Ditadura no Chile

A Ditadura no Chile ocorreu entre os anos de 1973 e 1990, com um governo autoritário regido pelo General Pinochet.

A Ditadura no Chile é considerada uma mancha nos livros de história pelos próprios pesquisadores do tema. O país é tomado por um novo contexto bipartidário que culmina num golpe militar e na imposição consequente do regime.

Durante a segunda metade do século XX, o povo chileno começa a observar a ascensão de um novo momento político. A ascensão da esquerda durante o governo de Gabriel González Videla foi um deles.

Apoiado por liberais da direita e alas da esquerda, Videla promete mobilização ampla, democrática e fortalecimento social. O contexto da Guerra Fria, entretanto, fez com que Videla se opusesse, durante seu mandato, aos grupos comunistas chilenos.

Antes sob suporte do apoio, e agora negando-se a governar de forma unida. Tal decisão emerge um sentimento de frustração por parte dos setores da esquerda chilena.

ditadura no chile
(Imagem: Reprodução)

As transformações, outrora prometidas, acabaram ficando apenas nas palavras. A manutenção dos privilégios aos cidadãos economicamente privilegiados seria a real prioridade.

Durante um curto espaço de tempo após rompimento com as esquerdas, a economia chilena se viu em ascensão. Empresas estrangeiras chegavam, a diminuição de taxas de importação era notória e a exportação de commodities se tornava uma realidade.

Foi ao longo do processo eleitoral de 1970 que o regime começa a bater à porta do povo chileno. Socialistas, aliados aos cristãos, criam uma chapa sob denominação de Unidade Popular.

O candidato Salvador Allende vence o pleito e abre as portas para uma nova condução política no país. A nacionalização de empresas norte-americanas foi o estopim para uma “revolta” de parcela do setor de oposição do país.

A Ditadura no Chile tem seu início

Sob desgaste das medidas propostas por Allende, grupos de oposição no Chile começam a se reunir em prol da derrubada do governo. A pressão de parcela popular funciona. Em 1973, assim, um grupo de militares aplica um golpe que culmina na morte de Allende.

Augusto Pinochet, então, assume como principal liderança política no Chile. O país entra numa ditadura terrível, onde a perseguição política era constante. Os setores de esquerda estavam na mira de Pinochet, que tinha por objetivo conter um suposto avanço do comunismo.

Atendendo aos interesses norte-americanos, Pinochet era ainda autoritário e impunha uma única forma de pensar. Entre as principais características da Ditadura no Chile é possível citar:

  • Opositores perseguidos (artistas, políticos de esquerda, estudantes e outros);
  • Extinção de Partidos Políticos;
  • Censura ferrenha aos meios de comunicação;
  • Alinhamento aos interesses capitalistas dos Estados Unidos;
  • Autoritarismo vigente;

Já no plano econômico, a Ditadura no Chile vigoraria ideias que agradassem aos Estados Unidos. Dessa forma, podem ser citadas:

  • Desigualdade social sofre um aumento;
  • Privilégio às classes econômicas favorecidas;
  • Política neoliberal, mantendo o mercado regulando preços sem intervenção do estado;
  • Mercado aberto para empresas estrangeiras;
  • Privatizações;
  • Diminuição da participação do estado na economia;
  • Juros controlados através do Banco Central;

O fim da Ditadura no Chile

As violentas ações antidemocráticas de Pinochet se intensificaram ao fim dos anos 1980. Desagradando instituições internacionais, bem como parcela da população chilena, que começava a reagir.

A imagem negativa de repressão do governo isolou o Chile da condição de potência emergente, a solitário latinoamericano. Diversos países se opuseram às políticas do general e romperam diplomaticamente com o Chile, como protesto a Pinochet.

No que tange a economia, o país só piorava. No que abrange o social, o conceito ruía. A parcela significativa da população, que antes apoiava o General, passa a agir contra ele.

No ano de 1988 um plebiscito é institucionalizado. O povo deveria decidir pela permanência ou não de Pinochet no governo. Ou seja, manter a Ditadura no Chile ou brecá-la.

A maioria votou pelo fim do regime. Eleições diretas são convocadas. A ditadura no Chile tem fim no dia 11 de março de 1990, com um novo presidente civil tomando posse.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Por Mateus Bunde
Teste seu conhecimento

01. [Vunesp] Um conjunto de normas mais ou menos semelhantes se impôs na Argentina após 1976, no Uruguai e no Chile, depois de 1973, na Bolívia quase ininterruptamente, no Peru de 1968 até 1979, no Equador, de 1971 a 1978. (Clóvis Rossi)

Assinale a alternativa que melhor expressa o conjunto de normas de exceção que marcaram a trajetória político-institucional dos países latino-americanos indicados no texto.

a) Dissolução de partidos e sindicatos, com o objetivo de estabelecer uma nova ordem democrática e popular.

b) Domínio político das organizações guerrilheiras.

c) Extinção dos partidos políticos, intervenção nos sindicatos e suspensão das eleições diretas.

d) Política externa alinhada automaticamente à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e ao bloco do Leste.

e) Formação de uma frente parlamentar, para revisão constitucional.

 

02. [Cesgranrio] A eleição de Salvador Allende em 1970 no Chile constitui-se num acontecimento específico atípico no panorama geral da América Latina.

Sua política de governo se caracterizou por ser:

a) nacionalista, com exclusão de membros da Guarda Nacional – bastião de poder no governo anterior.

b) liberal, com livre importação de produtos manufaturados.

c) isolacionista no contexto continental, com pressões militares e econômicas por parte dos Estados Unidos.

d) democrática, com amplo respaldo popular e de grupos esquerdistas cristãos.

e) reformista, com privatizações dos bancos estatais e manutenção da reforma agrária iniciada anteriormente.

01. [C]

02. [D]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO