Industrialização no Brasil

A industrialização no Brasil teve início no século XX, cerca de 100 anos depois da Revolução Industrial.

A Industrialização no Brasil só teve início em meados do século XX. Mais especificamente na segunda metade, mais de cinquenta anos após a queda da Monarquia no Brasil. Enquanto colônia, o país não teve qualquer tipo de desenvolvimento das indústrias. As metrópoles eram cercadas de monopólios, e estas proibiam qualquer tipo de estabelecimento de fábricas no território nacional. O objetivo era que brasileiros consumissem os produtos oriundos de Portugal.

Publicidade

Nem mesmo a chegada da Família Real ao Brasil, e a consequente abertura dos Portos de Nações Amigas, foi o suficiente. O Brasil seguia dependendo dos produtos exteriores na reta final do período colonial e início do Império. Contudo, se antes era dependência portugueses, em seguida a dependência foi dos ingleses.

Após o “fim” da dependência dos produtos ingleses, o Brasil até começa a dar indícios de produção interna e desenvolvimento industrial. Contudo, foi um verdadeiro fracasso. A preocupação era com as atividades agropecuárias (café) destinadas à exportação. O foco era a expansão da cafeicultura; era do produto que provinha o status, a riqueza e o poder. Por causa destes percalços (e atrasos), o Brasil só foi conhecer sua primeira Revolução Industrial em meados de 1930.

industrialização no Brasil
(Imagem: Reprodução)

Fatores que levaram a Industrialização no Brasil

Apesar dos atrasos, o Brasil conseguiu dar início ao desenvolvimento de uma indústria nacional. A industrialização no Brasil realmente dependeu da produção do café para crescer e se consolidar. Os fatores principais que levaram a industrialização no país foram:

  • O café exportado acaba gerando capital que permitiu investir na indústria nacional;
  • Imigrantes estrangeiros (alemães e italianos) traziam novas técnicas de produções para fabricação interna;
  • Uma nova classe média é formada. Com caráter comprador, consumista e de estímulo a criação de novas indústrias;
  • A industrialização não só muda o caráter de uma parcela da população que passa a consumir. Ela também altera cenários urbanos, transformando populações que antes eram operárias para uma urbano-sociais. Essa perspectiva é nítida em cidades com desenvolvimento forte de indústrias, como São Paulo e Rio de Janeiro.

A era Vargas, o período JK e a necessidade de participação do Estado

Getúlio Vargas, em seu primeiro governo, foi fundamental para a industrialização no Brasil. Conquistou polos tecnológicos, fez parceria de financiamento com os Estados Unidos e estimulou a criação de empregos. A Companhia de Siderúrgica Nacional, inclusive, surgiu no período do presidente gaúcho. Diversas outras usinas ainda foram implantadas, proporcionando alto crescimento industrial.

Com Juscelino Kubitscheck, o Brasil, enfim, abre as portas para o mercado externo. Multinacionais passam a investir e atuar no país. Postos empregatícios são abertos, a economia bomba e o investimento em infraestrutura também é implementado. Foi no período JK que grandes montadoras de veículos se instalam no território nacional.

O Estado então se mostra como grande atuante neste sentido. Além de realizar investimentos em indústrias de base, energia, mineração e infraestrutura, ele toma a frente das ações. Desde a abertura de postos de trabalho, como também a construção de rodovias, portos e até uma nova capital. A industrialização no Brasil, portanto, não seria possível sem auxílio estatal.

Publicidade

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Como referenciar este conteúdo

Bunde, Mateus. Industrialização no Brasil. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/industrializacao-no-brasil. Acesso em: 25 de May de 2024.

Teste seu conhecimento

01. [FUVEST]

A desconcentração industrial verificada no Brasil, na última década, decorre, entre outros fatores, da:

a) ação do Estado, por meio de políticas de desenvolvimento regional, a exemplo da Zona Franca de Manaus.

b) elevação da escolaridade dos trabalhadores, o que torna o território nacional atraente para novos investimentos industriais.

c) presença de sindicatos fortes nos estados das regiões Sul e Sudeste, o que impede novos investimentos nessas regiões.

d) isenção fiscal oferecida por vários estados, o que impede novos investimentos nessas regiões.

e) globalização da economia que, por meio das privatizações, induz o desenvolvimento da atividade industrial em todo o território.

 

02. [UFRGS]

Sobre o processo de industrialização brasileiro, são feitas as seguintes afirmações.

I – A partir de 1930, começa um importante projeto de criação de infraestrutura para o desenvolvimento do parque industrial.

II – A partir da Segunda Guerra Mundial, acentua-se o processo de estatização das indústrias na Região Sudeste.

III – A partir de 1964, amplia-se o parque industrial para atender à demanda da modernização da agricultura.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas II.

c) Apenas III.

d) Apenas I e III.

e) Apenas II e III.

01. [A]

02. [D]

Compartilhe

TOPO