Guerra do Golfo

A Guerra do Golfo foi um confronto que teve início após invasão iraquiana às terras pertencentes ao Kuwait, com forte intervenção dos EUA.

A Guerra do Golfo é tida como um conflito que ocorreu no Oriente Médio com início em agosto de 1990 e fim decretado em fevereiro de 1991. O combate envolveu tropas do Iraque que invadiram terras do Kuwait.

O conflito estourou após o Iraque, liderado por Saddam Hussein, ignorar uma medida de boa convivência entre fronteiras, sancionada pela ONU (Organização das Nações Unidas), e invadir o Kuwait.

A invasão provocou uma Coalizão Internacional para intervir na situação. Esta coalizão, por sua vez, foi protocolada e validada pela ONU.

Liderada pelos Estados Unidos, a coalizão ainda teve participação de inúmeras potências regionais e internacionais. Inglaterra, Portugal, Espanha, França, Síria, Arábia Saudita e Egito foram alguns dos participantes.

guerra do golfo
(Imagem: Reprodução)

O contexto da Guerra do Golfo Pérsico

Os problemas se iniciaram quando o presidente do Iraque, Saddam Hussein, alegou a prática de super-extração de petróleo por parte do Kuwait. A medida do Kuwait, claro, prejudicou a economia iraquiana, baseada na extração da valiosa commoditie.

O líder do Iraque ainda ressuscitou antigos atritos do país com o qual estremecera relações. Hussein exigiu uma indenização por parte da política de extração de petróleo. O Kuwait, no entanto, se recusou a pagar os valores, provocando a invasão iraquiana.

As grandes potências reprovaram a ação de Saddam, e o ato mobilizou todo o mundo. Liderados pelos Estados Unidos, a Inglaterra, a França, a Espanha e demais países unidos, a fim de contornar o quadro.

Os EUA saíram prejudicados igualmente com a guerra do Golfo, uma vez que dois de seus fornecedores de petróleo tinham seu processo interrompido em virtude do conflito.

No dia 28 de agosto do ano de 1990, Saddam Hussein anunciou que o Kuwait, agora, era a 19ª província iraquiana. Isso ocasionou a ira dos Estados Unidos junto a ONU, que foi condescendente e autorizou o uso da força para intervir na situação.

No entanto, a fim de manter a paz, a ONU ordenou que o Iraque deixasse a invasão até o dia 15 de janeiro de 1991. As tentativas, entretanto, foram em vão. Com as tratativas pacíficas se esgotando, em 17 de janeiro de 1991, a força foi, enfim, utilizada.

No dia em questão um ataque aéreo foi arquitetado e iniciado. Em questão de horas, o Iraque estava completamente destruído.

O fim da Guerra do Golfo e as consequências do conflito

A derrota do Iraque foi iminente. A Guerra do Golfo foi acordada sob fim no dia 28 de fevereiro de 1991. Já o cessar fogo anunciado em abri de 1991 pelo Presidente Bush pai, dos EUA.

O Iraque foi ordenado a retirar as tropas do Kuwait, além de sofrer inúmeros embargos econômicos por prejudicar a região vizinha. Imposto pela ONU, o Iraque acabou com imagem manchada no cenário mundial.

As consequências não poderiam ser outras. A Guerra do Golfo provocou a morte de milhares de soldados e civis após ataques.

Tanto em decorrência da invasão iraquiana, como também do bombardeio aéreo. Os prejuízos sociais, culturais e econômicos acabaram por somarem-se imensos.

Após o fim da Guerra do Golfo, Saddam Hussein ainda permaneceria no comando do Iraque. O mesmo reorganizou a economia do país e ainda conseguiu reerguer o exército nacional.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Prof. Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Teste seu conhecimento

01. [VEST – RIO]

A Guerra do Líbano, o conflito Irã/Iraque, a questão Palestina, a Guerra do Golfo são alguns dos conflitos que marcam ou marcaram o Oriente Médio. Das alternativas abaixo, aquela que corretamente explica essa situação conflituosa é:

a) a disputa de terras favoráveis ao cultivo, como as encontradas na planície da Mesopotâmia, numa área desértica.

b) os grandes lucros provenientes do petróleo que não beneficiam a maioria da população nos países árabes.

c) o aumento, de forma rápida, do preço do barril de petróleo nos países membros da OPEP.

d) a criação do Estado de Israel, sob a tutela britânica, numa região de ricas reservas de petróleo.

e) o emaranhado de culturas, religiões e interesses estrangeiros numa área localizada a meio caminho entre a Ásia, Europa e África.
01. [IBMECRJ] Coube a George W. Bush iniciar, em 2003, a Segunda Guerra do Golfo. Sobre esse tema são feitas as seguintes afirmativas:

I. Com o fim da Guerra Fria, o “maior inimigo” não é mais um país comunista, mas sim um que estimula o terrorismo;

II. A existência, no Iraque, de armas de destruição em massa (ADMs) foi um dos pretextos norte-americanos para justificar a invasão;

III. Diferentemente do que ocorrera na Primeira Guerra do Golfo, houve por parte da ONU apoio total ao intervencionismo dos Estados Unidos.

Assinale:

a) se apenas a afirmativa I for correta;

b) se apenas a afirmativa II for correta;

c) se apenas a afirmativa III for correta;

d) se as afirmativas I e II forem corretas;

e) se as afirmativas II e III forem correta.

01. [E]

02. [A]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO