Populismo

O populismo pode ser entendido como um conjunto de práticas políticas que estabelecem uma relação direta entre as massas e um líder carismático para obter apoio popular.

A palavra “populismo” vem do latim “populus” e quer dizer pessoas. Na sua origem, o populismo é uma crença no poder das pessoas comuns e no direito de ter controle sobre o governo, em vez de um pequeno grupo de políticos ou uma elite rica.

Esse tipo de situação política foi experimentada na América Latina entre as décadas de 1930 e 1960, que teve como contexto a crise de 1929.

O líder e o povo

Na ciência política, o populismo é a ideia de que a sociedade se divide em dois grupos antagônicos – o “povo puro” e a “elite corrupta”.

Para o cientista político Benjamin Mosffitt, um verdadeiro líder populista, diz representar a “vontade unificada do povo”. Ele geralmente se apresenta em oposição a um tipo de inimigo, como o sistema atual – afirmando combater os privilégios da elite, por exemplo.

O termo populismo é utilizado para designar um conjunto de práticas políticas que consiste no estabelecimento de uma relação direta entre as massas e o líder carismático para se obter apoio popular, sem a intermediação de partidos políticos ou entidades de classe.

populismo
Imagem: Reprodução

O populismo se refere a um tipo de movimento social, que afirma que o poder está mais nas pessoas comuns, buscando beneficiar os setores de classe média e popular, procurando limitar o poder das elites políticas.

É importante ressaltar que o populismo é uma expressão política que encontra representantes tanto na esquerda quanto na direita.

A política populista tem como sua característica básica um contato direto entre as massas urbanas, por meio do seu líder carismático. Esse líder populista procura estabelecer um vinculo emocional (e não exatamente racional) com o “povo”.

O apoio à democracia

As pessoas que defendem o populismo geralmente apoiam sistemas democráticos e acreditam que a democracia é o melhor caminho para que as pessoas desempenhem um papel no governo. Embora promovam o bem-estar do homem comum, os populistas tendem a se afastar do socialismo e do liberalismo extremo.

Para o povo, suas ideias aparecem de forma muito simples: cortes de impostos e salários mais altos.

Nos governos populistas, os mandatos de salário, assistência pública e cuidados de saúde são patrocinados pelo governo, essas políticas são muitas vezes projetadas para ajudar os membros do povo que estão mais necessitados.

O uso negativo do populismo

Algumas pessoas gostam de usar os termos “populista” e “populismo” de modo pejorativo em protestos públicos quando apresentam queixas sobre abusos de poder entre as elites ou quando há uma ação de governo que pouco beneficia as classes médias e baixas.

Nesse sentido, esses termos podem ser de natureza depreciativa e costumam ser usados para sugerir que o público é muito ignorante ou “míope” para compreender o que realmente está acontecendo.

O populismo na América Latina

O populismo surgiu na América Latina entre as décadas de 1930 e 1960, e teve como grande contexto propulsor a crise de 1929.

A política populista é marcada pela presença de líderes carismáticos que buscam o amplo apoio das maiorias, em especial dos grupos operários. Na prática, os governos populistas priorizam o atendimento das necessidades das classes menos favorecidas, atendendo as camadas mais pobres da população, por meio do assistencialismo.

Deve-se lembrar que o populismo também tem grande preocupação com o uso dos meios de comunicação como instrumento de divulgação das ações do governo, procurando estabelecer mecanismos de controle e censura, não permitindo o aparecimento de grupos de oposição.

Na América Latina, os maiores exemplos de populismo são os governos de Juan Domingo Perón (1946 – 1955/1973 – 1974), na Argentina; Lázaro Cárdenas (1934 – 1940), no México; Gustavo Rojas Pinilla (1953 – 1957), na Colômbia; e Getúlio Vargas (1930 – 1945/ 1951 – 1954), no Brasil.

Referências

O que é populismo? – Rodrigo Farias de Sousa

Um conceito em reflexão: o “populismo” e a sua operacionalidade – Alessandro Batistella

Cambridge Dictionary

BBC News

 

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [FATEC]: “O populismo manifesta-se já no fim da ditadura e permanecerá uma constante no processo político até 1964.” (Francisco Weffort, O POPULISMO NO BRASIL)

O fenômeno político conhecido sob o nome de “populismo” no Brasil e na América Latina caracteriza-se:

a) como fenômeno político desvinculado do processo de urbanização e industrialização.

b) como um poder político das massas e suas reivindicações.

c) por movimento de massas sem lideranças carismáticas.

d) por grupos políticos identificados exclusivamente com as elites econômicas.

e) como um estilo de governo sempre sensível às pressões populares, principalmente as rurais.

02. [FATEC]: “Em primeiro lugar, o populismo é uma política de massas, vale dizer, ele é um fenômeno vinculado à proletarização dos trabalhadores na sociedade complexa moderna, sendo indicativo de que tais trabalhadores não adquiriram consciência e sentimento de classe: não estão organizados e participando da política como classe. As massas, interpeladas pelo populismo, são originárias do proletariado, mas dele se distinguem por sua inconsciência das relações de espoliação sob as quais vivem.” (GOMES, Angela de Castro. O populismo e as ciências sociais no Brasil: notas sobre a trajetória de um conceito. Revista Tempo, Rio de Janeiro, vol. 1, nº. 2, 1996, p.31-58)

Partindo da definição de populismo dada por Angela de Castro Gomes, é possível afirmar que:

a) o populismo é um fenômeno político no qual as massas de trabalhadores protagonizam a luta contra a exploração de sua força de trabalho.

b) do populismo nasceu a consciência de classe dos trabalhadores.

c) o populismo indica que os trabalhadores que por ele foram submetidos não tinham consciência de classe e, portanto, não se organizavam com consciência política.

d) a perspectiva política do populismo não estava ligada necessariamente à classe trabalhadora.

e) o populismo era um tipo de política praticada inicialmente nos Estados Unidos da América, no século XIX.

01. [FATEC]

Resposta: B

O populismo estava intimamente ligado ao processo de industrialização e urbanização dos países latino-americanos, entre eles, o Brasil. O tipo de política populista nasceu como uma forma de atender as demandas da classe operária que surgiu com a industrialização dos anos 1940 e 1950. Portanto, a letra B está correta.

 

02. [FATEC]

Resposta: C

Segundo o autor, o populismo indica que os trabalhadores que por ele foram submetidos não tinham consciência de classe e, portanto, não se organizavam com consciência política: “As massas, interpeladas pelo populismo, são originárias do proletariado, mas dele se distinguem por sua inconsciência das relações de espoliação sob as quais vivem”. Portanto, a letra C está correta.

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO