Teoria do Caos

A Teoria do Caos é uma base teórica oriunda de uma doutrina que busca compreender a ordem de acontecimentos a partir das ações humanas.

Teoria do Caos é, na realidade, um conjunto de teorias que determinam uma teoria que visa compreender os Sistemas Dinâmicos Não Lineares. Estes, por sua vez, seriam pesquisas voltadas à compreensão dos meios aleatórios e imprevisíveis dos sistemas, tanto complexos, como também dinâmicos.

Por meio destas observações nota-se que o Caos apresenta tendências e padrões próprios, além de analisáveis. Dessa forma, paradoxalmente, a Teoria do Caos aborda uma desordem organizada.

Características da Teoria do Caos e uso

É necessário partir do princípio que rege a teoria do caos: o acaso. O acaso é um fenômeno oriundo de representações numéricas; equações matemáticas. Estas apresentaram pontuais graus de precisão, e evidenciam acontecimentos caóticos entre si.

As equações, entretanto, se materializam por meio de gráficos tridimensionais no momento em que um evento é tido como caótico.

Por meio disso, nos sistemas considerados não lineares, cuja resposta a um distúrbio não é totalmente proporcional à intensidade provocada, as equações evolverão taxas com variabilidade aguda.

Assim, as mudanças seguirão relação direta de causa e efeito, sobre a denominação do que se entende por Efeito Borboleta. Dessa forma, os resultados obtidos dessa relação são influenciados de acordo com fatores numéricos instáveis e totalmente aleatórios.

São resultantes sensíveis e divergentes às condições iniciais, que determinarão o resultado futuro. Assim, de forma básica, uma mudança ínfima em quaisquer das condições pode resultar em ligações com eventos futuros que provoquem intensas alterações.

Proporcionalmente, quando um movimento se torna previsível, o gráfico na teoria do caos é espiralado, e quando os cálculos apresentam gráficos com representações caóticas, e não-harmônicas, são chamados de fractais.

A origem dos fractais é complexa e abstrata, evidenciando um formato geométrico atípico. Dessa maneira, a metodologia abordada pela Teoria do Caos é utilizada para compreender:

  • Variações em investimentos imprevisíveis (bolsas de valores e oscilações);
  • Avaliação de fenômenos meteorológicos;
  • Desenvolvimento e crescimento populacional;

Além de outros casos, a Teoria do Caos procura a avaliação do contexto como um todo. A busca é por prever algo que depende de coalisão de eventos, cruzamento de fatos com contexto póstero indefinido.

Origem da Teoria do Caos

Ao longo do século XVIII, Isaac Newton, o mesmo que expôs a Teoria da Gravidade, notou o movimento nada ortodoxo dos astros. De acordo com suas observações, o movimento não era harmônico; seguindo a linha da mecânica clássica.

Foi a partir disso que ele perceberia que, ao passo que os corpos celestes se alinhavam através da força da gravidade, desvios aconteciam. Totalmente imprevisíveis, eles acabaram inaugurando o campo de estudo do sistema gravitacional que visava avaliar equações não lineares.

Entretanto, foi o meteorologista Edward Lorenz, que desenvolveu na década de 1960 um programa de computador com equações que auxiliariam a prever os movimentos das massas de ar.

O processo imprevisível apresentava variações pequenas na equação, o qual provocava efeito dominó. Este, por sua vez, denominado como Efeito Borboleta.

Referências

Física Básica – Volume Único, por Nicolau Gilberto Ferraro, Paulo de Toledo Soares e Ronaldo Fogo

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. História Volume Único. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO