, um grupo de puritanos vindos da Inglaterra fundou a colônia de Massachusetts.

Contudo, antes do desembarque, eles firmaram um pacto de governabilidade, pelo qual assumiram o compromisso de “se congregar num corpo político e civil” e de se autogovernar “para o bem geral da colônia”.

Algum tempo depois, grupos de perseguidos religiosos estabeleceram, nas proximidades de Massachusetts, as colônias de New Hampshire, Rhode Island e Connecticut.

O conjunto dessas quatro colônias formava a Nova Inglaterra. Entretanto, diferentemente das outras colônias, as colônias da Nova Inglaterra, por sua localização, não produziam produtos tropicais para exportação.

Além disso, a maioria dos colonos era pobre e não possuía meios de administrar uma grande produção como as plantations.

Por essa razão, acabou surgindo na Nova Inglaterra um sistema econômico baseado na pequena propriedade familiar, no trabalho livre e na produção de subsistência.

Como a Coroa Inglesa estava mais interessada em explorar os produtos tropicais da parte sul da colônia, não impôs na Nova Inglaterra, de modo rígido, a política de monopólios, característica do mercantilismo presente na época.

Dessa forma, os moradores dessas colônias se viram mais livres para comerciar e desenvolver certas atividades industriais, como a construção naval, por exemplo.

Formação das colônias centrais

Ao sul e a oeste da Nova Inglaterra, as regiões de Nova York, New Jersey, Pensilvânia e Delaware formavam outro bloco de colônias. Como se situavam entre as colônias do norte e as do sul, em geral são conhecidas como colônias centrais.

Entre as colônias centrais, desenvolveu-se uma agricultura voltada tanto para o mercado interno quanto externo.

Posteriormente, assim como nas colônias do norte, as atividades comerciais e manufatureiras das colônias centrais assumiram grande importância econômica.

O início da cidadania americana

Os colonos vindos da Inglaterra ao chegar à nova terra com as treze colônias consolidadas. Estabeleciam, assim, formas de poder coerentes com suas concepções e experiências. Desse modo, dessa iniciativa, surgiu a prática chamada de self-government) ou seja uma prática de auto-governo.

Durante certo tempo, os colonos de algumas colônias da Nova Inglaterra chegaram a eleger seus governadores, além dos delegados que integravam as assembleias.

Assim, essa experiência, totalmente nova num mundo regido por monarcas e poderes absolutistas, seria decisiva para a formação da concepção moderna de cidadania.

Referências

História dos Estados Unidos: das origens ao século XXI – Leandro Karnal, Sean Purdy, Luiz Estevam Fernandes, Marcus Vinícius de Morais.

História – Divalte Garcia Figueira

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [FGV]: A conquista colonial inglesa resultou no estabelecimento de três áreas com características diversas na América do Norte. Com relação às chamadas “colônias do sul”, é correto afirmar:

a) Baseava-se, sobretudo, na economia familiar e desenvolveu uma ampla rede de relações comerciais com as colônias do Norte e com o Caribe.

b) Baseava-se em uma forma de servidão temporária que submetia os colonos pobres a um conjunto de obrigações em relação aos grandes proprietários de terras.

c) Baseava-se em uma economia escravista voltada principalmente para o mercado externo de produtos, como o tabaco e o algodão.

d) Consolidou-se como o primeiro grande polo industrial da América com a transferência de diversos produtores de tecidos vindos da região de Manchester.

e) Caracterizou-se pelo emprego de mão de obra assalariada e pela presença da grande propriedade agrícola monocultora.

 

02. [PUC]: O chá veio da China e atingiu a Europa no início do século XVII com o primeiro carregamento chegando a Amsterdã em 1609. A partir do século XVIII, a Inglaterra torna-se o principal importador de chá da Europa. Nesse mesmo período, o chá consistiu em importante bebida da população dos Estados Unidos da América, ainda colônia inglesa. A partir desse contexto, marque a alternativa CORRETA:

a) Esse período é marcado pela questão dos impostos, especialmente a aprovação, em 1773, do imposto inglês sobre o chá, produto importado e muito consumido pelos colonos.

b) Em meados do século XVIII, fortaleceram-se as relações entre colonos norte-americanos e a sua metrópole inglesa, especialmente com o apoio dos colonos contra os invasores espanhóis.

c) Além do imposto sobre o chá, o Parlamento inglês aprovou também o imposto sobre o açúcar. No entanto, essa lei não foi tão grave, pois esse produto não era importante para os Estados Unidos, que, nessa época, quase não consumiam açúcar.

d) A Lei do Chá está relacionada ao episódio em que colonos ingleses, vestidos de índios, jogaram um carregamento de chá no mar, no porto de Boston. Esse incidente radical levou a Inglaterra a reconhecer a independência dos Estados Unidos.

e) Os conflitos entre Inglaterra e França (Guerra dos Sete Anos – 1756-1763) estão relacionados diretamente à ‘Guerra de Secessão’ norte-americana.

01. [FGV]

Resposta: C

As colônias do Sul dos EUA, em virtude de sua adaptação ao modelo da plantation (grandes extensões de terras em que se produzia, geralmente, um único tipo de cultura, como o algodão), acabou por adotar a mão de obra escrava, então em voga à época onde se tinha esse tipo de modelo econômico agrícola.

 

02. [PUC]

Resposta: A

A questão do imposto cobrado sobre o chá foi decisiva para a ascensão do movimento pela Independência nos Estados Unidos. A revolta dos colonos de Boston, que resultou na morte de cinco deles, funcionou como estopim para a deflagração dos conflitos que deram ensejo para a redação da Declaração de Independência em 1776.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO