Positivismo

O positivismo é uma corrente filosófica que tem Auguste Comte como seu principal expoente o qual defendia o conhecimento científico como o único digno de aceitação.

O positivismo é uma das doutrinas filosóficas derivadas do Iluminismo. Sua origem mais remota se encontra em Condorcet, filósofo vinculado à Enciclopédia, para quem era possível criar-se uma ciência da sociedade com base na matemática social.

Quem foi Auguste Comte: um dos grandes pioneiros do Positivismo

Positivismo
Imagem: Reprodução

“O amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim” (Auguste Comte)

Foi com Auguste Comte (1798-1857) que o positivismo se tornou uma escola filosófica. Comte era formado em noções de matemática, frequentou a École Polytechnique de Paris e, logo após a Restauração dos Bourbons, aproximou-se do filósofo Saint Simon, tornando-se seu secretário particular, porém divergindo de suas idéias políticas.

Em 1830 surgiu o primeiro volume de seu “Cours de Philosophie Positive”. Ao longo de aproximadamente uma década concluiu essa sua obra de referência, cujo último volume foi publicado em 1842. Mas o trabalho conclusivo de Comte foi o “Système de Politique Positive”, editado entre 1852 e 1854, em plena maturidade intelectual.

É importante saber que a época do positivismo foi marcada pela profunda transformação material e espiritual trazida pela Revolução Industrial, e pelas intensas e significativas transformações da Revolução Francesa.

Para Comte, só existiria verdadeiramente ciência no caso de os fenômenos permitirem, a partir da observação das relações e de suas manifestações, antever os desdobramentos futuros.

A previsão, portanto, criaria a possibilidade de se perceber com alguma antecedência as etapas da evolução histórica. Com essa base teórica e metodológica surgiu a Lei dos Três Estados.

O positivismo e a Lei dos Três Estados

Nessa Lei dos Três Estados, a humanidade passaria por três estados ou estágios. Segundo Comte, haveria um estágio teológico, um metafísico e um positivo ou científico.

Os dois primeiros são partes necessárias de um processo de evolução e, portanto, devem ser removidos pela história, uma vez tendo cumprido seus papéis, cabendo ao último estágio a plenitude da humanidade.

Logo, o positivismo, para Comte, é também a consagração da cientificidade.

Isto é, da era na qual o ser humano dominaria pela ciência todos os fenômenos naturais e sociais. A sociedade industrial baseia-se na crença do conhecimento como condutor da humanidade e, com isso, descarta a coexistência das religiões fundadas em dogmas distantes da ciência.

Estágio teológico

O primeiro estágio é teológico, com elementos que se manifestavam através de formas de crenças politeístas ou monoteístas. E que, em consequência, estavam sujeitos a forças aparentemente impossíveis de previsão e domínio.

Estágio metafísico

No segundo estado, o metafísico, a busca por explicações recorreria a uma reflexão sobre a essência e o significado abstrato das coisas.

Estágio positivo

Por último, no estado positivo, as explicações sobre o mundo natural e social seriam fabricadas através da observação dos fenômenos, da elaboração de hipóteses e da formulação de leis universais. Ou seja, basicamente utilizando as regras do método científico.

O positivismo no Brasil: Ordem e Progresso

O positivismo de Auguste Comte esteve muito presente nos primórdios do regime republicano brasileiro.

Positivismo ordem e progresso
Imagem: Reprodução

Os integrantes do Apostolado Positivista fundado no Brasil, que teve em Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos seus principais doutrinadores e em Benjamin Constant Botelho de Magalhães seu líder, inspiraram os dizeres da bandeira brasileira, com o lema “Ordem e Progresso” e se empenharam em dar suporte à ideia de uma República unitária, capaz de pôr em prática as vontades gerais.

Esse projeto não obteve êxito, não pela força dos que o rejeitaram, mas pela incapacidade de seus membros ao não praticar a política como instrumento de convencimento. Restando apenas do positivismo no Brasil a herança doutrinária.

Referências

O que é positivismo – João Ribeiro

A “Teoria do Brasil” dos Positivistas Ortodoxos Brasileiros: composição étnica e independência nacional  –  Gustavo Biscaia de Lacerda

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [UNIOESTE]: A filosofia da História – o primeiro tema da filosofia de Augusto Comte – foi sistematizada pelo próprio Comte na célebre “Lei dos Três Estados” e tinha o objetivo de mostrar por que o pensamento positivista deve imperar entre os homens. Sobre a “Lei do Três Estados” formulada por Comte, é correto afirmar que

a) Augusto Comte demonstra com essa lei que todas as ciências e o espírito humano desenvolvem-se na seguinte ordem em três fases distintas ao longo da história: a positiva, a teológica e a metafísica.

b) na “Lei dos Três Estados” a argumentação desempenha um papel de primeiro plano no estado teológico. O estado teológico, na sua visão, corresponde a uma etapa posterior ao estado positivo.

c) o estado positivista apresenta-se na “Lei dos Três Estados” como o momento em que a observação prevalece sobre a imaginação e a argumentação, e na busca de leis imutáveis nos fenômenos observáveis.

d) para Comte, o estado metafísico não tem contato com o estado teológico, pois somente o estado metafísico procura soluções absolutas e universais para os problemas do homem.

 

02. [PUC]: O positivismo é a linha de pensamento dominante no trabalho de Comte. Sobre essa corrente de pensamento, marque a alternativa correta:

a) o pensamento positivo baseia-se no bom humor e na felicidade, que devem comandar as ações do sujeito social moderno que busca entender os conflitos que se instauram no mundo pós-revolução industrial.

b) as classes sociais sempre estarão em conflito generalizado entre si, uma vez que o caráter positivo da realidade de uma sempre resultará em resultados negativos para as outras.

c) o conhecimento verdadeiro só pode ser obtido por meio da experimentação e pelo aferimento científico.

d) o mundo palpável e observável insere-se dentro do conceito de conhecimento negativo, e a jornada espiritual voltada para Deus configura-se como o conhecimento positivo.

01. [UNIOESTE]

Resposta: C

O estado positivo caracteriza-se, segundo Comte, pela subordinação da imaginação e da argumentação à observação. Isso quer dizer que o processo de construção do conhecimento humano ocorre a partir da experimentação própria do método científico.

 

02. [PUC]

Resposta: C

Segundo essa perspectiva, a ciência deve basear-se apenas em observações cuidadosas feitas a partir da experimentação sensorial. Essa seria a única forma possível de inferir leis que explicariam a relação entre os fenômenos observados e de produzir o verdadeiro conhecimento.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO