Muro de Berlim

O Muro de Berlim se manteve de pé durante muitos anos, e foi usado para separar a Alemanha Ocidental da Alemanha Oriental.

Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução

Muro de Berlim é como ficou conhecida a barreira física que foi construída na cidade de mesmo nome pela República Democrática Alemã, também conhecida como Alemanha Oriental, que era a parte Socialista alemã durante a Guerra.

No ano de 1945, ao final da Segunda Guerra Mundial, Alemanha se rendeu, e para que pudessem decidir o que seria feito com o país derrotado, os aliados se reuniram e assinaram a Conferência de Potsdam, que foi responsável pela divisão da Alemanha em quatro partes, que seriam ocupadas pelos países vitoriosos, Estados Unidos, França, União Soviética e Grã-Bretanha. Berlim, sendo a capital, também foi dividida em quatro partes.

Dos quatro países, somente um era comunista, a União Soviética, enquanto os outros três eram capitalistas, e a relação amigável que existia entre eles, aos poucos foi se dissolvendo e passando a ser competitiva e agressiva. A reunificação da Alemanha tornou-se pouco provável, e isso acabou fazendo com que o país fosse dividido em Oriental, que era a parte comunista, e Ocidental, que era a parte Capitalista. Deu-se início, portanto, à Guerra Fria.

A construção do Muro de Berlim

Durante a madrugada do dia 13 de agosto de 1961, o governo da Alemanha Oriental (República Democrática Alemã) deu início a construção de um muro de arame farpado em Berlim, objetivando dividir Berlim Ocidental de Berlim Oriental, objetivando manter os habitantes da parte capitalista fora de sua área, evitando, portanto, que sabotassem o lado comunista, mas o objetivo por trás deste, oficial, era evitar que os moradores de Berlim Oriental fossem para Berlim Ocidental, como vinha acontecendo. Nessa época, segundo estimativas, cerca de 3,5 milhões de pessoas desrespeitaram as normas criadas para a emigração, deixando a República Democrática Alemã antes que o muro fosse construído.

O muro possuía 66,5 km de extensão, contando ainda com 302 torres de observação e 127 redes metálicas eletrificadas para evitar a passagem de pessoas sem que fosse permitido. O muro, conhecido oficialmente como Muro de Proteção Antifascista, apresentava apenas um posto militar, o Checkpoint Charlie, que era por onde os estrangeiros e membros das forças aliadas poderiam passar. Os militares, com a ajuda de cães de guarda, faziam a ronda para fiscalizar se alguém tentava passar, e possuíam ordens para atirar em qualquer um que tentasse atravessar. Conhecida como Schießbefehl, ou ainda ordem 101, esta trouxe a morte de 136 pessoas entre os anos de 1961 e 1989, contando ainda com 200 feridos e 300 presos. Durante os 28 anos em que o muro dividiu a cidade, entretanto, estima-se que aproximadamente 5 mil pessoas tenham atravessado para o outro lado. Mas se havia tanta proteção, o que fazia com que a população ainda assim quisesse atravessar para o outro lado? O que acontece é que, além de haver essa divisão territorial, o muro acabou separando de forma inesperada e definitiva milhares de famílias e amigos, que passaram quase 30 anos sem poder se encontrar.

A queda do muro de Berlim

No dia 9 de Novembro de 1989, a queda do muro finalmente aconteceu, após 28 anos. Isso aconteceu pelas mãos da própria população após um anúncio que aconteceu depois de um processo de negociação, avisando que a população poderia atravessar livremente a fronteira. A demolição oficial, entretanto, somente aconteceu a partir do dia 13 de Junho de 1990. A queda do muro, que foi um símbolo marcante para a Guerra Fria, foi motivo de comemoração para o lado capitalista, já que simbolizava, de certa forma, a derrota do comunismo e uma proximidade maior com o fim da polarização do mundo.

Referências

A queda do Muro de Berlim – CFD Avila – Revista de Sociologia e Política, 2010

A crise financeira e a queda do muro de Berlim – R Ricupero

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [UNESP – SP] Sobre a queda do Muro de Berlim, no dia 10 de novembro de 1989, é correto afirmar que:
a) o fato acirrou as tensões entre Oriente e Ocidente, manifestas na permanência da divisão da Alemanha;
b) resultou de uma longa disputa diplomática, que culminou com a entrada da Alemanha no Pacto de Varsóvia;
c) expressou os esforços da ONU que, por meio de acordos bilaterias, colaborou para reunificar a cidade, dividida pelos aliados;
d) constituiu-se num dos marcos do final da Guerra Fria, política que dominou as relações internacionais após a Segunda Guerra Mundial;
e) marcou a vitória dos princípios liberais e democráticos contra o absolutismo prussiano e conservador.
02. [ENEM] Quais os dois sistemas econômicos que entraram em conflito durante a Guerra Fria?

A – Socialismo e Comunismo.
B – Comunismo e Coletivismo
C – Capitalismo e Anarquismo
D – Socialismo e Capitalismo

01. [D]
02. [D]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO