Pacto de Varsóvia

O Pacto de Varsóvia foi uma aliança político-militar estabelecido entre os países do bloco socialista no centro-leste europeu durante a Guerra Fria.

O Pacto de Varsóvia pode ser também definido como o Tratado de Amizade, Cooperação e Assistência Mútua. O nome oficial é pouco usual, sendo o primeiro termo o mais conhecido e popularizado.

O Tratado de Varsóvia foi uma aliança político-militar de assistência entre os países socialistas do leste europeu. Sob a tutela da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), a assinatura ocorreu em 14 de maio, de 1955, em Varsóvia, capital polonesa.

Com o acordo, os países do bloco garantiriam assistência mútua às demais nações em casos de invasão ou ataques militares. A Guerra Fria gerava um momento de tensão, onde não se sabia ao certo quando uma Terceira Guerra Mundial poderia eclodir.

A criação do Pacto de Varsóvia foi uma clara reação ao rearmamento da Alemanha Ocidental. Além disso, também à sua inclusão na OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte), em 1954.

pacto de varsóvia
(Imagem: Reprodução)

O fato de OTAN ter “recrutado” a Alemanha Ocidental – e, consequentemente, militarizar novamente a nação – criou pretextos à URSS. Ou seja, a fundação de uma força militar que pudesse enfrentar possíveis intervenções da OTAN.

Isso permitiu uma expansão da URSS, bem como preservar sua imagem, entre os países do bloco socialista. O Pacto de Varsóvia, assim, não era apenas uma medida militar, mas também uma estratégia geopolítica.

A partir da criação do Pacto de Varsóvia, era garantida a presença do exército soviético em suas zonas de influência.

Características e objetivo do Pacto de Varsóvia

Sob o ponto de vista estratégico, o Pacto de Varsóvia era um acordo político-militar, como supracitado. Sua comissão era gerida por um grupo de militares adjuntos a uma comissão política.

Integrado, em sua maioria, por chefes de Forças Armadas dos grandes Estados, ele tinha como objetivo:

  • Organizar militarmente os países do Bloco Socialista;
  • Proteger as nações de possíveis ataques da OTAN;
  • Evitar declaração de guerras internas entre integrantes do bloco socialista;
  • Defesa mútua entre os países do leste europeu;

O Pacto de Varsóvia seguiria o mesmo modelo estabelecido pela OTAN. O Tratado era formado por um regime de onze artigos de fidelização, entre os principais podem ser destacados:

  • 3º: mobilização preventiva em caso de ataque;
  • 4º: defesa mútua em caso de ataque;
  • Art 5º: pauta comum em prol do desenvolvimento nacional;

Nos artigos, bem como nos objetivos, é muito nítida a preocupação do Tratado de Varsóvia para com um possível ataque da OTAN. Por causa disso, o objetivo era provocar uma intimidação ao bloco capitalista, e evitar possíveis guerras.

pacto de varsóvia escudo
(Imagem: Reprodução)

O fim do Pacto de Varsóvia

O término da Guerra Fria e o fim da URSS colocaram um ponto final ao Pacto de Varsóvia. Perdendo o sentido, sua dissolução se deu de maneira oficial em 31 de março de 1991.

Ano se passaram, e antigos integrantes do Tratado de Varsóvia tornaram-se membros da OTAN. Em 1999, República Tcheca, Polônia e Hungria adentraram ao acordo.

Já em 2004, Estônia, Letônia, Lituânia, Romênia, Bulgária, Eslováquia e Eslovênia seguiram o mesmo caminho. Por fim, em abril de 2009, Croácia e Albânia também se juntaram à Organização que hoje impera.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Como referenciar este conteúdo

Bunde, Mateus. Pacto de Varsóvia. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/pacto-de-varsovia. Acesso em: 21 de October de 2020.

Teste seu conhecimento

01. [UFMG] Os anos posteriores à Segunda Guerra Mundial foram tensos entre as grandes potências mundiais. Considerando-se a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) e o Pacto de Varsóvia, criados nesse período, é CORRETO afirmar que:

a) a OTAN visava a apaziguar os conflitos relacionados à divisão da cidade de Berlim, bem como a proteger os países sob sua influência econômica das ameaças de invasão externa e de conflitos militares.

b) ambos desenvolveram políticas que incentivaram a chamada corrida armamentista, que, durante o período da Guerra Fria, colocou o Planeta sob a ameaça de uma guerra nuclear.

c) ambos foram estabelecidos, simultaneamente, para defender os interesses dos países que disputavam, após a Segunda Guerra, uma reordenação dos espaços europeu e americano.

d) os países signatários do Pacto de Varsóvia se aliaram e, para defender seus interesses financeiros, formaram um bloco econômico, a fim de competir com a Alemanha, a Inglaterra e os Estados Unidos.

 

02. [FEI] A Guerra Fria é o período histórico do século vinte em que duas superpotências da época, EUA e URSS, rivalizavam-se na busca da hegemonia planetária, porém, evitavam o confronto direto, na medida em que este poderia provocar um conflito nuclear. Entre os episódios mais marcantes na disputa pela hegemonia política, ideológica e militar que marcaram este período, assinale a alternativa incorreta:

a) a crise dos mísseis em Cuba em 1962.

b) criação da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) em1949 e do Pacto de Varsóvia em 1955.

c) construção do Muro de Berlim por decisão do governo da URSS e da Alemanha Oriental em 1961.

d) corrida armamentista com a formação de grande arsenal de armas nucleares e de sistemas de defesa, destacando-se o programa “Guerra nas Estrelas” lançado pelo presidente Ronald Reagan.

e) elaboração de estratégias políticas e econômicas da Perestroika e da Glasnost pela União Soviética.

01. [B]

02. [A]

Compartilhe

TOPO