Nelson Mandela

Nelson Mandela foi um ativista, líder e político sul-africano.

Nelson Mandela é considerado um dos principais líderes da história da África do Sul, sobretudo pela sua luta antiapartheid. Posteriormente eleito como presidente do país entre os anos de 1994 e 1999, Mandela se destaca, inclusive, em cenário internacional.

Seu nome verdadeiro era Rolihlahla Madiba Mandela. Foi o principal representante rebelde da luta pelo fim do Apartheid no país africano.

Era considerado pelo povo como um líder de respeito em favor à liberdade do povo. Por outro lado, pelos governantes sul-africanos da época, era tido como um terrorista. Por esta alcunha, chegou a passar três décadas aprisionado.

nelson mandela
(Imagem: Reprodução)

Uma breve história de Nelson Mandela

Aos setes anos de idade, Mandela é o primeiro de sua pobre família a freqüentar a escola. É lá que recebe o nome inglês de “Nelson”. Pouco tempo depois, a fatídica morte de seu pai o abala.

Entretanto, seguindo as tradições da etnia Xhosa, a qual fazia parte, o agora Nelson Mandela é iniciado na sociedade aos 16 anos. É encaminhado, assim, para o Instituto Clarkebury, onde estuda cultura ocidental.

Ao fim de seu primeiro ano no curso de Direito, iniciado em 1934, Mandela já começa a envolver-se com movimentos estudantis. Ali, costumava realizar boicotes às rígidas e impositivas políticas que a Universidade pregava.

O resultado foi sua expulsão do curso. Ele, então, segue para Johanesburgo, com o intuito de concluir sua graduação, agora na Universidade da África do Sul (UNISA).

Envolvido e imerso na política sul-africana, Mandela se envolve como oposição ao regime do Apartheid. O repressivo regime negava a negros, indianos e mestiços qualquer tipo de direito político, social ou econômico.

Negando essa injustiça vigente no país, Nelson Mandela, junto aos amigos Oliver Tambo e Walter Sisulu,  funda a Liga Jovem do CNA. Em 1942, o momento parecia de renovação no país africano.

Até o ano de 1960, Mandela se comprometia com os protestos pacíficos. A gota d’água, no entanto, veio após o massacre de Sharpeville, em março do ano referido.

O genocídio em questão foi realizado pela própria Polícia Sul-Africana, que disparou contra manifestantes negros. O caso acabou vitimando 69 pessoas e ferindo cerca de 200.

No ano seguinte, Nelson Mandela se torna um combatente de grupo armado do CNA, denominado como Umkhonto we Sizwe (“Lança da Nação”, na tradução). Junto de outros militantes, o objetivo era responder da mesma forma que o governo.

A Prisão e o Governo Mandela

Ao ingressar na luta armada, Nelson Mandela fora preso poucos anos depois, em 1962. A prisão do líder sul-africano representou uma violação aos direitos de liberdade, gerando indignação no mundo todo.

Protestos foram organizados por todo o mundo, exigindo a libertação do líder. Durante o período em que esteve preso, Mandela seguiu lendo, escrevendo e militando, apesar do duro trabalho forçado na cadeia.

Apenas em 1984, uma oferta foi feita para a libertação do líder sul-africano. Nelson Mandela estaria livre da prisão, mas com a condição de desistir da militância, da política e, claro, da luta armada.

Ele recusa a oferta e decide por permanecer preso por outros seis longos anos. Em 1990, o presidente da África do Sul, Frederik de Klerk, põe fim à condenação de Mandela. Não obstante, restringe a ilegalidade do CNA e acaba com a Lei do Apartheid.

Eram novos tempos na África do Sul. Em 1993, tanto Frederik quanto Mandela são agraciados pelo Prêmio Nobel da Paz.

Já em 1994, Nelson Mandela é declarado como o primeiro presidente negro da África do Sul, governando até 1999. O líder sul-africano viveria até 5 de dezembro de 2013, quando sua morte fora anunciada em Joanesburgo, aos 95 anos.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Como referenciar este conteúdo

Bunde, Mateus. Nelson Mandela. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/nelson-mandela. Acesso em: 29 de July de 2021.

Teste seu conhecimento

01. [PUC] O Apartheid foi um regime político que segregou grande parte da população sul-africana, baseado no princípio da cor da pele. Esse regime terminou no início da década de 1990, por meio de:

a) Uma guerra civil que irrompeu liderada por Nelson Mandela e que ameaçou a estabilidade política e econômica do país.

b) Estados Unidos e Grã-Bretanha ameaçaram invadir a África do Sul, se o poder não fosse entregue também aos cidadãos não brancos da África do Sul.

c) Uma grave crise econômica abateu-se sobre a África do Sul, em decorrência de uma prolongada greve geral promovida pelos trabalhadores negros, que se recusaram a trabalhar nas empresas e minas sul-africanas, até que a cidadania plena lhes fosse concedida.

d) Um plebiscito, no qual a população branca da África do Sul decidiu abolir o regime e permitir que a população sul-africana não branca também participasse da vida política de seu país. Essa ação foi motivada por fortes pressões internacionais que ameaçavam a estabilidade da economia sul-africana.

e) Uma coligação militar formada por vários países africanos, incluindo Nigéria, Tanzânia, Quênia, Angola e Moçambique, ameaçou cortar ligações econômicas com a África do Sul, caso a cidadania plena não fosse concedida a toda população.

 

02. [FGV] De 1948 a 1991, vigorou na África do Sul o regime denominado apartheid. A esse respeito é correto afirmar:

a) Trata-se de uma política de segregação racial que excluía os negros da participação política, mas lhes reservava o livre direito à propriedade da terra.

b) Trata-se de uma política de segregação racial que previa uma lenta incorporação da população negra às atividades políticas do país.

c) Trata-se de uma política de segregação racial que excluía negros e asiáticos da participação política e restringia até mesmo a sua circulação pelo país.

d) Trata-se de uma política de integração racial baseada na perspectiva ideológica da mestiçagem cultural entre as diversas etnias negras.

e) Trata-se de uma política de segregação racial que propunha a eliminação gradual da minoria negra, como forma de garantir a dominação branca.

01. [D]

02. [C]

Compartilhe

TOPO