História da Internet

Inicialmente criada para fins militares no final da década de 1950, a Internet primeiro se popularizou entre as universidades e, com a evolução tecnológica, se expandiu para milhões de usuários.

A história da Internet remete a um projeto de pesquisa militar (ARPA: Advanced Research Projects Agency), no período da Guerra Fria, no final da década de 1950 nos Estados Unidos.

Este projeto surgiu como resposta do governo americano ao lançamento do satélite artificial Sputnik pela ex-União Soviética.

história da internet
Imagem: Reprodução

Inicialmente a ideia era conectar os mais importantes centros universitários de pesquisa americanos com o Pentágono (Departamento de Defesa dos Estados Unidos).

Dessa forma, visavam não só a troca de informações rápidas e protegidas, mas também instrumentalizar o país como uma tecnologia que possibilitasse a sobrevivência de canais de informação no caso de uma guerra nuclear.

História da internet: o percurso

A tecnologia utilizada na época para transmissão de dados foi criada com o nome de WAN (Wide Area Networks), mas a linguagem utilizada nos computadores ligados em rede era muito complicada, por isso, na época, o potencial de difusão da Internet não podia ser imaginado.

Durante a década de 1970, a criação do o e-mail (eletronic mail) tornou-se o primeiro uso da Internet entre os pesquisadores, porque possibilitava que a comunicação entre eles fosse facilmente acessível e mais rápida.

Entretanto, as aplicações comerciais da Internet começaram a acontecer somente na década de 1980, nos Estados Unidos, com os primeiros provedores de serviço da Internet (ISP – International Service Providers) possibilitando ao usuário comum a conexão com a Rede Mundial de Computadores.

Podemos dizer que o que distingue a Internet de outros meios de telecomunicação é que ela faz uso de uma linguagem ou protocolo específico, chamado TCP/IP (Transmission Control Protocol / Internet Protocol), que lê a informação transmitida e a envia para o destino estabelecido pelo usuário.

No fim de 1989 o sistema já contava com mais de cem mil servidores envolvidos no projeto. E em 1992 o WWW (World Wide Web) foi lançado, aumentando consideravelmente o número de servidores conectados ao sistema ( para mais de um milhão).

Com essa expansão, a Internet ganhou milhares de usuários ao redor do mundo e rapidamente evoluiu para o que é hoje.

Imagem: Reprodução

Surgimento da Internet no Brasil

A história da Internet no Brasil começou bem mais tarde, só em 1991 com a RNP (Rede Nacional de Pesquisa), uma operação acadêmica subordinada ao MCT (Ministério de Ciência e Tecnologia).

Até hoje a RNP é a rede principal, também conhecida como “backbone” e envolve instituições e centros de pesquisa (FAPESP, FAPEPJ, FAPEMIG, etc.), universidades, laboratórios, etc.

Em 1994, no dia 20 de dezembro é que a EMBRATEL (Empresa privada de telefonia) lançou o serviço experimental a fim de conhecer melhor a Internet.

E somente em 1995 é que foi possível, pela iniciativa do Ministério das Telecomunicações e Ministério da Ciência e Tecnologia, a abertura ao setor privado da Internet para exploração comercial da população brasileira.

A partir de 1997, iniciou-se uma nova fase na Internet brasileira. O aumento de acessos à rede e a necessidade de uma infra-estrutura mais veloz e segura levou a investimentos em novas tecnologias.

Entretanto, devido a carência de uma infra-estrutura de fibra óptica que cobrisse todo o território nacional, primeiramente, optou-se pela criação de redes locais de alta velocidade, aproveitando a estrutura de algumas regiões metropolitanas.

Como parte desses investimentos, em 2000, foi implantado o backbone RNP2 com o objetivo de interligar todo o país em uma rede de alta tecnologia.

Atualmente, o RNP2 conecta os 27 estados brasileiros e interliga mais de 300 instituições de ensino superior e de pesquisa no país, como o INMETRO e suas sedes regionais.

Outro avanço alcançado pela RNP ocorreu em 2002. Nesse ano, o então presidente da república transformou a RNP em uma organização social.

Com isso ela passa a ter maior autonomia administrativa para executar as tarefas e o poder público ganha meios de controle mais eficazes para avaliar e cobrar os resultados. A história da internet, assim, gera um novo capítulo na história da humanidade.

Referências

Explorando a Internet de A à Z – Stephen L. Nelson

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [UEMA]: A letra da música de Gilberto Gil trata da rede de comunicação existente no mundo e sugere a importância dessa rede para a inclusão digital, do ponto de vista socioeconômico.

Pela Internet

Criar meu web site
Fazer minha home-page
Com quantos gigabytes
Se faz uma jangada
Um barco que veleje

[…]

Eu quero entrar na rede
Promover um debate
Juntar via Internet
Um grupo de tietes de Connecticut

De Connecticut acessar
O chefe da milícia de Milão
Um hacker mafioso acaba de soltar
Um vírus pra atacar programas no Japão

Eu quero entrar na rede pra contactar
Os lares do Nepal, os bares do Gabão
Que o chefe da polícia carioca avisa pelo celular
Que lá na praça Onze tem um videopôquer para se jogar

GILBERTO GIL. Disco Quanta. Warner Music, 1997 (adaptado).

A relação entre a exclusão socioeconômica e a digital está apresentada na seguinte assertiva:

a) A digital desencadeia a socioeconômica, pela relação direta entre a existência de ampla tecnologia da informação e comunicação e a realidade dos países subdesenvolvidos.

b) A socioeconômica desencadeia a digital, por existir maior investimento dos países subdesenvolvidos no acesso à tecnologia de informação e comunicação, portanto, maior inclusão.

c) A socioeconômica desencadeia a digital, pois há relação igualitária entre países desenvolvidos e subdesenvolvidos quanto ao acesso à tecnologia de informação e comunicação e à inclusão.

d) A digital desencadeia a socioeconômica, à medida que o acesso às tecnologias de informação e comunicação se dá de forma mais estruturada nos países subdesenvolvidos.

e) A socioeconômica desencadeia a digital, por haver uma relação desfavorável quanto ao menor acesso dos países subdesenvolvidos à tecnologia de informação e comunicação.

02. [PUC]: “A tecnologia não é apenas um canal para se comunicar, cuja comunicação traz o significado de ação recíproca que ocorre entre emissor e receptor da mensagem, mas sim faz parte do ato comunicativo, estando integrada a ele. É uma nova maneira de aprender e agir, é construir novos alicerces na forma de comunicar e conhecer. Com isso, a lógica da atual sociedade consolida-se para a lógica das redes”.

FORESTI, A. A era digital: apropriação tecnológica e inclusão digital. Oficina da Net, ago. 2013. Disponível em: <http://www.oficinadanet.com.br>. Acesso em: 12 jun. 2015.

A integração da tenologia com a construção das sociedades e do espaço geográfico, no momento atual da história, assinala o conceito de:

a) espaço digital

b) espacialidade em rede

c) territórios virtuais

d) meio técnico-científico informacional

e) espaço físico-virtual

01. [UEMA]

Resposta: E

A exclusão socioeconômica é a principal responsável pela exclusão digital, pois tanto os países subdesenvolvidos apresentam menores avanços na tecnologia da informação quanto a população pobre possui menos recursos financeiros e estruturais para adquirir o acesso à rede digital.

 

02. [PUC]

Resposta: D

A integração das transformações tecnológicas nos tempos atuais – contando a partir da Terceira Revolução Industrial – com o espaço geográfico assinala aquilo que Milton Santos denominou de meio técnico-científico informacional, marcado pela evolução das técnicas e dos objetos técnicos.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO