Primeira República

A Primeira República foi um período marcado por uma crise econômica, revoltas armadas e fraudes que acabou culminando em um golpe, que deu fim a chamada República Velha.

A Primeira República no Brasil foi uma onda que ocorreu após o Império vigente no país, dando fim à Monarquia. O período teve início no dia 15 de novembro de 1889. A Primeira República acabou tendo fim com a Revolução de 30, quando passou a se chamar Era Vargas.

Com a queda da Monarquia, os militares assumiram o poder no Brasil. O primeiro presidente do período foi Marechal Deodoro da Fonseca, assumindo em 1889. A Primeira República foi um marco que evidenciou os problemas sociais vivenciados no Brasil à época.

Enquanto a população lutava por melhores condições de vida, a elite rural tentava ampliar seus privilégios. Já os militares procuravam marcar seu protagonismo político na época, sendo os principais candidatos a governar o país.

Imagem: Guerra de Canudos e Revolta da Vacina foram dois movimentos sociais significativos durante a Primeira República.

As divisões da Primeira República na linha do tempo na história

A Primeira República também foi denominada de República Velha. Este período é dividido entre dois diferentes momentos na história. Eles são:

  • República da Espada: Durando entre 1889 a 1894, ela abrangeu os governos de Marechal Deodoro e Floriano Peixoto.
  • República Oligárquica: Entre 1895 e 1930 alternando governos da oligarquia SP, MG e RS. Conhecido como período coronelista, o governo era praticado, em suma, por cafeicultores.

O que foi a República da Espada?

Iniciada com o governo de Marechal Deodoro da Fonseca, a República da Espada foi um período curto, mas fundamental. Medidas emergenciais marcaram esse governo militar provisório. Entre as principais medidas estão a laicização do estado, a naturalização de estrangeiros e a criação de símbolos nacionais-republicanos.

A polêmica, no entanto, marcou o governo de Deodoro. Apesar da instauração de medidas populistas, ele acaba impulsionando uma imensa crise econômica. A bolha estourou. A impressão de papel moeda disparou. A este momento é dado o nome de Política do Encilhamento.

Depois de uma pressão da Marinha (Revolta da Armada – 1891) para a renúncia de Marechal Deodoro, em novembro ele resigna. Assume, então, Marechal Floriano Peixoto, seu vice, com o intuito de contenção da crise financeira instaurada. Entretanto, segundo a constituição em vigor, o governo de Floriano era considerado ilegítimo.

O vice só poderia permanecer no governo até a convocação de eleições de voto popular. Isso, porém, não impediu o Marechal de Ferro permanecer no governo até o fim de seu mandato. Ao fim do governo Floriano, o período da República da Espada tem seu término declarado. Em seguida, é iniciada a chamada República Oligárquica.

O que foi a República Oligárquica?

O período é marcado pela eleição do primeiro presidente civil do país, o paulista Prudente de Morais. Dá-se início, então, a chamada República do Café com Leite. Este batismo refere-se a uma nominação com a divisão de duas oligarquias que alternavam o poder: SP e MG.

A principal característica do período foi a sucessão de governo previamente programada. Comandada pelas elites agrárias de paulistas e mineiros, graças a um esquema de fraude, ambos alternavam quase sempre o poder.  O coronelismo marcou esse período importante na história brasileira.

Foi por causa desta característica coronelista que explodiu um movimento social rural importante: a Guerra dos Canudos. Além disso, uma revolta urbana também marcou o período, conhecida como a Revolta da Vacina. Ademais, outras revoltas rurais e urbanas evidenciaram o período, como a Guerra do Contestado e Greve Geral de 1917, respectivamente.

A indignação militar também era sobressalente e presente. A Revolta da Chibata e o Movimento Tenentista marcaram como exemplos da insatisfação dos militares com o governo em vigência.

O fim da Primeira República e o Golpe/Revolução de 1930

A ascensão de Getúlio Vargas por meio do apoio de industriais, burgueses e do movimento tenentista põe fim a Oligarquia. Retirando Washington Luís do poder, o gaúcho de São Borja assume como presidente, apesar da derrota nas eleições.

Impedindo a posse de Julio Prestes, o Brasil coloca fim a um período marcado por crises constantes. Desde a economia afetada até uma segurança instável, a Primeira República se definha. Assim, a República Velha tem seu fim decretado em 1930, com o prólogo da chamada Era Vargas.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [PUC-SP] Durante a Primeira República (1889 – 1930), houve, na sociedade brasileira, revoltas que, a despeito das diferenças, expressaram a insatisfação e a crítica de grupos populares quanto aos mecanismos de exclusão social e política e às estratégias de expansão dos interesses oligárquicos, então vigentes. Assinale a alternativa que identifica CORRETAMENTE revoltas dessa natureza:

a) Guerra de Canudos e Revolta da Vacina.
b) Revolta Federalista e Guerra do contestado.
c) Revolta da Vacina e Revolta da Armada.
d) Revolta da Chibata e Revolta Federalista
e) Guerra do Contestado e Revolta da Armada.

 

02. [ENEM] “Completamente analfabeto, ou quase, sem assistência médica, não lendo jornais, nem revistas, nas quais se limita a ver as figuras, o trabalhador rural, a não ser em casos esporádicos, tem o patrão na conta de benfeitor. No plano político, ele luta com o “coronel” e pelo “coronel”. Aí estão os votos de cabresto, que resultam, em grande parte, da nossa organização econômica rural.”

(LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo: Alfa-Ômega, 1976 (adaptado))

O coronelismo, fenômeno político da Primeira República (1889-1930), tinha como uma de suas principais características o controle do voto, o que limitava, portanto, o exercício da cidadania. Nesse período, esta prática estava vinculada a uma estrutura social:

a) igualitária, com um nível satisfatório de distribuição da renda.
b) estagnada, com uma relativa harmonia entre as classes.
c) tradicional, com a manutenção da escravidão nos engenhos como forma produtiva típica.
d) ditatorial, perturbada por um constante clima de opressão mantido pelo exército e polícia.
e) agrária, marcada pela concentração da terra e do poder político local e regional.

01. [A] 

Apenas a alternativa A salienta duas das revoltas/guerras que compreenderam o período da República Velha foram a Guerra de Canudos e a Revolta das Vacinas.

02. [E] 

O voto neste quesito se guiava constantemente para o patrão à época, no caso o fazendeiro. Os trabalhadores rurais (que conquistaram o direito de voto, concedido por Marechal Deodoro) jamais iriam contra os interesses de seus empregadores. Afinal, onde mais conseguiriam dinheiro?

Compartilhe nas redes sociais

TOPO