Nazismo

O Nazismo foi um regime político totalitário que ocasionou a morte, em campos de concentração, de aproximadamente 6 milhões de pessoas.

Nazismo é uma expressão derivada da palavra “Nazi”, que na realidade é a abreviação de “Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães”. O Partido, organizado por Adolf Hitler na década de 1920, tinha os mesmos ideais do Nazismo que cresceu e ganhou espaço. Mas como esses ideais surgiram?

Nazismo: o início

Imagem: Reprodução

No ano de 1919, a Alemanha perdeu a Primeira Guerra Mundial e passou a ser submetida a muitas humilhações, assim como cobranças vindas dos países que saíram vitoriosos. Os efeitos da derrota eram perceptíveis nos setores econômico, social, cultural, entre outros, sendo diretamente sentidos pela população Alemã. Com isso, surgiu um ressentimento bastante intenso vindo dos alemães para os outros países, e isso ajudou a revigorar o extremismo nacionalista alemão.

Após a Primeira Guerra Mundial, houve uma reestruturação da política Alemã, que ficou conhecida como República de Weimar. O nome foi dado em decorrência da localidade em que foi elaborada a constituição que passou a dar as novas diretrizes políticas para a Alemanha. Neste contexto, durante a República, o Nazismo passou a se articular junto a diversos outros partidos e facções políticas, fazendo pressão contra o novo poder instituído.

Analisando pelo ponto de vista econômico do país, a República de Weimar trouxe resultados bastante satisfatórios entre os anos de 1924 e 1929, já que fez com que países investissem na Alemanha, principalmente os Estados Unidos. A economia do país, entretanto, com a Grande Depressão Americana e com a Quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque em 1929 acabou ruindo, entrando em um novo declínio que acabou por favorecer a radicalização das propostas do partido Nazista.

Adolf Hitler

Nascido na Áustria, no ano de 1889, Hitler participou como soldado da Primeira Guerra Mundial, como um dos vários combatentes da Tríplice Aliança. Depois disso, Hitler integrou um grupo de ex-combatentes que, juntos, desenvolveram uma ideologia que objetivava o resgate da “dignidade política” e do “passado glorioso alemão”, tendo como ideais, portanto, manter os dois grandes impérios que haviam sido essenciais para a Alemanha. A partir desse grupo que se fundou o Partido Nazista, que trouxe suporte para o Terceiro Reich.

Hitler, antes da derrocada de 1929, junto aos aliados, tentou tomar o poder em 1923, mas foram presos e condenados. O líder, na prisão, deixou registrada sua ideologia aperfeiçoada no livro “Main Kampf”, que significa “Minha Luta”. O livro continha todo o programa que o Partido Nazista iria executar, e foi com esse partido que Hitler conseguiu nomear representantes no parlamento e chegar ao cargo de Chanceler, ficando abaixo, politicamente falando, somente do Presidente Von Hindenburg.

No ano de 1933, Hitler e o partido Nazista começaram a fazer pressão para que o presidente desse mais poderes à eles, e foi aí que começou efetivamente a ditadura nazista. No ano seguinte, o presidente Hindenburg faleceu, e Hitler então fez com que, além de Chanceler, ele próprio fosse o presidente. Assim, regime do partido nazista passou a ser caracterizado como totalitário, integralmente.

Quais as características do nazismo?

Como ideologia instituída no poder, as principais características do nazismo eram derivadas das ideias de Hitler, desenvolvidas quando estava na prisão. A propaganda seria usada para o controle da população, como pelo rádio e pelo cinema, que foram, inclusive, essenciais para que essas ideias se propagassem. As ideias disseminadas por Hitler eram do antissemitismo, já que ele associava aos Judeus a maioria dos problemas que a Alemanha enfrentava, e isso intensificou o ódio contra esse povo. Nisso, se baseou o Holocausto, que causou a morte de mais de 6 milhões de pessoas, a maioria judeus, dentro de campos de concentração.

Havia ainda uma noção eugenista da superioridade do homem germânico branco, denominado a raça ariana, além dos ideais racistas e a construção de um espaço para que a raça “pura” construísse seu império. Segundo os planos de Hitler, deveriam ser invadidas, para compor esse espaço, as vastas regiões do continente Europeu, visto que segundo a visão Hitlerista, em decorrência de sua superioridade como parte do povo ariano, deveria ser Senhor dos outros povos.

Hitler convenceu muitas pessoas, compondo grande parte da população alemã com seus seguidores, que acabaram tornando-o um grande líder, garantindo uma Alemanha triunfante e próspera. Foi esse contexto, entretanto, que conduziu a Alemanha para a Segunda Guerra Mundial, que foi ainda mais sangrenta que a anterior, assim como ao horror da “indústria da morte”, que era vista constantemente dentro dos campos de extermínio.

Referências

História Geral – Claudio Vicentino

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [UNIFESP] Morrer pela Pátria, pela Ideia (…) Não, isso é fugir da verdade. Mesmo no front, matar é que é importante (…). Morrer não é nada, isso não existe. Ninguém pode imaginar sua própria morte. Matar é o importante. Essa é a fronteira a ser cruzada. Sim, esse é o ato concreto de vontade. Porque aí você torna sua vontade viva na de outro homem.

Esse texto, de 1943-45, expressa a visão de mundo de um adepto da ideologia

a) socialista.

b) liberal-fascista.

c) nazi-fascista.

d) anarquista.

e) capitalista.

 

 

02. [PUC] Fascismo e nazismo têm em sua origem algumas causas comuns. Entre essas causas pode-se apontar:

a) o ideário da “raça pura”.

b) conflitos entre burguesia e nobreza.

c) crises econômico-sociais com as consequentes greves, tumultos e agitações que favoreceriam a tomada do poder pelas esquerdas.

d) as consequências do fracasso das ofensivas dos dois países contra a Tríplice Aliança, durante a Primeira Guerra Mundial.

e) A luta pelo poder entre partidos fortes da direita.

01. [C]

02. [C]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO