Napoleão Bonaparte

Napoleão Bonaparte foi um líder militar francês e imperador que conquistou grande parte da Europa no início do século XIX

Napoleão Bonaparte nasceu na Córsega, França, em 1769. Frequentou o colégio militar em Paris. Sua ascensão na carreira militar foi rápida e brilhante.

Aos 24 anos, o então tenente de artilharia francesa, apresentou um plano para libertar a cidade de Toulon dos ingleses. O plano foi bem sucedido. E, aos 24 anos, Napoleão foi promovido a general.

Dois anos depois, em 1795, foi nomeado comandante do exército do interior, salvando a República do Diretório da ameaça de um golpe dos realistas, em plena Revolução Francesa.

Imagem: Reprodução

Napoleão Bonaparte torna-se cônsul

No 18 Brumário, Bonaparte, apoiando por um expressivo número de políticos girondinos e do Partido da Planície, deu um golpe de Estado, dissolveu o Diretório e estabeleceu um novo governo, denominado Consulado.

Teve início então o “Período Napoleônico”, que durou cerca de quinze anos.

Em dezembro de 1799 foi promulgada uma nova constituição que ampliava os poderes de Napoleão. Esse período pode ser comparado a uma ditadura militar, chefiada por Bonaparte.

De cônsul a imperador

Napoleão tomou para si a tarefa de defender internamente a Revolução Francesa e de levá-la ao restante da Europa. Estas foram as razões de grande prestígio para Bonaparte dentro da França e de também da formação de coligações de Estados europeus contra as pretensões imperiais francesas.

Em 1800 a Inglaterra, Prússia, Rússia e Áustria uniram-se para lutar contra as tropas francesas que avançavam sobre o território europeu.

Apesar do poder bélico de seus inimigos, Bonaparte conseguiu expressivas vitórias e suas tropas ocuparam vasta região na Europa.

Napoleão Bonaparte
Imagem: Reprodução

O Bloqueio Continental

A maior dificuldade encontrada pela França a partir de então, era o poder naval da Inglaterra. A vitória da marinha inglesa na Batalha de Trafalgar, em 1805, deixava claro que seria muito difícil uma vitória militar sobre a Inglaterra.

Por isso, Bonaparte resolveu combater os ingleses atacando sua economia.

Em 1806, decretou o Bloqueio Continental contra a Inglaterra. Por essa determinação, os demais países da Europa estavam proibidos de fazer comercio com o reino inglês. Como muitos se encontravam invadidos pela França, aderiram facilmente ao Bloqueio.

O fim do Império Francês

Em 1812, O Império Francês atingiu a sua expansão máxima ao mesmo tempo ao mesmo tempo que os primeiros sinais de de declínio começaram a aparecer. A manutenção do Império exigia grande contingente de soltados e grandes somas de dinheiro.

Com o passar dos anos, a população francesa se ressentia com as perdas humanas e as dificuldades econômicas impostas por Bonaparte.

Com a chegada do inverno, o exército francês foi dizimado pelo frio, fome e pela impossibilidade de fugir pelas terras geladas da Rússia. Diante do enfraquecimento das tropas francesas, formou-se uma nova coligação entre Inglaterra, Áustria, Rússia e Prússia para combater Napoleão.

A derrota era inevitável, uma vez que o exército francês praticamente desapareceu na Rússia.

Entre o final de março e o começo de abril de 1814, Paris foi invadida pelas forças da coligação, e Bonaparte foi deposto e a monarquia Bourbon voltou ao poder.

Os anos finais de Napoleão Bonaparte

Após a derrota para o exército da coligação, Bonaparte refugiou-se na Ilha de Elba, localizada entre a Córsega e a Península Itálica.

Em março de 1815, fugiu de Elba e voltou a Paris disposto a reassumir o poder. Diante das arbitrariedades vinham sendo cometidas pelo então rei Luís XVIII, Napoleão foi recebido com entusiasmo pela população.

O rei e sua família fugiram e Bonaparte reassumiu o poder. Mas seu governo durou pouco mais de três meses e ficou conhecido como “O Governo dos Cem Dias”.

Nesse momento, a coligação que lhe havia imposto uma derrota anterior ataca novamente a França. E em 18 de junho de 1815, na Batalha de Waterloo, Napoleão Bonaparte foi definitivamente derrotado.

Exilado na Ilha de Santa Helena, no Oceano Atlântico, Napoleão Bonaparte lá ficou até sua morte, em 1821.

Referências

História: Uma abordagem integrada – Nicolina Luiza de Petta, Eduardo A. Baez Ojeda

História – Divalte Garcia Ferreira

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Como referenciar este conteúdo

Bernardes, Luana. Napoleão Bonaparte. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/napoleao-bonaparte. Acesso em: 28 de November de 2020.

Teste seu conhecimento

01. [PUC]: Como general, cônsul e, depois, imperador, Napoleão Bonaparte transformou a França de um país sitiado numa potência expansionista com influência em todo o continente europeu. No entanto, a expansão francesa com seus ideais burgueses encontrou muitas resistências, principalmente entre as nações dominadas por setores aristocráticos.

Assinale a opção que identifica corretamente uma ação implementada pelo governo napoleônico.

a) O estabelecimento do catolicismo cristão e romano como religião de Estado.

b) A descentralização das atividades econômicas, o que permitia que as economias locais prosperassem sem o pagamento de impostos.

c) A adoção do Código Civil, que garantia a liberdade individual, a igualdade perante a lei e o direito à propriedade privada.

d) O estímulo, por parte das leis francesas, à criação de sindicatos de trabalhadores, livres da influência do Estado.

e) A estatização de toda a propriedade agrícola, comercial e industrial nas regiões dominadas pelo exército napoleônico.

 

02. [UFRGS]: Por volta de 1811, o Império napoleônico atingiu o seu apogeu. Direta ou indiretamente, Napoleão dominou mais da metade do continente europeu. Tal conjuntura, no entanto, reforçou os sentimentos nacionalistas da população dessas regiões. A ideia de nação, inspirada nas próprias concepções francesas, passou a ser uma arma desses nacionalistas contra Napoleão.

Assinale a afirmação correta, relativa à conjuntura acima delineada.

a) Após o bloqueio continental, em todos os Estados submetidos à dominação napoleônica, os operários e os camponeses, beneficiados pela prosperidade econômica, atuaram na defesa de Napoleão contra o nacionalismo das elites locais.

b) A Inglaterra, procurando manter-se longe dos problemas do continente, isolou-se e não interveio nos conflitos desencadeados pelos anseios de Napoleão de construir um Império.

c) A Espanha, vinculada à França pela dinastia dos Bourbon desde o século XVIII, não reagiu à dominação francesa. Em nome do respeito às suas tradições e ao seu nacionalismo, a Espanha aceitou a soberania estrangeira imposta por Napoleão.

d) Em 1812, Napoleão estabeleceu sólida aliança com o Papa, provocando a adesão generalizada dos católicos. Temporariamente, os surtos nacionalistas foram controlados, o que o levou a garantir suas progressivas vitórias na Rússia.

e) Herdeira da Filosofia das Luzes, a ideia de nação, tal como difundida na França, fundou-se sobre uma concepção universalista do homem e de seus direitos naturais. Essa concepção, porém, pressupunha o princípio do direito dos povos de dispor sobre si mesmos.

01. [PUC]

Resposta: C

Entre as ações de Napoleão Bonaparte, a que mais teve efeitos duradouros e realmente transformadores na sociedade europeia foi a criação do Código Civil, que prescrevia leis a respeito dos direitos e deveres do cidadão (e não mais súdito), como o direito à propriedade e à liberdade.

 

02. [UFRGS]

Resposta: E

Ao mesmo tempo em que Napoleão procurou justificar o seu expansionismo imperialista com os ideais iluministas da Revolução Francesa (liberdade, igualdade, cidadania, Estado nacional etc.), as nações por ele ocupadas viram-se na contingência de se livrarem da presença do império francês em razão dos mesmos ideais.

Compartilhe

TOPO