Saddam Hussein

Saddam Hussein foi um ditador iraquiano que, através do apoio dos Estados Unidos, desenvolveu uma forte economia no Iraque. Contudo, o país que antes era seu aliado, acabava por decretar também o fim de seu regime.

Saddam Hussein Abd al-Majud al-Tikriti, ou apenas Saddam Hussein. Nascido no ano de 1937, cresceu em uma família pobre, no município de Tikrit. Município este habitado em grande maioria por muçulmanos sunitas. O mesmo Saddam que cresceu numa família humilde viria a se tornar uma das maiores lideranças da península arábica. Contudo, acompanhado também da fama de um ditador sanguinário e odiado.

O regime de Hussein duraria no Iraque entre os anos de 1979 a 2003. Um poder totalmente ditatorial era a característica do sistema de Saddam. O chefe de estado ainda ocuparia os cargos de primeiro-ministro do país entre os anos 1979 a 1991. Além de também ter sido nomeado (por si mesmo) ao cargo entre os anos de 1994 e 2003.

Imagens de protesto contra o ditador Saddam Hussein, em Bagdá. (Imagem: Reprodução)

Infância e juventude

Cresceu em uma família de lavradores que estavam instalados em uma região bastante precária do norte iraquiano. Abandonado pelo pai e criado por mãe e irmã, há relatos sobre um comportamento hostil de Hussein ainda enquanto jovem. É relatado que, antes mesmo de assumir o poder no Iraque, teria matado uma de suas professoras e uma prima.

Na adolescência ele segue em direção à capital Bagdá. Completando seus 19 anos de idade, o jovem filia-se ao Partido Socialista Árabe Ba’ath. No mesmo ano, em 1956, integra um grupo de rebeldes que executa um golpe de estado mal-sucedido. O monarca em questão à época era Faisal II. Na mesma época, ainda, Hussein era rejeitado pela Academia Militar de Bagdá.

No ano de 1960 o jovem de 23 anos é condenado à pena de morte no país. A culpabilização veio após participação em novo movimento de golpe mal-sucedido. Ao refugiar-se no Egito, ele escapa da condenação que colocaria um fim em sua vida. Recebia, assim, um asilo político do país.

Durante seu exílio, ele pode completar seus estudos, ingressando, inclusive, na Escola de Direito. Graduado em 1968, Hussein ainda é absolvido e retorna ao seu país de origem. Aos 26 anos de idade, o futuro líder iraquiano recebe sua patente de general.

É nos anos 1970 que o poder de Hussein começa a se sobressair. O despontar é tão grande que um golpe de estado, finalmente, é configurado no Iraque. Ele assume, assim, a presidência do país no ano de 1979. Logo em 1980, o novo chefe de estado ordena uma invasão ao Irã, dando início a uma sangrenta guerra. Durante o período da Guerra Fria, EUA e URSS intervêm. No conflito, os soviéticos dão o suporte ao Irã, enquanto os americanos auxiliam os comandados de Hussein.

Saddam Hussein consolida-se como ditador

Ao ocupar o Kuwait, em 1990, o ditador dá início à Guerra do Golfo. A batalha se origina após controvérsias no estabelecimento dos preços dos barris de petróleo. Contudo, a relação entre ambos os países já era estremecida. Contudo, neste conflito os iraquianos perderiam o mais importante dos aliados, os Estados Unidos. O exército americano se volta contra os comandados de Hussein, sendo o estopim para um grande conflito.

A guerra, entretanto, não teve um fim consolidado. Isso porque o ditador acaba quebrando as regras de contrato assinado ao fim do embate. As cláusulas do acordo foram descumpridas por Hussein. Segundo acordo, ele deveria respeitar as fronteiras do Kuwait e de outros países.

A morte do líder controverso

Em resposta aos ataques de 11 de setembro, o então presidente George W. Bush ordena uma invasão ao Iraque. Mesmo sem aval da ONU, tropas americanas invadem o país no dia 20 de março de 2003. Era o início de uma segunda Guerra do Golfo. Permanecendo escondido por meses, Hussein foi encontrado no dia 13 de dezembro do mesmo ano.

É decretado, então, como prisioneiro de guerra no ano de 2004. O ditador fica aos cuidados do Governo Provisório Iraquiano. Em 2005, um tribunal é formado para julgar os crimes cometidos por Hussein ao longo de seu mandato como ditador. Entre um dos processos, a acusação de genocida foi a mais significativa.

Apenas em 2006 o antigo ditador é condenado à forca, mesmo que preferisse morrer sob fuzilamentos, como um general iraquiano. Após protestos, Hussein é enforcado no dia 30 de dezembro, 25 dias após a sentença, na cidade de Bagdá. O corpo do ex-general foi sepultado em sua antiga cidade natal junto aos seus familiares.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Como referenciar este conteúdo

Bunde, Mateus. Saddam Hussein. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/saddam-hussein. Acesso em: 25 de November de 2020.

Compartilhe

TOPO