Operação Barbarossa

A Operação Barbarossa se caracterizou pela quebra do pacto germano-soviético de não agressão durante a Segunda Guerra Mundial.

A Operação Barbarossa foi o nome dado à ofensiva militar do exército de Wehrmacht (as Forças Armadas Alemã) sobre a União Soviética. O ataque durou cerca de 6 meses, vigorando entre os dias 22 de junho e 5 de dezembro do ano de 1941.

O batismo da operação comandada pelo general alemão Franz Halder fez referência ao Sacro Imperador Romano-Germânico eu vivera no século XII, Frederico Barba Roxa (ou Barbarossa).

operação barbarossa
(Imagem: Reprodução)

A quebra do Pacto Germano-Soviético e o desencadeio da Operação Barbarossa

A compreensão da ofensiva alemã exige uma retomada no tempo, mais especificamente em 1939. Neste ano em questão, os líderes Josef Stalin e Adolf Hitler, da União Soviética e Alemanha, respectivamente, firmaram um acordo de não agressão.

Denominado como Pacto Germano-Soviético (ou Acordo de Ribentropp-Molotov, nome dos diplomatas que oficializaram o tratado), o acordo visava estabelecer uma distância entre comunistas e nazistas. Sem qualquer união entre ambos, como também nenhum oferecimento de suporte da URSS aos nazistas.

Assinado no ano de 1939, mais especificamente em 23 de agosto, o tratado evitaria qualquer intromissão da URSS na invasão alemã à Polônia no mesmo ano. O fato é tido como o grande marco do início da Segunda Guerra.

Garantido que não haveria represália soviética sobre possível reação negativa de potências ocidentais à ação alemã, Stalin e Hitler mantinham uma relação distante, mas sem interferir um nos planos do outro.

O rompimento

O rompimento do Pacto ocorreu durante a ofensiva nazista em aliança com o Japão, que fazia ameaças à fronteira oriental da URSS. Era nítido, no entanto, que o “tratado de paz” seria temporário, uma vez que cada potência tentava avançar seus ideais pelo continente europeu.

Hitler tinha como plano a transformação da região do leste europeu no que ele chamava de “grande celeiro”, onde este teria como função o abastecimento alimentício dos alemães.

Para concretizar esse plano, a população eslava da região seria escravizada, e todo meio de produção industrial soviético, destruído.

Desenvolvimento da ofensiva

Liderada pelo General Halder, a Operação Barbarossa avançou vagarosamente, e com intenção de surpreender. O ataque seguiu uma cronologia pré-estabelecida, sendo:

  • Pelo norte, tropas sob comando do marechal Ritter Von Leeb se dirigiriam a Leningrado;
  • Pelo centro, no sentido de Moscou, as tropas do marechal Fedor Von Bock;
  • Pelo sul, a ofensiva ficaria a cargo do marechal Gerd Von Rundstedt, encarregado da futura conquista de Kiev, capital ucraniana;

A Operação Barbarossa mobilizou um total de 4,5 milhões de soldados nazistas, estima-se. Pega de surpresa, a URSS não esperava pelo ataque, e acabou tendo parte do território destruído pela ofensiva nazista.

A fim de proteger o epicentro do território, os soviéticos se concentraram em uma defensiva sólida em Stalingrado e Moscou. Embates se arrastaram, o frio tomava conta da batalha e, aos poucos, o exército alemão foi recuando.

Segundo relatos, Hitler impediu a retirada das tropas, e exigiu que os alemães seguissem sua ofensiva, o que acarretou na morte de milhões de soldados por causa do inverno rigoroso da região.

A sangrenta Batalha de Stalingrado foi uma das consequências do embate oriundo da Operação Barbarossa.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1. [MACKENZIE]

A batalha que aconteceu em Stalingrado, durante a II Guerra Mundial, marcou:

a) a consolidação das posições alemãs na Rússia, decorrente da expansão fulminante das potências do Eixo (Itália-Alemanha-Japão).

b) a neutralização do exército de Stalin, obrigando-o a assinar o Pacto Germano-soviético de não agressão e neutralidade.

c) a inversão da situação militar da II Guerra, dando início ao recuo nazista na Europa Oriental e à decadência do Terceiro Reich.

d) a vitória da Blitzkrieg – guerra-relâmpago, que consistia em ataques maciços com o uso de carros blindados, aviões e navios.

e) o desembarque aliado nas praias da Normandia – o Dia D, que conteve a ofensiva alemã, destruindo pela primeira vez o mito da invencibilidade da Wehrmacht.

Resposta: C

Compartilhe nas redes sociais

TOPO