Muralha do Atlântico

A Muralha do Atlântico foi uma idealização nazista de proteção ao território alemão com projeto que abrangeria 2700 quilômetros.

A muralha do Atlântico significava muito mais do que apenas um extenso muro. A muralha em questão fazia referência a uma fortificação militar, cujo principal objetivo seria defender o território.

No entanto, tinha-se como ideal a ofensiva como uma defesa forte. Ou seja, essa estratégia se baseava muito no que fora utilizada no período da Idade Média.

O caso da Muralha do Atlântico visava a instalação de uma barreira protetora capaz de atacar caso fosse necessário. Sua extensão compreenderia inúmeros países e se alongaria por cerca de 2700 quilômetros.

muralha do atlântico plano
Como era idealizada a Muralha do Atlântico? (Imagem: Reprodução)

Características e objetivos da Muralha do Atlântico

A Muralha do Atlântico é tida pelos pesquisadores como uma das “invencionices” megalômanas dos nazistas. Como supracitado, no projeto abrangeria os 2700 quilômetros, iniciando na Espanha e atravessando a França até a Noruega.

O objetivo era proteger os territórios já conquistados pelos alemães, impedindo o avanço marítimo, sobretudo dos britânicos. Além disso, temendo uma entrada norte-americana na Guerra, Hitler percebeu a possibilidade de invasão dos estadunidenses pelos mares do Reino Unido.

Imediatamente ele ordenou a construção da Muralha do Atlântico, a fim de reforçar a proteção a um possível ataque.

Construção e fortificação da Muralha

Na estrutura, estavam compostos diversos empecilhos para a chegado dos inimigos de guerra, tais como:

  • Dentes de dragão (obstáculo para veículos);
  • Postos com vigilância;
  • Instalação de mais de seis milhões de minas terrestres;

Para a construção inicial foram necessárias mais de 10 milhões de toneladas de concreto, além de 1 milhão de toneladas em aço. Paralisadas em 1944, as obras da Muralha do Atlântico acabaram sendo interrompidas pelo Dia D, e 6 de junho do ano em questão.

muralha do atlântico hoje
(Imagem: Reprodução)

Atualmente ainda é possível observar as construções que restaram do projeto inicial da Muralha do Atlântico. Em algumas praias europeias, elas se tornaram monumentos simbólicos e isolados, que retratam no presente a história da Segunda Guerra Mundial.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1. [UEG]

“Os olhos do mundo estão sobre vocês” (Dwight Eisenhower).

A frase acima foi dita pelo comandante das tropas aliadas durante o chamado “Dia D”. No dia 6 de junho de 2014, comemoraram-se os 70 anos do Desembarque da Normandia, um dos episódios mais conhecidos da II Guerra Mundial. A importância desse acontecimento deve-se ao fato de que ele:

a) possibilitou que os exércitos britânico e americano apressadamente evitassem a conquista da Europa Ocidental pelo exército soviético.

b) permitiu a abertura de uma nova frente de batalha pelo exército Aliado e iniciou a libertação da Europa do jugo nazista.

c) demonstrou a superioridade técnica do exército nazista, que, liderado por Rommel, antecipou o local do desembarque e infligiu pesadas baixas aos aliados.

d) viabilizou a libertação de Paris pelo exército da resistência francesa, liderado pelo experiente herói de guerra, Charles de Gaulle.

e) resultou na conquista de uma base científica nazista que possibilitou a construção das bombas atômicas a partir do Projeto Manhattan.

Resposta: B

2. [UFRGS]

Em dezembro de 1943, foi realizada por Roosevelt, Churchill e Stálin, a Conferência de Teerã, que decidiu a abertura de um novo front da Segunda Guerra com a invasão da Normandia. Essa reunião assinala a mudança na situação estratégica da Alemanha, que passa a atuar na defensiva.

A inversão no quadro da guerra deveu-se à:

a) ruptura do Pacto germano-soviético pela URSS, que libertou a França.

b) unificação da Coreia e ao controle do petróleo romeno pelos norte-americanos.

c) aliança da URSS com o Japão, o que obrigou o Eixo a recuar na Ásia.

d) ofensiva soviética iniciada na Batalha de Stalingrado e à capitulação italiana frente aos Aliados.

e) proclamação da República Social Italiana por Mussolini, que rompeu o pacto com a Alemanha e arrastou a Iugoslávia.

Resposta: D

Compartilhe nas redes sociais

TOPO