Estoicismo

O estoicismo foi uma escola filosófica surgida no século IV a.C, durante o Período Helenístico, fundamentada nas leis da natureza.

O estoicismo surgiu no final do século IV a.C., em Atenas. Lá, emergiu a escola filosófica de Estoá, que também ficou conhecida como Pórtico de Zenão.

Seu fundador, Zenão de Cítio (333 – 262 a.C.), foi adversário dos dogmas de Epicuro, pois não concebia a redução do homem e do mundo a mero agrupamento de átomos e a identificação da felicidade humana com o prazer.

Diferentemente do epicurismo, o estoicismo preocupa-se com o dever, autodisciplina e sujeição à ordem natural das coisas.

Compreendendo, portanto, uma razão suprema, a natureza, que seria a causa e determinação de tudo o que acontece.

estoicismo
Imagem: Reprodução

Os períodos do estoicismo

Dessa forma, o estoicismo pode ser compreendido a partir de três períodos:

  1. Estoicos antigos (séculos 3 e 2 a.C.);
  2.  Estoicos médios (séculos 2 a.C.);
  3.  Estoicos tardios ou romanos (século 1 a.C. – século 2 a.C.).

Os principais estoicistas

Os principais mestres estoicos, divididos nos respectivos períodos são:

  • Estoicismo antigo: Zenão de Cicio (336-246 a.C.); Cleanto de Assos (331-232 a.C.); Crisipo de Soles (277-208); Ariston de Chíos, Hérilo de Cartagena, Dionísio de Heracleota, Perseu de Cício, Esfero do Bósforo;
  • Estoicismo médio: Panécio de Rodes (185 a.C.); Possidônio de Apaméia (130-51 a.C.);
  • Estoicismo romano ou tardio: Lúcio Aneu Sêneca, de Córdoba, (8 a.C. a 65 d.C.); Epicteto de Hierápolis( 50-125 d.C.); Marco Aurélio de Roma(121-180 d.C.); Musônio Rufo e Arriano.

Ser “estoico” é ter firmeza moral, caráter incorruptível que se mantém intacto diante de todos os problemas da vida, enfim. Desse modo, Sêneca escreve:

“Habituemo-nos a ter o luxo à distância e a fazer uso da utilidade dos objetos e não de sua sedução exterior. Comamos para matar a fome, bebamos para apagar a sede e reduzamos ao necessário a satisfação de nossos desejos. Aprendamos a andar com nossas pernas, a regular nosso vestuário e nossa alimentação, não sobre a moda do dia, mas sobre o exemplo dos antigos. Aprendamos a cultivar em nós a sobriedade e a moderar nosso amor ao fausto; a reprimir nossa vaidade, a dominar nossas cóleras, a considerar a pobreza com um olhar calmo […]” (A tranquilidade da alma – Lúcio Aneu Sêneca, século I)

O estoicismo e a felicidade

O estoicismo compreende a felicidade como uma atitude da vontade. O homem é feliz quando deseja que as coisas sejam o que são.

A ideia expressa nessa atitude é de que se deve viver de acordo com a natureza, ou seja, um ser racional, consentindo com a racionalidade do destino.

Logo, a moral estoica é considerada como uma disposição de vontade, uma moral de intenção. Sendo assim extremamente rigorosa por não considera a casuística ou meias medidas.

Referências

A porta e o jardim: uma introdução ao epicurismo e  estoicismo da Grécia pós socrática – Uipirangi Franklin da Silva Câmara

História dos filósofos –  André Vergez e Denis Huisman.

Da tranquilidade da alma – Lúcio Aneu Sêneca

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [FEPESE]: Entre as muitas heranças do mundo da Antiguidade, herdamos as chamadas filosofias pagãs do:

a) Estoicismo e niilismo.

b) Escolástica e marxismo.

c) Epicurismo e marxismo.

d) Estoicismo e epicurismo.

e) Escolástica e tomismo.

 

02. [FAAP]: As consequências das conquistas de Alexandre, o Grande, entre outras, foram:

1. Formação de grandes focos da cultura helenística: Alexandre fomentou a fusão entre vencedores e vencidos. Generais gregos e macedônicos casaram-se com mulheres persas. Ele mesmo desposou a filha do rei Dário III, Roxana.

2. Difusão da cultura grega: a língua grega foi assimilada por muitos povos. A escrita grega substituiu a escrita cuneiforme e demótica. A indumentária grega e o mobiliário foram adotados pelos vencidos, bem como cerimônias, danças e canções.

3. Progresso econômico: com o desenvolvimento do comércio e da agricultura, o tráfico da seda e da porcelana intensificou-se. As cidades tornaram-se grandes centros mercantis. Os portos foram restaurados. Estradas foram abertas. Levantaram-se fortalezas para proteger as caravanas de mercadores.

Responda com apoio no seguinte código:

a) desde que apenas 1 esteja correta.

b) desde que apenas 2 esteja correta.

c) desde que apenas 3 esteja correta.

d) desde que todas estejam corretas.

e) desde que todas estejam erradas.

01. [FEPESE] 

Resposta: D

Estoicismo e epicurismo são heranças da filosofia grega do período helenístico.

 

02. [FAAP]

Resposta: D

O helenismo foi uma ação de Alexandre para fundir as culturas ocidental e oriental, dos gregos e demais povos que foram conquistados.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO